<
>

Super Bowl LIII: 10 histórias curtinhas que você não ouviu sobre Rams x Patriots

play
Super Bowl LIII: Brady, aposentadoria de Gronkowski, técnicos e os motivos para você não perder Rams x Patriots (1:38)

Saiba por que você precisa estar ligado na ESPN e no WatchESPN às 21h! (1:38)

Los Angeles Rams e New England Patriots decidem o Super Bowl LIII neste domingo, às 21h, com transmissão da ESPN e do WatchESPN. A final apresenta um belo enredo, com o legado de Tom Brady, o duelo de gerações entre treinadores e a rivalidade entre Boston e LA chegando ao futebol americano.

Mas existem mais histórias dentro de campo do que o fã de NFL imagina. Com 106 atletas nos dois elencos, sobram narrativas inusitadas, surpreendentes ou de superação.

Tem legião nigeriana, empreendedor nos ‘games’, batalha contra o câncer, gêmeos lado a lado...

Leia 10 curtas histórias que você pode ainda não ter ouvido sobre o Super Bowl e fique ligado na ESPN e no WatchESPN, à partir das 19h30, com o Abre o Jogo da grande decisão!

1. KhaDarel de D'Lo: uma cidade de 500 pessoas

Wide receiver reserva dos Rams, o calouro KhaDarel Hodge – além de ter um nome incrível – saiu de um lugar improvável. O atleta de 24 anos nasceu e cresceu na “enorme” cidade de D'Lo (sim, é esse mesmo o nome), que tem aproximadamente 500 habitantes.

2. Seis títulos estaduais de luta olímpica nos Rams

A linha ofensiva precisa de força bruta e contato – algo que não falta nos Rams. O center John Sullivan e o guard Austin Blythe têm, cada um, três títulos estaduais de luta olímpica em suas carreiras no ensino médio.

3. Das escolas de crianças ‘especiais’ para o Super Bowl

Lawrence Guy é hoje um importante jogador de linha defensiva do New England Patriots, mas nem sempre teve seu valor reconhecido. Quando criança, ele foi diagnosticado com TDAH (transtorno do déficit de atenção e hiperatividade), dislexia e cegueira numérica. A escola não sabia o que fazer e o despachou para estudar com outros garotos chamados de “especiais”. Graças a seu pai e à ajuda de especialistas, o camisa 93 tornou-se um excelente aluno (e atleta!) na faculdade.

4. Três nigerianos em Atlanta

Nem um, nem dois, mas três. A Nigéria estará bem representada no Super Bowl, com Obiajulu Melifonwu, Samson Ebukam e Ufomba Kamalu nos elencos de New England Patriots e Los Angeles Rams. O primeiro tem pais nigerianos, o segundo nasceu e cresceu por lá, enquanto o último é americano, mas morou 13 anos no país africano;

5. Guard, fundador e dono de time de e-Sports

Rodger Saffold não é só um guard titular do Los Angeles Rams. Ele também é entusiasta dos games, fundador e dono do Rise Nation, time de e-Sports que atua no cenário Call of Duty e Rainbow Six, jogos de tiro em primeira pessoa.

6. Venceu na NFL e na batalha pela vida

Marcus Cannon era um ótimo prospecto vindo da universidade em 2011, mas foi selecionado apenas na 5ª rodada pelos Patriots. O motivo? Estava prestes a enfrentar a maior batalha de sua vida, contra o câncer. O right tackle venceu os linfomas não-Hodgkin e a doença está em remissão há mais de sete anos.

7. O último estudante

Aqib Talib, o principal cornerback do Los Angeles Rams, ganhou esse nome de sua mãe muçulmana. Aqib significa “último” e é um apelido ao Profeta Maomé, considerado o último profeta pela religião islâmica. Talib, por sua vez, significa “estudante”.

8. Das ligas alternativas para a grande final

James Develin virou um xodó da torcida com a explosão de jardas terrestre dos Patriots nos últimos jogos. O fullback de New England foi ignorado por todos os times da NFL após sua carreira universitária e atuou por duas franquias em ligas alternativas: o Oklahoma City Yard Dawgz, da Arena Football League, e o Florida Tuskers, da United Football League.

9. Juntos até na internet

Os defensive backs Devin e Jason McCourty são como carne e unha. Gêmeos, eles cresceram e jogaram juntos até a faculdade, onde defenderam Rutgers. Foram separados na NFL: Devin para os Patriots, Jason para os Titans. Depois de novo anos, Jason agora faz sua primeira temporada por New England – e até suas redes sociais são conjuntas!

10. Finalmente vencedor

Andrew Whitworth sempre foi exemplo de grande jogador sem sorte: em 11 temporadas pelos Bengals, foi para quatro Pro Bowls e nunca venceu nenhum jogo de playoff. O primeiro triunfo do left tackle só veio neste ano, em sua 13ª temporada! Agora, o atleta de 37 anos quer ‘tirar o atraso’ e conquistar o Super Bowl.