Vice do Grêmio critica macaco Escurinho, mascote do Inter: 'nada é mais racista'

ESPN.com.br
Wesley Santos/LatinContent/Getty Images
Escurinho Mascote Internacional Emelec Libertadores 2010 23/02/2014
Um dos mascotes do Inter, macaco Escurinho foi duramente criticado por diretor do Grêmio

Em meio ao episódio de racismo envolvendo o goleiro Aranha, do Santos, na Arena do Grêmio, na última quinta-feira, a diretoria gremista agora se envolveu em polêmica com um dos principais símbolos do rival Internacional.

Em entrevista à Rádio Gre-Nal, o vice-presidente do clube tricolor, Renato Moreira, criticou os colorados por terem um macaco como mascote.

"Não há nada mais racista do que ter um símbolo que é um macaco chamado Escurinho, que se trata de um grande ídolo do Internacional", disparou o cartola.

"O Inter tem que rever isso imediatamente, porque é vergonhoso você ter como símbolo um macaco que leva o nome de um grande ídolo negro do Internacional", completou.

Apesar do Inter ter o Saci-Pererê como mascote oficial, o macaco Escurinho é outro símbolo da equipe. O animal, escolhido por ter apelo com as crianças, é símbolo de um dos projetos sociais do clube, o Interagir

O nome do mascote foi determinado por votação online, não fazendo necessariamente referência ao atacante Escurinho, um dos maiores ídolos da história do Internacional.

Nos anos 70, ele foi decisivo em duas conquistas do Campeonato Brasileiro (1975 e 1976), além de sete taças do Campeonato Gaúcho. Também jogou no Palmeiras, no Vitória e no Coritiba, além de outras equipes menores.

Escurinho faleceu em 2011, aos 61 anos, após sofrer uma parada cardíaca.

Racismo na Arena

Na última quinta-feira, quando a torcedora gremista Patrícia Moreira foi flagrada pelas câmeras da ESPN chamando o goleiro Aranha, do Santos, de "macaco", durante partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.Após o episódio, Patrícia foi afastada de seu trabalho na Brigada Militar de Porto Alegre, e chegou até a ter sua casa apedrejada.

Neste meio-tempo, o STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) suspendeu o confronto de volta entre Grêmio e Santos, já que o clube gaúcho pode ser excluído da Copa do Brasil.

Na primeira partida na Arena do Grêmio após o episódio, os jogadores gremistas entraram em campo contra o Bahia com uma faixa de campanha anti-racismo. Além disso, torcedores comuns vaiaram a torcida organizada que canta música se referindo aos colorados como "macados".

Após o duelo, o técnico Luiz Felipe Scolari também chamou o episódio racista de "aberração" e pediu providências para o Governo.

O Grêmio diz ter identificado 10 torcedores racistas através das imagens da ESPN e das câmeras de segurança. Dois deles eram sócios do clube e foram excluídos do quadro, enquanto os outros oito serão proibidos de entrar novamente no estádio da equipe.

Comentários

Vice do Grêmio critica macaco Escurinho, mascote do Inter: 'nada é mais racista'

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.