Para chegar a jogos, Alemanha deixa recomendação da Fifa de lado e fará travessias de balsa

Marcus Alves, de Santa Cruz Cabrália (BA), para o ESPN.com.br
Divulgação/Jerusa Brandão
O técnico da Alemanha, Joachim Löw, esteve em Santo André no início do mês
O técnico da Alemanha, Joachim Löw, esteve em Santo André no início do mês

Antes da Alemanha, havia a Fifa. E com a Fifa, uma recomendação que poderia ter impedido a ida da sensação europeia para o vilarejo de Santo André, em Santa Cruz Cabrália, região Sul da Bahia, na próxima Copa do Mundo.

"Uma das observações que a Fifa fez para as seleções na escolha de seus campos de treinamentos era para que não houve necessidade de travessia marítima ou fluvial na hospedagem. Esse foi um dos pontos que nos deixou mais apreensivo porque o Campo Bahia (complexo em construção) exigia isso", conta o secretário Estadual para Assuntos da Copa (Secopa), Ney Campello, ao ESPN.com.br.

No fim das contas, os alemães não se incomodaram. Ao todo, foram cinco visitas da comitiva do País. Em todas elas, esteve sempre presente o ex-jogador Olivier Bierhoff, hoje diretor geral da federação local. Na última parada feita após o sorteio dos grupos do Mundial, na Costa do Sauípe, neste mês, também o acompanhou na balsa o técnico Joachim Löw (veja foto acima).

LEIA MAIS
Fim do mistério: 'CT' da Alemanha existe há cinco anos e é na verdade projeto imobiliário
República alemã: federação do país reserva 1.200 quartos na Costa do Descobrimento
RELEMBRE: Insatisfeita com opções, Alemanha vai construir seu próprio CT na Bahia

Ficou oficializado a partir dali que, antes de cada jogo, Mario Götze, Schweinsteiger e companhia terão que cruzar o rio João de Tiba.

Um percurso que não deve demorar mais do que 15 minutos e que, ao contrário do que acontece atualmente, não estará submetido à programação de saídas de barcos a cada meia hora. Nas movimentações da delegação, será dada exclusividade a ela na travessia até Cabrália.

Com um trajeto de apenas 26km de estrada até o aeroporto de Porto Seguro a ser cumprindo para, então, seguir viagem, as autoridades alemãs fizeram três pedidos para não frustrarem a negociação e se fixarem na Costa do Descobrimento: balsas seguras; tempo de duração adequado; e segurança.

No caso deste último, o Governo já se colocou à disposição contatos com a Marinha para oferecer todo o suporte, incluindo uma escolta que abrangeria também a área marítima, descartando, assim, qualquer possibilidade de assédio ou aproximação indesejada à seleção alemã. Deve ser repetida a mesma estratégia que fez de Salvador, segundo avaliações, a sede com melhor plano de segurança da Copa das Confederações.

"Logo que visitou Porto Seguro, a Fifa foi apresentada a alguns hotéis que ficam em Arraial D'Ajuda e Trancoso. Mas eles nos disseram que teria de haver uma solução na própria cidade (Porto Seguro), naquele centro, e não poderia ser do outro lado (do rio). Fizeram a observação de que não era recomendável", explica Ney Campello.

Para ficar em Santo André, a Alemanha, portanto, deixou o seu tradicional pragmatismo de lado e foi de encontro à Fifa. Restará se preocupar somente com a tábua de marés e ficar na torcida pelas baixas.

Até a lua pode contar pontos para os comandados de Löw.

'Será difícil ganhar a simpatia do nordestino', diz Wenzel; Antero vê lado publicitário
Comentários

Para chegar a jogos, Alemanha deixa recomendação da Fifa de lado e fará travessias de balsa

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.