<
>

Brady, Gronkowski e até kicker: as dúvidas do New England Patriots para a temporada 2019 da NFL

O New England Patriots já comemorou o título do Super Bowl LIII de todas as formas, então agora é hora de olhar para o futuro, para a temporada 2019 da NFL.

Afinal, como já disse o técnico Bill Belichick no passado, a franquia larga um mês atrás dos rivais e nesta intertemporada a franquia terá muitas decisões para tomar.

O contrato de Tom Brady chega ao seu último ano, e também existem muitas dúvidas sobre o futuro de Rob Gronkowski. Além disso, são diversos contratos chegando ao fim, começando pela linha ofensiva e o corpo de recebedores, passando pela defesa e chegando até os times especiais.

Confira as principais questões que os atuais campeões do Super Bowl terão que tratar até setembro chegar.

Tom Brady

Não há dúvidas de que o camisa 12 voltará para mais uma temporada, mesmo aos 42 anos. A questão é que o quarterback pretende jogar até os 45 e entra em seu último ano de contrato, com um impacto de US$ 27 milhões na folha salarial.

Robert Kraft já deixou claro que renovará com o quarterback quantas vezes ele quiser, e é bem provável que Brady aceite mais um contrato amigável à franquia. Afinal, ele já abriu mão de cerca de mais de US$ 60 milhões ao logo da carreira para ajudar o time.

Rob Gronkowski

O tight end desconversa, mas admite que está pensando seriamente em pendurar as chuteiras após anos e anos como um dos mais dominantes jogadores da liga, e também um dos que mais se machucou.

A decisão do jogador também pode ser tomada em conjunto com os Patriots. No último ano Gronk não foi o jogador dominante de outrora, e sua aposentadoria representaria um grande alívio na folha salarial da franquia.

Wide-receivers

Exceto pelo MVP do Super Bowl, Julian Edelman, os principais recebedores de Tom Brady na temporada ficarão sem contrato. Chris Hogan, Cordarrelle Patterson e Phillip Dorsett vão ter que sentar para conversar sobre o futuro.

Dos três, Hogan foi quem mais teve bolas em sua direção (55), recepções (35) e jardas (532) na temporada regular, mas a atuação apagada no Super Bowl (seis vezes como alvo e nenhuma recepção) faz com que muitos apontem esta como sua despedida de New England.

Dorsett foi o que teve melhor aproveitamento (42 bolas em sua direção com 32 recepções e 290 jardas) na temporada regular, e recebeu um importante touchdown contra os Chiefs, na final da AFC. Patterson também teve aparições importantes com recepções, além de ser usado como runnning back e retornador, aparecendo no segundo time do All-Pro nesta temporada.

Ainda neste tópico, fica a dúvida sobre Josh Gordon, que se torna agente livre restrito, passa por tratamento, mas deixou uma ótima imagem dentro de campo na franquia.

Mais do ataque

Outra questão fica na linha ofensiva, já que Trent Brown substituiu perfeitamente Nate Solder na proteção de Brady, e agora vai chegar ao mercado.

É pouco provável que os Patriots abram a carteira para cobrir as ofertas que deve receber, e a aposta é que Isaiah Wynn, escolha de primeira rodada no último draft, seja testado na posição depois de perder o ano de calouro tratando de uma grave contusão no tendão de Aquiles.

Defesa

O principal nome é o de Trey Flowers, o principal pass rusher da equipe nas últimas três temporadas. Foram 57 tackles, 7,5 sacks, 20 acertos no quarterback, nove tackles para perda de jardas e três fumbles forçados na temporada regular, além de ser um dos pesadelos de Goff no Super Bowl.

Sem sombra de dúvidas, manter Flowers será a prioridade da franquia nesta intertemporada.

Além dele, ainda há incerteza sobre Jason McCourty, que teve uma temporada cheia de altos e baixos, mas brilhou no Super Bowl. O irmão gêmeo de Devin cogita a aposentadoria, mas também não tem mais contrato com New England, assim como seu ex-companheiro de Cleveland Browns, Danny Shelton, que viveu temporada parecida.

Especialistas

Stephen Gostkowski entrou na NFL em 2006 como substituto de ninguém menos que Adam Vinatieri, e agora tem o mesmo número de anéis que seu antecessor. Apesar de já ter errado alguns chutes importantes, ainda é um dos mais confiáveis kickers da NFL.

Outro a jogar com os pés, Ryan Allen foi questionado na última temporada, com Corey Bojorquez sendo trazido para concorrer pela vaga na pré-temporada. Porém, Allen respondeu bem, teve sua melhor média de jardas por punt desde 2015 e, brincadeiras à parte, foi um dos candidatos ao MVP do último Super Bowl.

Comissão técnica

Na temporada passada Belichick perdeu Matt Patricia, que foi para os Lions. O coordenador defensivo foi substituído por Brian Flores, que seguiu com o cargo de treinador dos linebackers e passou a chamar as jogadas defensivas. Agora, Flores vai para os Dolphins e leva com ele muitos outros assistentes.

Belichick repõe a perda na defesa com Greg Schiano, ex-coordenador de Ohio State que tem ótima relação com o treinador. Resta saber como as outras baixas serão repostas e se o ótimo trabalho defensivo apresentado nos playoffs vai continuar.