Símbolo da Era Leão, Leomar foi capitão de seleção B formada por novatos e esquecidos

Guilherme Nagamine, do ESPN.com.br
Getty
Seleção brasileira da estreia na Copa das Confederações de 2001: novatos e esquecidos
Seleção brasileira na Copa das Confederações de 2001: Dida, Edmilson, Lúcio, Washington, Zé Maria e Leomar (Alto); Carlos Miguel, Fábio Rochemback, Ramón, Leandro Amaral e Léo (embaixo)
Onze anos depois, o nome de Leomar saiu do ostracismo por causa de uma polêmica que nem ele mesmo sabia existir. O ex-atleta teria sido convocado para seleção brasileira em 2001 porque um lobista que recebeu um pagamento do Sport fez contatos para que ele fosse chamado – algo que ele afirmou desconhecer. Com ou sem confusão, o certo é que ele foi capitão de uma das equipes mais alternativas da história do Brasil.

LEIA MAIS:
Presidente do Sport diz que pagou para jogador ser convocado para seleção

Em 2001, o volante, então no Sport, estava em um grupo que misturava atletas novatos e esquecidos para a disputa da Copa das Confederações da Coreia e do Japão. O motivo de uma equipe nacional ‘B’ ser escolhida foi um acordo entre CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e grandes clubes do país, que não permitia que atletas de times envolvidos na Copa do Brasil, Libertadores e nas fases finais dos Estaduais fossem chamados.

À época, Corinthians, Vasco, Flamengo e Cruzeiro não cederam atletas para a disputa do evento-teste para a Copa do Mundo de 2002. Santos e Ponte Preta abriram exceções e permitiram a convocação de jogadores.

O time comandado por Emerson Leão não foi bem no torneio. Criticada, a equipe não conseguiu demonstrar um bom futebol e venceu  apenas uma das cinco partidas que fez – contra Camarões, na estreia. Na sequência, empates sem gols com Japão e Canadá, derrota na semifinal para a França e revés na disputa de terceiro lugar para a Austrália.

Daquele torneio, apenas quatro estariam no grupo do pentacampeonato mundial no ano seguinte: o goleiro Dida, os zagueiros Lúcio e Edmilson, e o volante Vampeta.

Getty
Dida foi titular na Copa das Confederações de 2001
Dida foi titular na Copa das Confederações de 2001
Relembre os 23 convocados para a competição:

DIDA
Terceiro goleiro na Copa do Mundo de 1998, o goleiro Dida, então no Milan, foi escolhido por Emerson Leão para ser o titular na disputa da Copa das Confederações. O atleta foi elogiado pelo treinador no amistoso disputado antes do início da competição e não teve a vaga ameaçada. Saiu por cima e foi lembrado por Felipão para a Copa do Mundo do ano seguinte. Está no Grêmio

CARLOS GERMANO
Com 30 anos, Carlos Germano estava esquecido da seleção brasileira. Reserva na Copa de 98, o goleiro começava a curva descendente da carreira. Depois de um ano não muito bom no Santos, o atleta estava na Portuguesa à época da convocação. Depois de se aposentar, chegou a ser treinador de goleiros no Vasco da Gama, clube no qual brilhou na carreira.

FÁBIO COSTA
O goleiro Fábio Costa fez parte da pacoteira de atletas do Santos liberados para disputar a competição. O baiano foi a terceira opção daquele elenco que fracassaria na Copa das Confederações. Hoje, depois de passar mais de dois anos sem atuar profissionalmente, está no São Caetano.

ZÉ MARIA
O lateral-direito Zé Maria, na época no Perugia, foi um dos nomes resgatados por Emerson Leão para a disputa da Copa das Confederações. O atleta, que havia feito parte da seleção que ganhara a Copa das Confederações de 97, foi titular nos cinco jogos da seleção no torneio. Está aposentado.

EVANILSON
Convocado pela primeira à seleção por Vanderlei Luxemburgo, Evanilson jogava no Borussia Dortmund – clube que defendeu entre 1999 e 2005. Foi lembrado por Leão, ficando na reserva de Zé Maria na competição. Não entrou nenhuma vez em campo. Em 2012, chegou a atuar pelo Botafogo-PB.

Getty
Lateral Léo teve primeira chance na seleção com Leão
Lateral Léo teve primeira chance na seleção com Leão 
LÉO
No Santos – clube que ainda defende, depois de passagem pela Europa -, o lateral-esquerdo Léo foi convocado pela primeira à seleção justamente por Leão. Na Copa das Confederações, foi titular em todos os jogos. À época com 25 anos, era o camisa 16 e provavelmente seria reserva no torneio se não fosse o corte de César que era do São Caetano.

GUSTAVO NERY
O lateral-esquerdo do São Paulo não iria disputar a Copa das Confederações. Mas, com o corte de César, ele foi chamado para compor o elenco. Atuou apenas na disputa de terceiro lugar, contra a Austrália, quando entrou no segundo tempo e jogou como volante. Seu último clube foi o São Bernardo, em 2012.

LÚCIO
Presente na seleção olímpica de 2000, Lúcio foi titular absoluto no torneio, apesar da pouca idade – 23 anos. Naquele ano, ele estava em sua primeira temporada na Europa, onde defendia o Bayer Leverkusen. Depois de onze anos no Velho Continente, está no São Paulo.

