Advogado nega ter passado informação errada à Portuguesa: 'Me pegaram de bode expiatório'

Tiago Leme e Rubens Pozzi, do Rio de Janeiro (RJ), para o ESPN.com.br
Advogado que representou a Portuguesa se defende e garante que informou pena correta para dirigente

No centro da polêmica sobre a possível reviravolta no rebaixamento do Brasileirão de 2013, o advogado Osvaldo Sestário se defendeu e negou ter passado informação errada à Portuguesa quanto à suspensão do meia Héverton. Em contato com o ESPN.com.br por telefone nesta quarta-feira, falou sobre a situação divulgada na terça à noite que pode manter o Fluminense na Série A e derrubar a Lusa para a Segunda Divisão.

"Você acha mesmo que falei para a Portuguesa que a suspensão era de apenas um jogo? Essa história tem muitas nuances. Me pegaram de bode expiatório", disse Sestário, no primeiro contato.

LEIA MAIS
Saiba quem é e como age o advogado que representou a Portuguesa
Acusada de escalar jogador irregular, Portuguesa pode ser rebaixada e 'salvar' Fluminense
Dirigente diz que advogado não notificou a Portuguesa sobre suspensão de Héverton
Portuguesa tenta provar irregularidade do Fluminense, mas não 'cola'

Entrevistado posteriormente pelos canais ESPN, o advogado reiterou que passou a informação da suspensão de duas partidas de Héverton à Portuguesa. Sestário garantiu não saber onde ocorreu o erro de comunicação com o clube, que tinha grande interesse também, no julgamento do atacante Gilberto, que ocorrera na segunda-feira anterior.

Arquivo Pessoal
O advogado Osvaldo Sestário representou a Portuguesa
O advogado Osvaldo Sestário representou a Portuguesa

"O atleta (Héverton) estava denunciado em um artigo com pena mínima de quatro jogos. Conseguimos derrubar para o artigo 258, que é mais brando, de dois jogos. Como de praxe falei com o clube, eles estavam preocupados com o Gilberto, que era o artilheiro da equipe. Em momento nenhum eu falei que era um jogo. Tenho mais de 10 anos no tribunal, 9 anos com a Portuguesa. [...] Não sei onde aconteceu o erro de comunicação. Não sei se eles estavam muito preocupados com o Gilberto", defendeu-se.

Sestário ainda revelou, exatamente, seu contato dentro do departamento jurídico da Portuguesa: o advogado Valdir Rocha.

"Eu falei com o Dr. Valdir", garantiu.

O advogado só preferiu não comentar a questão do prazo. Após o julgamento de sexta-feira, a CBF só publicou a notícia da suspensão de Héverton na segunda, e o assunto tem rendido "pano para manga".

"Prefiro não comentar esse assunto, que pode ser utilizado até de recurso. Até pelo desgaste que ocorreu, a Portuguesa vai ter outro advogado no julgamento, então eu prefiro não comentar", concluiu.

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) já denunciou a Portuguesa pela escalação irregular do meia Heverton, que resultaria, em caso de comprovação, na perda de quatro pontos do clube paulista. O atleta da Lusa foi suspenso na sexta-feira por dois jogos após ser expulso contra o Bahia, mas acabou entrando em campo diante do Grêmio, no domingo - havia cumprido uma partida contra a Ponte Preta antes. O julgamento acontecerá na próxima segunda-feira, às 17h (de Brasília).

Osvaldo Sestário, um espécie de "advogado de aluguel" foi quem representou a Portuguesa no julgamento. Só na sexta-feira, o profissional defendeu seis clubes no STJD - além da Portuguesa, América-MG, Atlético-PR, Criciúma, Icasa e Santa Cruz, ou seja, de uma vez só prestou serviços para representantes das Séries A, B e C.

Em entrevista exclusiva ao programa SportsCenter, da ESPN Brasil, o vice-presidente da Portuguesa, Roberto Santos, explicou que o  clube foi notificado apenas nesta terça-feira sobre os dois jogos de suspensão do atleta. O cartola contou que, no primeiro comunicado, feito por Sestário, o meia Héverton estava suspenso somente por um confronto.

"Para nós, foi uma surpresa. Nós recebemos esse comunicado hoje da CBF, que o Héverton havia pego duas partidas de suspensão. Ele havia cumprido contra a Ponte e, automaticamente, contra o Grêmio, ele não poderia (atuar). Só que a informação que o nosso departamento jurídico nos passou - nós temos um advogado lá no Rio que é o Sestário (Osvaldo Sestário Filho), ele participou do julgamento na sexta-feira e ligou para o nosso jurídico aqui de São Paulo, e disse que o Héverton havia pegado apenas um jogo. Como cumpriu contra a Ponte, estava liberado para jogar domingo. Para nossa surpresa, hoje chega esse comunicado", disse o dirigente.

Comentários

Advogado nega ter passado informação errada à Portuguesa: 'Me pegaram de bode expiatório'

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.