<
>

O inesquecível Rams e Chiefs, a triste lesão de Alex Smith, e muito mais: o resumo da Semana 11 da NFL

A Semana 11 da NFL terminou e ainda estamos tentando recuperar o fôlego depois do jogaço entre Los Angeles Rams e Kansas City Chiefs, no Monday Night Football.

Apesar da noite da segunda-feira ter sido inesquecível, a rodada teve outros momentos memoráveis, pelo lado positivo do termo e também pelo triste lance envolvendo o quarterback Alex Smith.

Confira nosso resumo da 11ª semana da temporada.

COMEÇANDO COM O JOGÃO

Não há como não falar do grande jogo entre Rams e Chiefs, já proclamado o melhor jogo da história do Monday Night Football.

Os números mostram que a partida foi espetacular, e os dois ataques fizeram o que deles se esperava. Até por isso o destaque aqui vai para a defesa dos Rams. Foram três interceptações e dois strip sacks em cima de Patrick Mahomes , que mesmo assim terminou o jogo com 478 jardas e seis passes para touchdown (como?).

E a representação deste estranho sucesso da defesa fica com Samson Ebukam, que teve um sack, uma interceptação e dois touchdowns defensivos.

CONEXÃO PARA TD... MAS DO OUTRO LADO

A famosa “Pick 6” deu as caras em dois belos lances no final de semana.

No palco do Sunday Night Football a vítima foi Kirk Cousins, que segue sua sina no horário nobre, agora com 4-12 na carreira, e um oferecimento do “regente” Eddie Jackson.

Mais cedo, Alex Smith tinha provado a ira do calouro Justin Reid, dos Texans, que correu simplesmente 101 jardas para transformar a interceptação na própria endzone em um touchdown.

Mas quem dera que esta fosse a pior problema de Smith neste jogo.

TRISTE COINCIDÊNCIA

A primeira temporada de Alex Smith com a camisa do Washington Redskins chegou ao fim antes do previsto, com a equipe liderando a NFC Leste e sonhando com a volta aos playoffs.

O quarterback teve confirmada a fratura da fíbula e da tíbia após sofrer um sack no jogo contra o Houston Texans. Uma imagem horrível, e que atingiu especialmente uma pessoa que estava nas arquibancadas do FedEx Field.

No dia 18 de novembro de 1985, exatos 33 anos atrás, Joe Theismann foi sacado por Lawrence Taylor, dos Giants, em um lance considerado por muitos como o mais feio da história da NFL. O então QB dos Redskins fraturou justamente a tíbia e a fíbula, também da perna direita, mas com uma fratura exposta naquele caso.

Theismann, cuja carreira se encerrou após aquele lance, preferiu virar o rosto e não ver nenhuma repetição do lance com Smith, que agora não sabe como será seu futuro. E os Redskins vão de Mark Sanchez.

DISCUTINDO A RELAÇÃO

Enquanto não param de surgir boatos de insatisfação nos vestiários com o trabalho de Jon Gruden, a situação ficou mais visual na vitória do Oakland Raiders sobre o Arizona Cardinals.

As coisas pareceram quentes entre o treinador e o quarterback Derek Carr, aparentemente irritado com as chamadas que resultaram em um “three and out”, entre outros lances do jogo.

DEU PARA O GASTO

A lesão de Joe Flacco fez com que Lamar Jackson, calouro ganhador do Heisman em 2016, tivesse sua primeira oportunidade como quarterback titular dos Ravens. Ele saiu com uma vitória, mas não foi exatamente por ter lançado bem.

Foram 13 passes completados em 19 tentativas, com 150 jardas e uma interceptação, além desse “presta atenção” direto na cabeça do companheiro de time.

Mas com as pernas, Jackson fez a diferença contra os Bengals. Ninguém tentou tantas corridas quanto ele no domingo (27), e foi ele o líder em jardas terrestres na partida (117).

O FATOR MACK

É claro que o Chicago Bears, líder da NFC Norte, não é apenas Khalil Mack, mas não tem como negar que o camisa 52 é especial.

Ou você acha que é qualquer um que derruba um jogador de 135 kg com apenas uma das mãos?

JULIO JONES: RECEBEDOR E SAFETY

Julio Jones voltou a anotar touchdowns e deixou o dele contra os Cowboys, terminando o domingo com seis recepções e 118 jardas.

Mas o wide receiver também mostrou que poderia quebrar um galho como safety, não? Olha só que pancada ele mandou para evitar uma interceptação fácil em cima de Matt Ryan.

Pena que a defesa não conseguiu contar com os serviços de Jones durante todo o jogo, e permitiu mais de 200 jardas totais de Ezekiel Elliott na vitória dos Cowboys, que incrivelmente estão vivos na luta por playoffs.

Big Ben dá, Big Ben tira

Jalen Ramsey provocou Ben Roethlisberger antes do início da temporada e no reencontro entre Jaguars e Steelers, o defensor fez sua parte. Foram duas interceptações em mais um jogo que parecia um pesadelo para o QB de Pittsburgh.

Porém, Blake Bortles não conseguiu fazer com que o ataque de Jacksonville aproveitasse as chances e Big Ben teve a bola em suas mãos com poucos segundos no relógio.

Está certo que teve um drop do Conner e uma interceptação na endzone que foi revertida por uma falta da defesa no lance. Só que Big Ben se redimiu.

ANDREW LUCK ESTÁ REALMENTE DE VOLTA

Andrew Luck não sofre um sack há cinco jogos e está se sentindo seguro para mostrar que realmente está recuperado e ainda tem aquele talento que o fez ser a primeira escolha do draft.

Mas o camisa 12 dos Colts precisa entender que seu talento é para passar, não para receber passes.