EDMILSON
O zagueiro que ganhou notoriedade no futebol nacional pelo São Paulo acabava de completar sua primeira temporada no Lyon, da França. Assim como Lúcio, seu futuro parceiro de time na Copa de 2002, foi titular nas cinco partidas daquele torneio.

CÉSAR BELLI
Aposentado, o ex-zagueiro César foi revelado pela Portuguesa e teve passagens por Palmeiras e Corinthians. Na época da convocação, jogava no Rennes, da França. Não teve chances de atuar sob comando de Leão no torneio: ficou no banco as cinco partidas. Se aposentou em 2009 e chegou ser gerente de futebol do Monte Azul.

CLAÚDIO CAÇAPA
Destaque no Atlético-MG, o zagueiro, assim como Edmilson, começava sua experiência no Lyon. Não teve oportunidades como titular no torneio – entrou apenas na primeira partida, contra o Japão. Está aposentado desde 2012.

Getty
Ramon marcou gol naquela Copa das Confederações
Ramon marcou gol naquela Copa das Confederações
LEOMAR
Destaque no Sport, Leomar virou símbolo da era Leão no comando da seleção. Convocado pela primeira vez para um jogo contra o Peru pelas eliminatórias, o atleta foi chamado na sequência para Copa das Confederações. Recebeu a faixa de capitão e só não jogou na última partida do torneio. Hoje é agente de atletas.

VAMPETA
O polêmico volante jogava no Paris Saint-Germain quando foi lembrado por Leão. Com 27 anos, era um dos mais experientes do elenco, mas perdeu a posição de titular durante o torneio para Fábio Rochemback. Hoje é gerente de futebol do Grêmio Osasco.

FÁBIO ROCHEMBACK
O volante tinha apenas 19 anos na época e iniciava sua carreira europeia no Barcelona. Ganhou oportunidade na seleção graças a Leão. No torneio, ganhou a vaga de Vampeta durante a competição. Hoje joga no Dalian Aerbin, da China.

VÁGNER
Um habilidoso segundo volante, Vágner foi uma das grandes surpresas da convocação de Leão – não estava na lista inicial de 35 pré-convocados. Foi titular na primeira partida e depois não atuou mais. Ele atuava no Celta na época. Se aposentou em 2005 após vários problemas de lesão.

JÚLIO BAPTISTA
Com apenas 19 anos, foi uma das apostas de Emerson Leão para a equipe ‘B’ do Brasil. Jogava no São Paulo e entrou no decorrer de duas partidas do torneio. Hoje está no Málaga.

Getty
Robert recebeu a camisa e era um dos mais experientes do elenco
Robert recebeu a camisa e era um dos mais experientes do elenco
ROBERT
Liberado pelo Santos para jogar o torneio, era um dos mais experientes da equipe. Com 30 anos, recebeu a camisa 10, mas não foi titular – entrou em apenas três jogos. Não apareceu mais na seleção depois. Está aposentado.

RAMON
Recém-saído do Fluminense, Ramon era um dos principais nomes do Atlético-MG em 2001. Leão viu nele o jogador ideal para ser o armador da equipe: atuou em todos os jogos como titular e marcou o terceiro e último gol da seleção no torneio, na derrota para a França. Está na Cabofriense.

CARLOS MIGUEL
Nem estava na lista inicial de 35 convocados. Foi chamado depois do meia Zé Roberto ser cortado da equipe. Marcou gol na estreia contra Camarões depois entrar no segundo tempo e virou titular nos outros jogos. Ele, que jogava no São Paulo, só atuou na seleção naquela Copa das Confederações.

WASHINGTON
Então destaque da Ponte Preta, o centroavante Washington foi aposta de Leão para a seleção. Ganhou holofotes ao marcar um gol na estreia contra Camarões. Foi titular em todos os jogos e chegou a ser convocado por Felipão depois. Aposentado.

Getty
Washington foi convocado pela primeira vez por Leão e marcou um gol
Washington foi convocado pela 1ª vez por Leão e marcou  gol
MAGNO ALVES
Destaque do Fluminense em 2001, o atacante atuou em três partidas naquela Copa das Confederações – as únicas que fez na carreira pela seleção. Não marcou gols. Está no Ceará.

LEANDRO AMARAL
Revelado pela Portuguesa, Leandro foi um dos estrangeiros chamado por Leão – estava na Fiorentina. O corte de Élber, então no Bayern de Munique, possibilitou sua chance na equipe. Jogou três vezes no torneio, sendo duas como titular. Aposentado dos gramados.

SONNY ANDERSON
Convocado por treinadores anteriores a Leão, Sonny Anderson estava na sua segunda temporada no Lyon quando foi convocado. Atuou nos dois primeiros jogos. Aposentado.
Comentários

Símbolo da Era Leão, Leomar foi capitão de seleção B formada por novatos e esquecidos

COMENTÁRIOS

Use a Conta do Facebook para adicionar um comentário no Facebook Termos de usoe Politica de Privacidade. Seu nome no Facebook, foto e outras informações que você tornou públicas no Facebook aparecerão em seu cometário e poderão ser usadas em uma das plataformas da ESPN. Saiba Mais.