Em pronunciamento, Tabárez dispara contra punição a Suárez e renuncia a cargo na Fifa: 'Valores diferentes'

Tiago Leme, do Rio de Janeiro (RJ), para o ESPN.com.br
Reuters
O técnico uruguaio Óscar Tabárez, em pronunciamento nesta sexta no Maracanã
O técnico uruguaio Óscar Tabárez, em pronunciamento nesta sexta no Maracanã

Os uruguaios continuam demonstrando toda a indiginação com a punição imposta a Luis Suárez. Nesta sexta-feira, foi a vez do técnico Óscar Tabárez fazer um discurso firme contra a decisão que tirou o jogador da Copa do Mundo. O treinador da seleção do Uruguai fez um pronunciamento no Maracanã, no Rio de Janeiro, disparou contra a suspensão de nove jogos ao atacante e ainda anunciou a renúncia ao cargo que ocupa na comissão de estratégia da Fifa.

Com semblante sério, Tabárez não abriu a entrevista coletiva para perguntas da imprensa, fez um discurso direto de cerca de 15 minutos e no final foi aplaudido por jornalistas uruguaios, na véspera do duelo com a Colômbia, pelas oitavas de final do Mundial.

"Achamos que a punição foi excessivamente severa. Sabemos onde se encontra o poder nessa história, mas não podemos aceitar o uso do poder por um só órgão, e me refiro ao Comitê Disciplinar da Fifa. Faz muitos anos que dou a minha contribução à Fifa como instrutor. Tenho um cargo na comissão de estratégia da Fifa e sinto que devo abanonar esse cargo. Não é inteligente e nem prudente estar em uma ornanização com pessoas que fizeram pressão para tomarem essa decisão, que usaram valores bem diferentes dos meus. Portanto, nos próximos dias, apresentarei minha renúncia a esse cargo de acordo com os procedimentos formais", afirmou Tabárez, na entrevista oficial da Fifa no Maracanã.

Dizendo-se defensor do "fair play" (jogo limpo) e citando prêmio que já ganhou da própria Fifa e da Unesco por este motivo, Óscar Tabárez reprovou a repercussão negativa da imprensa sobre a atitude de Suárez ganhou após a partida da última terça-feira, quando o Uruguai venceu a Itália, por 1 a 0, em Natal. Em disputa de bola, o atacante mordeu o ombro de Chiellini, o árbitro não viu e não puniu o atleta, mas a Fifa acabou levando o caso a julgamento e aplicou a pena.

"Foi uma decisão que, evidentemente, está muito mais calcada nas opiniões dos meios de comunicação. Jornalistas que tomaram como único tema esse assunto. Não sei que nacionalidade eram, mas todos falavam em inglês. Essa pressão da mídia está muito distante das imagens que vimos. Tocavam nos antecedentes de Luis Suárez, mas todos sabemos que sempre foi punido e cumpriu as sanções passadas", disse o comandante uruguaio.

"Conheço a teoria do bode expiatório. De dar um castigo exemplar, não importa se é excessivo, para que o coletivo saiba que o que está bem, mal, o que se deveria não fazer mais. Há um perigo nessa forma de proceder. Que se esquece que o bode expiatório é uma pessoa. Que tem direitos. E, nesse caso, apesar de seus erros, deu muitas contribuições ao futebol dentro de campo. Que é a essência dessa grande competição. A contribuição dos jogadores", acrescentou.

Mauro Cezar comenta fixação de Lugano em 'encontrar culpados' por dentadas de Luís Suárez; assista

Tabárez ainda deixou claro que não concorda com a mordida de Suárez, considerou a atitude um erro do atleta, mas deu o seu recado e lembrou das diferentes punições impostas pela Fifa em outras situações.

"Quem perde, quem ganha com isso? Quem se beneficiou, quem saiu prejudicado? Se evitarão, depois disso, todos os excessos, todas as agressões? Só com decisões desse tipo? Duvido muito. Antes e depois desse episódio, se viram coisas que são medidas de formas muito diferentes. Isso é omissão. Não estou justificando nada. Não creio que não se deva punir. Mas entre seres humanos, temos que dar uma chance a quem comete um erro. Conhecemos bem o protagonista dessa história", afirmou Tabárez, que concluiu.

"Conhecemos o Luis Suárez melhor do que qualquer pessoa, o caminho que ele percorreu até hoje, ele vai tentar ser uma pessoa melhor, mas jamais estará sozinho. E para os torcedores do Uruguai, que estão comovidos com essa punição, que saibam que também estamos tocados, mas com grande força e com o desejo de reagir amanhã".

Depois do pronuciamento no Maracanã, Óscar Tabárez comandou um treinamento da equipe no estádio de São Januário. Neste sábado, às 17h, Uruguai e Colômbia se enfrentam pelas oitavas de final, e o vencedor será o adversário de Brasil ou Chile nas quartas da Copa.

Comentários

Em pronunciamento, Tabárez dispara contra punição a Suárez e renuncia a cargo na Fifa: 'Valores diferentes'

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.