Com verba pública, futebol paraibano tem ano de ouro e 'sonha' até com Tóquio

Marcus Alves, do ESPN.com.br
Reprodução
O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, em viagem de ônibus ao lado Botafogo-PB
O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (centro), em viagem de ônibus ao lado Botafogo-PB

No primeiro clássico de João Pessoa do ano, em 27 de janeiro, uma cerimônia especial: antes de soar o apito para Botafogo-PB e Auto Esporte, o pontapé inicial foi dado por Luciano Cartaxo e Nonato Bandeira, respectivamente, prefeito e vice-prefeito da cidade.

LEIA MAIS
Na 1ª final da Arena Grêmio, Juventude derrota Botafogo-PB e fica a um empate do título da Série D

A cena que chama a atenção tem razão de ser.

Naquele mesmo dia, era lançado o programa "João Pessoa de Todas Torcidas", que tinha o objetivo de fortalecer os representantes da capital paraibana em troca da divulgação da cidade e também da abertura de suas estruturas para atividades sociais. Ao todo, foram direcionados praticamente R$ 1 milhão em verbas para os times durante o estadual: R$ 570 mil ao Botafogo-PB, R$ 240 mil ao Auto Esporte e R$ 180 mil ao CSP.

Deu resultado.

Neste domingo, a partir das 16h (de Brasília), o Botafogo-PB faz contra o Juventude o segundo jogo da final da Série D no estádio José Américo de Almeida, o Almeidão. Para ficar com o título, o Belo, como é conhecido, precisa reverter a derrota de 2 a 1 sofrida na primeira partida, na semana passada, na Arena do Grêmio. Uma vitória simples é mais do que suficiente.

Não falta incentivo para isso. Para impulsionar a campanha da única equipe local em atividade no segundo semestre, o prefeito Luciano Cartaxo, torcedor declarado do clube, aumentou o repasse no patrocínio máster para R$ 800 mil durante a competição.

Naquele que vem sendo chamada do "ano de ouro" do futebol paraibano, a prática é mais do que comum e também utilizada na vizinha Campina Grande, com o Poder Público oferecendo suporte financeiro a Campinense e Treze desde o começo do ano - para cada um deles, uma cota mensal de R$ 35 mil, fora uma colaboração extra, conforme sugeriu o prefeito Romero Rodrigues em seu perfil no microblog Twitter.

Ao fim da temporada, o saldo pode ser positivo: Campinense campeão da Copa do Nordeste, Botafogo possivelmente com o título da Série D e Treze dono da melhor campanha da Série C até a entrada em sua reta final - a equipe foi surpreendentemente eliminada pelo Vila Nova-GO nas quartas de final e perdeu o acesso.

Os resultados fazem as autoridades locais sonharem até com voos mais altos.

No projeto "João Pessoa na Copa", após reunião com o presidente da CBF, José Maria Marin, e um de seus vices, Marco Polo Del Nero, em maio, a cidade assegurou apoio para participar do Mundial de 2014. No catálogo final de 83 Centro de Treinamento de Seleções (CTS) divulgado nesta semana pelo COL (Comitê Organizador Local), ela foi a única com dois centros dentre as capitais nordestinas.

A aposta foi no modelo hotel de luxo e estádio próximo, com uma distância de no máximo 5km entre eles.

Para o futebol paraibano, não custa ir além em 2013: (com uma força do Estado) Tóquio é logo ali.

Clique para ver os gols do título do Botafogo no Campeonato Paraibano
Comentários

Com verba pública, futebol paraibano tem ano de ouro e 'sonha' até com Tóquio

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.