<
>

Super Bowl: defensor dos Rams diz que Brady não é mais o mesmo e revela ódio pelos Patriots

play
Na NFL, defensor dos Rams admite falta contra os Saints, dá risada e manda recado: 'Vocês ouviram o árbitro' (0:45)

Nickell Robey-Coleman brincou com o lance que eliminou New Orleans e ainda agradeceu arbitragem (0:45)

O Super Bowl LIII entre Los Angeles Rams e New England Patriots é só no domingo, mas a guerra de declarações já começou. Nesta segunda-feira, o cornerback Nickell Robey-Coleman elogiou o rival Tom Brady, mas não deixou de dar sua alfinetada.

“A idade cobrou seu preço. Ele ainda estar atuando, é um grande elogio para ele. Mas ele definitivamente não é o mesmo quarterback que era”, disse ao Bleacher Report o defensor que ficou famoso por fazer uma falta que levaria o New Orleans Saints à decisão da NFL – infração essa que não foi marcada pela arbitragem.

“Movimento. Velocidade. Rapidez. Força do braço. Ele ainda consegue lançar forte, mas não tanto quanto antes. O que quer que ele esteja fazendo – por causa da idade e tal – ele não está fazendo mais tanto. Às vezes, ele não é dois mais precisos, mas ainda dá conta”, afirmou o camisa 23.

Robey-Coleman também já tem um plano para reduzir a produção do comandante do ataque de New England neste domingo, dia 3 de fevereiro. A ESPN e o WatchESPN transmitem o evento à partir das 21h, com Abre o Jogo às 19h30.

“Temos que ficar conectados e ele vai, lentamente, começar a se revelar”, disse. “Enfie uma adaga neles. Eles não são um time com o qual você quer ficar brincando. Enfie uma adaga e não a deixe fincada. Tire. E deixe eles sangrarem, lentamente. Mate-os lentamente. É assim que você os bate”, afirmou o defensor.

Ódio por New England

As fortes palavras de Robey-Coleman têm um motivo. O sentimento do atleta por seus rivais no Super Bowl LII não é nada positivo.

“Tenho sangue de Buffalo correndo nas minhas veias, então você sabe que eu odeio esses caras”, afirmou.

Nickell jogou quatro anos nos Bills, que são rivais dos Patriots e nunca tiveram sucesso durante a “era Brady-Bellichick”.

“Eu naturalmente os odeio. Nunca gostei de New England”, finalizou.