<
>

NFL: Patriots comemoram 25 anos sob comando de Robert Kraft, o homem que mudou a história da franquia

play
Na NFL, Patriots vão de novo ao Super Bowl, e Brady ganha elogio de Edelman: 'Tem o gene da decisão' (0:08)

Wide receiver de New England falou sobre o DNA vencedor de seu quarterback (0:08)

Pelo terceiro ano seguido o New England Patriots comemora o título da Conferência Americana e se prepara para a disputa de um Super Bowl, no próximo dia 3 de fevereiro, em Atlanta.

Trata-se da nona final nos últimos 17 anos, uma verdadeira dinastia que era difícil de se imaginar há exatos 25 anos, quando Robert Kraft gastou o então valor recorde de US$ 172 milhões para adquirir a franquia que corria sério risco de deixar Boston.

"Algumas pessoas pensam que é besteira gastar tanto dinheiro por apenas um jogo. Mas para aqueles que não são fãs, deixe-me te explicar que este jogo segura a atenção da comunidade e de comunidades ao redor deste país de agosto até janeiro de uma forma que é difícil de explicar se você não é chegado", disse ao anunciar a compra.

"E isso realmente impacta no psicológico e a formação da comunidade, e esta é minha cidade natal e eu acredito que ela não seria a mesma se o time tivesse saído daqui", completou.

Em 21 de janeiro de 1994, os Patriots viviam um jejum de sete anos sem ir aos playoffs, revezando entre último e penúltimo da divisão (então com cinco times) nas últimas cinco temporadas.

Dois anos antes a campanha de duas vitórias e 14 derrotas rendeu a primeira escolha do draft, mas a primeira temporada de Drew Bledsoe, quarterback que foi recrutado, não conseguiu ajudar com mais do que cinco vitórias.

Kraft era dono do antigo Foxborough Stadium, pelo qual havia pago US$ 25 milhões. O então proprietário dos Patriots James Orthwein ofereceu um pagamento de US$ 75 milhões para romper o vínculo da franquia com o estádio, abrindo as portas para uma cogitada mudança para St. Louis. E a oferta foi considerada.

"Eu lembrei de quando os Braves deixaram a cidade. Uma parte de mim morreu quando aquilo aconteceu", disse Kraft, lembrando da perda do time da franquia da MLB, que foi para Milwaukee em 1953 e depois para Atlanta.

"Isso me atingiu como se caso eu não fizesse aquilo, talvez eu nunca tivesse uma chance. Exitem times como os Giants, Steelers e Bears, que estão na mesma família há 99 anos. As vezes você precisa tomar a frente", disse.

"Eu era um torcedor sentado na arquibancada. Lembro quando Earl Campbell, em 78, correu sobre nós em nosso único jogo de playoff em casa. Nós perdermos e eu me senti mal. Eu apenas pensei como as coisas poderiam ser se eu tivesse a chance de coordenar isso", encerrou.

Inquestionavelmente o maior acerto da gestão aconteceu em 2000, quando Kraft comprou uma briga com o New York Jets para tirar Bill Belichick da franquia rival. Em troca pelo treinador, os Patriots perderam a escolha de 1ª rodada do draft, mas acabaram recrutando Tom Brady na sexta rodada.

Nos 25 anos sob a tutela da família Kraft, os Patriots acumulam 22 temporadas com mais vitórias do que derrotas e se preparam para o 10º Super Bowl, sonhando com o sexto título para igualar o Pittsburgh Steelers como os maiores campeões do troféu Vince Lombardi. Hoje, segundo o levantamento da revista Forbes, a franquia vale US$ 3,7 bilhões.

Nada mal!