<
>

O 'Milagre de Miami', Mahomes sem olhar, Seattle na linha de uma jarda, e mais: o resumo da Semana 14 da NFL

play
Na NFL, estrela dos Rams diz que parecia um gambá contra os Bears: 'Nós jogamos que nem m...' (0:21)

Todd Gurley pediu desculpas pela atuação de Los Angeles em Chicago e mostrou sua frustração (0:21)

Tom Brady bateu o recorde de Peyton Manning como jogador que mais passou para touchdowns na história da NFL (contando playoffs), mas quem se importa? A notícia em Miami foi apenas o milagroso touchdown de Kenyan Drake, com o relógio já zerado.

E mesmo que Rob Gronkowski tenha feito sua melhor partida na temporada, fazia todo sentido ele sair fazendo duras críticas contra si. Afinal, só se fala na impressionante e inesquecível jogada que deu a vitória ao Miami Dolphins.

Mas a Semana 14, por incrível que pareça, teve mais do que isso. Confira o que você pode ter perdido enquanto pensava na jogada de Miami.

O MILAGRE DE MIAMI

É claro que não tem como começar a falar da semana 14 e não destacar o touchdown da vitória do Miami Dolphins contra o New England Patriots.

A esta altura do campeonato você já assistou o lance algumas dezenas de vezes, seja para comemorar, para tentar acreditar, ou para determinar de quem foi a culpa (Gronk? O que ele estava fazendo em campo?).

Mas será que além da reação de Paulo Antunes, a versão com a música tema de Titanic tocando no fundo, entre outras, você já acompanhou o lance na versão 8-bits? Pois aí vai.

E a reação do "vovô" torcedor dos Patriots?


MAHOMES OU RONALDINHO?

Já perdemos a conta de quantas vezes Pat Mahomes nos impressionou (mas provavelmente teve um lance dele em cada uma das semanas da temporada), só que o garoto segue aprontando e obrigando a sermos repetitivos.

Se Ronaldinho Gaúcho abusava dos passes sem olhar, o quarterback dos Chiefs levou a arte para outro patamar.


SÉRIO, SEATTLE?

O histórico de Seattle na beira da end zone não é de grandes memórias para o torcedor dos Seahawks. Menos mal que na noite de segunda-feira a interceptação não foi retornada, ou teve implicações mais graves no placar.

Mas será que não vale a pena investir mais na corrida? Só para variar?


QUEM VAI FAZER A PRÓXIMA INTERCEPTAÇÃO?

A defesa dos Bears simplesmente destruíu o poderoso ataque do Los Angeles Rams e ganhou protagonismo até mesmo nas jogadas de ataque do time.

Mas alguém precisa avisar o restante do time que o conceito de “atropelar” é apenas contra os rivais – e por mais que arbitragem jogue contra de vez em quando, não se classifica nessa condição.


UNS ATROPELAM, OUTROS REBOCAM

Os Saints conseguiram a revanche contra os Buccaneers e levaram para casa o título da NFC Sul.

E quase que o Mark Ingram levou Andrew Adams para Nova Orleans, rebocando o defensor do rival. A festa no vestiário foi mais do que merecida.


TROCA O PNEU, BOSWELL

Os Steelers estavam perto de superar até mesmo as próprias escolhas questionáveis (poupar Big Ben? Sério?), mas Boswell não colocou o “pneu de chuva”, e o field goal da vitória ficou longe de entrar.

A situação ficou delicada em Pittsburgh, que tem jogos complicados pela frente e corre sério risco de até mesmo ficar fora dos playoffs. Mesmo tendo no elenco monstros como JuJu Smith-Schuster.


FALANDO EM ESCORREGAR…

O Atlanta Falcons começou a temporada sonhando em ser o primeiro time a disputar um Super Bowl em seu estádio, mas viu tudo ir abaixo em uma velocidade assustadora. O sonho escapou pelos dedos como essa bola de Matt Ryan.