<
>

Com R$ 270 milhões de prejuízo, liga paralela à NFL interrompe operações e pode acabar sem conhecer seu campeão

A Alliance of American Football (AAF) caiu nas graças de muitos torcedores carentes pelas "férias" da NFL, mas sua magia não durou muito tempo. Nesta terça-feira, de acordo com muitas fontes, as atividades da liga serão interrompidas. Todos os jogadores e treinadores serão comunicados em uma ligação.

Tom Dundon, que se tornou o sócio majoritário da AAF em fevereiro, afirmou na última semana que a liga corria sérios riscos sem uma ajuda da NFLPA, a associação de jogadores da NFL. Ele fez um investimento de US$ 250 milhões (R$ 964,67 milhões) no último mês para evitar que os atletas ficassem sem pagamento.

Estima-se que o prejuízo de Dundon, que também é dono do Carolina Hurricanes, da NHL, tenha sido de US$ 70 milhões (R$ 270,11 milhões) em suas primeiras oito semanas.

Segundo o ProFootballTalk, a AAF precisava de US$ 20 milhões (R$ 77,17 milhões), para conseguir completar a temporada regular, que se encerraria em duas semanas. Os playoffs começariam em seguida, com quatro equipes, mas o torneio pode ser extinto sem conhecer seu campeão.

Em 2020 uma outra liga paralela será lançada pelo empresário Vince McMahon, dono do WWE. Na verdade trata-se do relançamento da XFL, que já teve uma tentativa fracassada no passado. Serão oito times jogando uma temporada de dez semanas, começando no final de semana seguinte ao Super Bowl.