Jornal inglês aponta ingresso do Brasileiro como 2º mais caro do mundo

ESPN.com.br com agência Gazeta Press
Getty
Em média de público, contudo, país ocupa apenas a 13ª posição
Em média de público, contudo, país ocupa apenas a 13ª posição

Após a disputa de 34 rodadas, o Campeonato Brasileiro aponta para o segundo título consecutivo do Cruzeiro, que soma quatro pontos de vantagem sobre o São Paulo - vice-líder - e com uma partida a mais. Entretanto, a Série A do futebol verde e amarelo ganhou as páginas internacionais não por sua qualidade técnica, mas pelo alto preço de ingressos.

De acordo com um estudo realizado pelo periódico britânico Daily Mail, o Brasileirão possui o segundo bilhete mais caro do planeta, em análise proporcional à renda da população local. A análise aponta que o preço médio de uma partida é de 12,73 libras (aproximadamente R$ 52).

Assim, com a renda per capita semanal, um indivíduo poderia comprar 14,2 ingressos.
A realidade brasileira supera os índices encontrados pelo Campeonato Inglês. Em solo britânico, o preço médio é mais alto: 28,80 libras (aproximadamente R$ 117). Todavia, com a renda per capita local, os moradores poderiam comprar, em sete dias, 14,3 bilhetes.

O ingresso mais caro do mundo segue sendo o chinês, que representa uma média de público superior à encontrada no Campeonato Brasileiro, com 18,7 mil pessoas. Além de Brasil (2º) e Inglaterra (3º), completam o rol dos cinco primeiros colocados Turquia e Espanha, em ordem decrescente.

Mesmo com o alto valor, a Premier League registra a segunda maior média de público mundial, atrás apenas do Campeonato Alemão, com 36 mil expectadores. Neste quesito, o Brasil figura na tímida 13ª posição, com 15,8 mil fãs em média.

Comentários

Jornal inglês aponta ingresso do Brasileiro como 2º mais caro do mundo

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.