Em Santa Catarina, artilheiro ganha pastel de graça toda vez que faz gol

Francisco De Laurentiis, do ESPN.com.br, e Vladimir Bianchini, da Rádio ESPN
Reprodução/Facebook
Rodrigo Gral Pastelaria
Rodrigo Gral (de boné preto e branco) e a galera na pastelaria: 'É incentivo', diz

Em Santa Catarina, artilheiro tem que ter, literalmente, fome de gol.

É que toda vez que o experiente centroavante Rodrigo Gral, aquele mesmo, ex-Grêmio, Flamengo, Chapecoense e seleção brasileira sub-20 e pré-Olímpica, faz um gol, ele ganha uma rodada de pastel doce de graça para distribuir entre os colegas de equipe do Juventus de Seara, equipe que disputa a terceira divisão do Campeonato Catarinense.

O presente é dado pelos donos de uma pastelaria do município de 17 mil habitantes, que ficaram exultantes com a chegada de um jogador de renome à pequena equipe da cidade.

"O pastel já está ficando até famoso (risos)! O pessoal daqui é muito simpático, acompanha muito o futebol e torce pela nossa equipe. Toda vez que estamos de folga, a gente vai na pastelaria comer o pastel doce, que é o prêmio quando faço gol ou quando a gente ganha", conta Rodrigo, em entrevista à Rádio ESPN.

"É um ótimo incentivo, né? (risos). A gente diz pro rapaz lá da pastelaria que é como se ele fosse parte da equipe", completa o atleta, que também passou por Juventude, Bahia, Sport e times do Japão e do Oriente Médio.

Em sua carreira, o "Lobo Gral" esteve com a seleção brasileira no Mundial sub-20 de 1999 ao lado de Ronaldinho Gaúcho e depois fez parte da equipe pré-olímpica no ano seguinte. Foi nessa época que foi descoberta a adulteração de seus documentos oficiais - segundo ele, pelo Inter -, que o deixaram dois anos mais novo.

Após deixar a Chapecoense, clube do qual é um dos maiores ídolos e tem uma tatuagem no braço, Gral acertou com o modesto Juventus, apesar de ter propostas da Série B e do exterior. Seu objetivo agora é levar o clube grená às divisões de elite do futebol de Santa Catarina, e talvez nacional, a exemplo do que fez com a equipe alviverde.

Até agora, a pastelaria deve estar dando prejuízo, já que o time de Rodrigo ganhou todos os jogos que disputou, com direito a título do turno e três gols do matador. No returno, a estreia foi no último final de semana: 4 a 0 no Fluminense, fora o baile. E dá-lhe pastel.

Reprodução/Facebook
Rodrigo Gral Juventus Santa Catarina
Rodrigo Gral é a estrela do Juventus, da Série C catarinense

"Está sendo uma experiência nova e muito legal jogar aqui em Seara. É um projeto diferente, para trazer mais um time forte para a elite do futebol de Santa Catarina. Estamos com pés no chão, mas pensando grande. Esperamos que dê tudo certo esse ano para já subirmos para a Série B", comentou Gral.

Aos 37 anos, e cuidando bem do corpo para evitar lesões, o veterano quer jogar pelo menos até 2016. Retorno à Chapecoense depois? Segundo Rodrigo, não. O próprio atacante diz que seu ciclo pelo clube que torce acabou. A única coisa que ele quer é um belo jogo de despedida antes de pendurar de vez as chuteiras.

"Queria juntar meus amigos da época de Grêmio e outros clubes, além da seleção, fazer um combinado e jogar contra a Chapecoense. É meu plano mais pra frente, porque ainda tenho lenha pra queimar. Mas quero encerrar a carreira nesse jogo festivo, para retribuir todo o carinho que já recebi da cidade toda e do clube do meu coração", afirma.

Reprodução/Facebook
Rodrigo Gral Tatuagem Chapecoense
Rodrigo Gral e sua tatuagem da Chapecoense: gol 500 na carreira foi marcado no clube
Comentários

Em Santa Catarina, artilheiro ganha pastel de graça toda vez que faz gol

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.