<
>

Trocas insanas, novela de Le'Veon Bell e posições que custam caro: veja os principais acontecimentos da Free Agency da NFL

play
NFL: Odell Beckham Jr. troca o New York Giants pelo Cleveland Browns (0:31)

Fernando Nardini conta sobre a troca envolvendo o wide-receiver (0:31)

A próxima temporada da NFL está longe de começar, mas isso não impede que o fã de futebol americano torça para a sua franquia.

A Free Agency é o momento que as franquias assinam com os jogadores que estão livres no mercado, resolvem os problemas do elenco e fecham contratos milionários. Assim, é normal que os torcedores queiram a acompanhar os times de perto.

Veja os cinco principais momentos que marcaram a Free Agency de 2019:

TROCAS INSANAS

Apesar de ser um momento de contratações, a Free Agency de 2019 foi caracterizada por trocas que impactaram a liga. Dois dos principais recebedores da NFL deixaram suas respectivas equipes, mudando assim, o cenário para a próxima temporada.

Antonio Brown, que jogou nove temporadas com a camisa do Pittsburgh Steelers, pediu uma troca após se desentender com o quarterback da equipe, Ben Roethlisberger. Depois de uma longa novela e um suposto acordo com o Buffalo Bills, Brown foi enviado para Oakland. Em troca por ele, os Raiders enviaram uma escolha de terceira rodada (66ª geral) e uma de quinta (141ª geral) do Draft de 2019.

Do outro lado, Cleveland conseguiu a peça que faltava para seu ataque, dando mais um alvo para o seu jovem QB Baker Mayfield. Os Browns ficaram com o wide receiver Odell Beckham Jr. e o defensive end Oliver Vernon. Em troca, o New York Giants recebeu o right guard Kevin Zeitler, o safety Jabrill Peppers, uma escolha de primeira rodada de 2019 (17ª geral) e uma de terceira (95ª rodada).

Outros jogadores também mudaram de time. O Kansas City Chiefs enviou o DE Dee Ford para o San Francisco 49ers. O Philadelphia Eagles também foi atrás de um recebedor e adquiriu DeSean Jackson do Tampa Bay Buccaneers.

OS PACKERS APOSTAM TUDO

O quarterback Aaron Rodgers está ficando mais velho e parece que o Green Bay Packers percebeu isso.

O elenco se mostrou muito frágil defensivamente na última temporada, sendo que a linha defensiva não pressionava o QB adversário e a secundária sempre estava exposta. Além disso, Rodgers não era bem protegido, ficando constantemente vulnerável.

Tentando melhorar o elenco, a franquia investiu muito dinheiro. Ao todo, foram contratados cinco jogadores, sendo que o valor total dos contratos chega a US$ 184,1 milhões (R$ 700 mi) e US$ 57,5 milhões (R$ 218,63 mi) da quantia são garantidos.

O recado que o Green Bay Packers deu nessa Free Agency era claro: eles querem vencer agora.

O edge Za’Darius Smith, que atuava no Baltimore Ravens, assinou com a equipe por 4 anos e US$ 66 milhões (R$ 249,20 milhões) – o que lhe dá uma média de US$ 16,5 milhões anuais. Green Bay também trouxe outro egde. Preston Smith, que defendeu o Washington Redskins na última temporada, fechou um contrata de quatro anos e US$ 52 mi (R$ 196,34 milhões).

O principal reforço veio a seguir. O safety Adrian Amos, que o Chicago Bears (rival de divisão dos Packers), fechou com a equipe e foi outro jogador a receber uma grande quantia de dinheiro. O jogador deve receber 9 milhões de dólares por temporada, sendo que assinará um contrato de quatro anos e US$ 36 milhões (R$ 135 milhões).

A equipe ainda tinha dinheiro suficiente para gastar em outros reforços, sendo que foi dado a Rodgers mais proteção e outro alvo para seus passes.

O guard Billy Turner assinou por 4 anos e U$$ 28 milhões de dólares (R$ 106,4 mi) e o tight end Mercedes Lewis, de 35 anos, chega para uma temporada e US$ 2,1 milhões (R$ 7,98 mi).

NOVELA DE LE’VEON BELL

Uma das maiores novelas da temporada passada chegou ao fim. O running back Le’Veon Bell, que se recusou a jogar pelos Steelers em 2018, terá um novo time na próxima temporada.

Ao final da temporada de 2017, o jogador teve grandes números. Foram 406 toques, 1,946 jardas e 11 touchdowns. Mas o jogador não recebeu a oferta que desejava para continuar em 2018.

A equipe ofereceu um contrato de quatro anos e US$ 70 milhões (R$ 266,15 mi), sendo que 33 milhões eram garantidos (R$ 125,47 mi). Na época, a ele recebeu o franchise tag, sendo mantido na franquia com um preço de US$ 14 milhões por um ano. Mas, Bell não se apresentou na temporada.

Agora, o jogador defenderá o New York Jets e assinou um contrato de quatro anos e US$ 52,5 milhões (R$ 199,62 mi), sendo que US$ 27 milhões são garantidos (R$ 102,66 mi).

Mas, ao que parece, a aposta de Bell não deu certo e o jogador receberá menos do que oferecido por Pittsburgh em 2017, sendo que "jogou fora" o salário da última temporada

POSIÇÕES QUE INESPERADAMENTE SE TORNARAM CARAS

Normalmente, as posições mais caras da NFL são os pass-rushers e os quarterbacks. Mas, esse ano, isso mudou. Muitos jogadores de secundária e linha ofensiva receberam salários enormes.

A Free Agency de 2019 estava recheada de grandes nomes na posição de safety, como Landon Collins, Earl Thomas, Tyrran Mathieu, LaMarcus Joyner e Adrian Amos. E, não à toa, a posição impressionou no salário recebido.

No conjunto, os jogadores receberam US$ 371 milhões (R$ 1,4 bilhões), sendo que 198 milhões (R$ 752 mi) eram garantidos. Collins, que assinou com Washington, atingiu um valor impressionante para a posição, fechando um acordo de seis anos e 84 milhões de dólares (R$ 319 mi).

A linha ofensiva também saiu feliz no período. Trenton Brown, Ja’Wuan James, Mitch Morse e Rodger Saffold irão receber acima de US$ 10 milhões por ano (R$ 38 mi), o que não costuma a ser comum na posição.

O que mais impressiona é o dinheiro garantido para a posição, na qual lesões são recorrentes. Ao todo, juntando a quantia de todos os contratados, os jogadores de linha ofensiva possuem US$ 204 milhões (R$ 775 mi) garantidos.