<
>

NFL: Os erros de kickers que custaram caro nos playoffs

Cody Parkey se tornou um dos mais conhecidos kickers de toda a NFL. Mas é claro que não pelo lado positivo.

Depois de perder o field goal que daria a classificação do Chicago Bears contra o Philadelphia Eagles, ele recebeu apoio de astros como Dwyane Wade e Kobe Bryant, ficou comprovado que houve um desvio no meio do caminho, mas seu nome ainda causa arrepios nos torcedores.

Pois a sexta (isso mesmo) bola na trave de Parkey na temporada não foi a única vez que a frustração de toda uma torcida veio por causa de um chute.

Confira algumas das principais vezes em que os pés de um kicker foi responsável pelo fim de um sonho em playoffs.

BLAIR WALSH – wild card de 2015

O TCF Bank Stadium servia de casa para o Minnesota Vikingsenquanto o U.S. Bank Stadium não ficava pronto. E foi no congelante frio de Minneapolis que Blair Walsh entrou para a lista negra do torcedor da casa.

Os Vikings mantiveram o Seattle Seahawks sem pontuar por três quartos, mas perdiam por 10 a 9 nos segundos finais, quando o time da casa teve a chance da vitória com um chute fácil, de apenas 27 jardas. Fácil? Bem, não foi fácil nem de esquecer.


BILLY CUNDIFF – Final da AFC de 2011

O New England Patriots foi para a final da Conferência Americana nos últimos sete anos, mas na primeira vez desta sequência, a equipe de Tom Brady contou com Billy Cundiff para voltar a disputar um Super Bowl.

Sendo honesto, a primeira ajuda de um jogador do Baltimore Ravens veio de Lee Evans, que não conseguiu segurar o passe dentro da endzone, perdendo o controle após o tapa de Sterling Moore. Aí veio o chute de 32 jardas que mandaria o jogo para a prorrogação, mas acabou mandando New England para a decisão.


JAN STENERUD – Semi da AFC de 1971

Imagine uma tarde de Natal em que o mais longo dos jogos terminou com a maior das frustrações para a torcida que foi ao estádio municipal de Kansas City.

Pois o dia 25 de dezembro de 1971 viu o duelo entre o Kansas City Chiefs e Miami Dolphins ser equilibrado ao ponto do placar de 24 a 24 perdurar até mesmo depois de uma primeira prorrogação, encerrando apenas no segundo tempo extra, com um chute de Garo Yepremian.

Tudo isso seria desnecessário se Jan Stenerud tivesse mandado no alvo o chute de 32 jardas no minuto final do jogo. Isso sem falar de um chute bloqueado na prorrogação. Que presentão.


SCOTT NORWOOD – Super Bowl XXV

O nome de Scott Norwood explodiu nas redes sociais após o erro de Parkey.

Afinal, o drama do kicker dos Bears pode ser considerado até pequeno perto do que passou o então kicker do Buffalo Bills, que chegava ao primeiro Super Bowl de sua história.

O placar era de 20 a 19 para o New York Giants e com apenas oito segundos no relógio veio a chance do chute de 47 jardas. Não era algo automático, mas o erro ficou marcado como o início de uma maldição que seria sucedida por outras três derrotas em sequência na grande decisão da NFL.

Um pesadelo que certamente ainda assombra Norwood. Sua única sorte foi isso ter acontecido em um período sem redes sociais.