MP-SP, sobre caso Lusa: 'alguém ganhou alguma coisa, não foi uma simples falha'

Camila Mattoso, do ESPN.com.br
Reprodução
Roberto Senise, procurador do Ministério Público em inquérito contra CBF e STJD no 'caso Portuguesa'
Roberto Senise, procurador do Ministério Público em inquérito contra CBF e STJD no 'caso Portuguesa'

O Ministério Público de São Paulo tenta desvendar o que aconteceu para a Portuguesa ter escalado Héverton, que estava suspenso, na última rodada do Brasileirão. Com algumas provas reunidas, o promotor Roberto Senise tem a tese de que alguém ganhou alguma coisa para ter cometido o suposto erro.

LEIA MAIS
Para Ministério Público, Portuguesa sabia que não poderia escalar Héverton
MP investiga escalação de jogadores e vai propor acordo para a CBF devolver pontos

Um dos documentos obtidos e revelados pelo MP é um e-mail enviado pela Federação Paulista de Futebol (FPF) para o vice-presidente de Futebol do time paulista, Roberto do Santos. A mensagem avisava ao clube que o meia seria julgado na sessão de sexta-feira, dia 6 de dezembro, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Ou?a a entrevista de Senise ? R?dio ESPN

Ouçaa a entrevista de Senise à Rádio ESPN

"Chegou até mim um e-mail que mostra que a Portuguesa sabia que haveria o julgamento do Héverton naquele dia 6. Isso contraria o que o clube disse algumas vezes de que não foi avisado que o jogador seria julgado. O e-mail foi enviado pela federação para o vice-presidente de Futebol", afirmou Senise para o ESPN.com.br.

"Com o que temos até agora, entendemos que alguém ganhou alguma coisa com isso, não foi uma simples falha. Ainda estamos investigando quem teve essa vantagem e qual foi ela", completou.

Segundo o promotor de Defesa do Consumidor, além deste e-mail, há outros indícios que confirmam a sua tese. Com isso, o MP-SP tem recolhido depoimentos de dirigentes da Lusa para tentar desvendar o caso. Já foram ouvidos o atual e o ex-presidente do clube, diretores e funcionários do jurídico, e o técnico Guto Ferreira.

No fim da noite deste domingo, o ex-presidente Manoel da Lupa enviou uma nota à imprensa confirmando que recebeu o e-mail sobre o julgamento e negando que soubesse que não poderia escalara o jogador.

Leia a nota na íntegra

"A Portuguesa recebeu, em 03/12/2013, a comunicação de que o julgamento do atleta Héverton Duraes Coutinho Alves seria, excepcionalmente, em 06/12/2013 (sexta-feira). A publicação da decisão no site da CBF se deu em 09/12/2013, às 18h45 (segunda-feira).

A Portuguesa só recebeu a comunicação da decisão da suspensão do atleta Heverton em 10/12/2013 (terça-feira). O "BID das Suspensões", publicado no site da CBF, que começou a funcionar definitivamente em 01/09/2013, dava condição de jogo ao atleta Heverton para participar da partida contra o Grêmio/RS em 08/12/2013 (domingo).

A Diretoria da Portuguesa, cujo mandato expirou em 31/12/2013, se coloca a disposição do Ministério Público para quaisquer esclarecimentos, colocando tudo que for necessário à apuração da verdade"