<
>

Super Bowl e o show do intervalo: valores, história, tamanho e até criação do YouTube

play
Mendel Bydlowski dá uma de kicker e se diverte no Futebol na Veia (6:19)

Correpondente dos canais ESPN acompanha direto de Atlanta a preparação para o Super Bowl (6:19)

O Super Bowl é muito mais que a final da temporada da NFL. É claro que a atração principal sempre será o duelo decisivo – desta vez entre Los Angeles Rams e New England Patriots -, mas há também quem ligue a televisão em busca de outra coisa: o show do intervalo. A ESPN e o WatchESPN transmitem o jogo e o show a partir das 21h (de Brasília).

Já houve até anos em que o show do intervalo rendeu mais espectadores que o jogo em si. O evento é tão grande que acabou até influenciando na criação de algo do tamanho do YouTube.

Desta vez, a responsabilidade por chefiar o espetáculo é da banda Marron 5. Mas já passaram pelo intervalo do Super Bowl nomes como Michael Jackson, Paul McCartney, Rolling Stone, Madonna, Lady Gaga entre outros.

E isso tudo mesmo sem oferecer um centavo aos cantores!

O ESPN.com.br explica tudo isso para você e conta a história do show do intervalo do Super Bowl!

O show deste ano

Não foi tão fácil achar a banda perfeita para esta temporada.

Segundo a Billboard, três artistas recusaram o convite desta vez, em solidariedade a Colin Kaepernick, afastado da liga por conta de protestos contra o racismo. E os nomes eram de um peso enorme: Rihanna, Pink and Cardi B.

Mas o Maroon 5 disse ‘sim’ e chega como uma das bandas mais populares do mundo. Curiosamente, o conjunto é de Los Angeles, casa dos Rams.

Junto à banda, outros dois rappers vão se apresentar: Travis Scott e Big Boi. Foi também uma tentativa da NFL em agradar a cultura local de Atlanta, que tem o rap como forte estilo musical. E Big Boi é nativo de Atlanta.

O tamanho do show

O show do intervalo é definitivamente enorme. Em 2014, por exemplo, Bruno Mars e Red Hot Chili Peppers fizeram um espetáculo com mais audiência do que o próprio Super Bowl, entre Seattle Seahwaks e Denver Broncos.

Mas a maior de todas as apresentações aconteceria no ano seguinte. Kate Perry com seus famosos tubarões quebraram o recorde com 120,7 milhões de espectadores ao vivo. A NFL ainda fez contas com suas redes sociais e disse que 150 milhões assistiram à apresentação.

E o número é ainda mais impressionante quando o analisamos melhor. Só oito países no mundo todo têm mais de 150 milhões de habitantes: China, Índia, Estados Unidos, Indonésia, Brasil, Paquistão, Nigéria e Bangladesh.

O valor do espetáculo

A NFL não paga a nenhum artista pelo show do intervalo - a única exceção foi Michael Jackson, em 1993. Mas então por que bandas tão grandes aceitam tocar?

Simples: o ganho com a exposição é enorme. Depois do espetáculo, o número de vendas de álbuns e músicas aumenta demais. Há pesquisas de um acréscimo de cerca de 1.000% nas vendas.

A história do show

1967-1969 - A era das bandas universitárias

Os três primeiros Super Bowl tiveram shows do intervalo discretos, conduzidos por bandas de universidade próximas do evento

1970-1985 - A era do entretenimento

1986-1992 - A era dos grande palcos

Os grandes palcos aparecem pela primeira vez. E o show vai começando a tomar o formato que tem atualmente. Em 1982, o primeiro grande palco é montado, entre as duas linhas de 32 jardas.

1993-2004 - A era das estrelas

Michael Jackson marca o início de um espetáculo completamente diferente, muda tudo de patamar. Ninguém mais vai ao banheiro no intervalo. É melhor perder parte do jogo do que o show do intervalo. Michael leva toda a cultura pop para o espetáculo. E termina o show com mais de 3.500 crianças em campo.

Em 1996, Diana Ross mostra de novo o tamanho da transformação do show em espetáculo e é retirada do show em um helicóptero enquanto cantava "Take me higher" ("Leve-me para o alto", em tradução literal). Em 2002, o U2 emociona o público com uma homenagem às vítimas dos atentados terroristas de 11 de setembro.

E em 2004 o famoso Nipplegate mudou mais uma vez o panorama. Justin Timberlake rasgou a roupa de Janet Jackson e deixou o seio dela a mostra. O episódio fez as TVs começarem a transmitir o show com segundos de atraso e resultou até no surgimento do Youtube.

Mais tarde, Jawed Karim, um dos funfadores do YouTube, admitiu que o episódio teve papel fundamental na criação da rede de vídeos. Ele não tinha onde assistir o acontecimento no dia seguinte e pensou na hora que precisava de um local que reunisse todos esses vídeos.

2005-2010 - A era dos roqueiros

O episódio do ano anterior causou uma ruptura entre a NFL e as bandas pop. As bandas de rock eram uma aposta mais converservadora, mas que poderiam manter o espetáculo em alto nível.

Em 2005, Paul McCartney se torna o primeiro e único - Beatle a tocar no Super Bowl. No ano seguinte, os Rolling Stones assumem o show, com palco impressionante com o logo da banda.

2011-... - A volta com tudo do pop

Na era das redes sociais, o pop precisa voltar. E volta mais forte do que nunca. O show do intervalo atinge um patamar antes inimaginável. Quem retomou o espetáculo foi o Black Eyed Peas, com participação surpresa de Slash. No ano seguinte, Madonna, a rainha do pop, se apresenta.

Em 2014, Bruno Mars e Red Hot Chili Peppers fazem um show maior que o jogo: 115,3 milhões de espectadores, quatro milhões a mais que a partida. Na temporada seguinte, Kate Perry faz o maior show da história - como dito acima.

Em 2017, quem roubou a cena foi Lady Gaga - e Everaldo Marques. Ela surgiu do teto e desapareceu no fim. Precisa dizer mais? Só que ele é RIDÍCULA!

* Fotos Getty Images

Quem vence?