<
>

'Detail': Peyton Manning analisa e aconselha Pat Mahomes, QB dos Chiefs e sensação da NFL

Não é segredo para ninguém que Patrick Mahomes tomou a NFL como um furação, liderando o Kansas City Chiefs para um começo 9-1. Mas como o quarterback, em sua segunda temporada na NFL, se sai quando é analisado pelo líder histórico em passes para touchdown, futuro membro do Hall da Fama, Peyton Manning?

O ex-quarterback que liderou o rival dos Chiefs, o Denver Broncos, ao título do Super Bowl 50, analisou o jogo da Semana 8, justamente contra sua ex-equipe.

Confira, então, alguns pontos levantados por Manning.

Manning não faz ideia de como chamar Mahomes

Apesar de estar em seu segundo ano, 2018 é o primeiro de Mahomes como titular. Então é normal que existam dúvidas sobre seu nome, apelido, pronúncia, etc.

“Vamos olhar Patrick Mahomes, Pat Mahomes, ou qualquer outra forma que você queira chama-lo. Vamos apenas dizer que é o ‘quarterback pegando fogo que está aí tomando conta de tudo e tem sido bem divertido de se assistir’”.

NFL é diferente do College

Em uma das primeiras jogadas da partida, Mahomes comete um erro que Manning diz ser frequente daqueles que acabaram de chegar da universidade. Após o snap, em posição shotgun, o quarterback tenta fugir da pressão e volta mais de 10 jardas, distanciando-se de sua linha ofensiva, antes de se livrar da bola.

“Os tackles esperam que o quarterback recue cerca de sete jardas antes de dar passos para a frente no pocket”, disse o ex-jogador, ressaltando que o pocket é o lugar mais seguro do campo e se você se afundar contra uma defesa com Von Miller, pode ter problemas.

Impressionando com a habilidade atlética

Manning é mais um a ficar encantado com a facilidade de Mahomes em fazer passes. Era uma jogada em que o alvo primário estava bem marcado, mas o QB improvisou para lançar em direção à Travis Kelce.

“Eu o vi fazer muitos passes assim neste ano, e é impressionante. São passes desajustados. São passes em que seus pés não estão perfeitamente alinhados, e que mostram sua habilidade atlética, e seu passado com o beisebol”, disse, lembrando que o pai de Patrick foi jogador da MLB.

“Digo aos quarterbacks, quando você tiver a chance de ter seus ombros corretos, e os pés alinhados, façam, pois não é um lançamento que qualquer um consegue fazer”, recomendou.

Quase um “Montana para Clark”

Na análise, Peyton identifica que os Chiefs tentaram repetir a “Spring Right Option”, jogada que ficou imortalizada no San Francisco 49ers, no passe de Montana para o TD da vitória de Dwight Clark na final da NFC de 1982.

Neste caso, porém, Mahomes não completou o passe para Kelce, e Manning apontou Tyreek Hill como o culpado. Como? O recebedor demorou para sair da linha de scrimmage após o snap e isso fez com que ele não conseguisse chamar a marcação, além de quase trombar com Kelce na rota.

Alerta nos fumbles

Mahomes sofre um fumble no snap de uma quarta tentativa para TD, na linha de uma jarda, mas o lance é parado por uma saída falsa. A falta, contudo, não impediu a bronca de Manning sobre o acontecido.

“Um fumble em snap por temporada é muito”, disse ele, lembrando que passava muito tempo fazendo repetições com Jeff Saturday, seu center por muito tempo, e isso ajudou com que não sofresse um fumble sequer durante o chuvoso Super Bowl XLI.

Aprendendo a não ser tão competitivo

O maior erro de Mahomes naquele jogou foi quando ele tentou forçar uma bola em Kelce, que estava bem marcado. O passe acabou indo por cima e resultou em uma interceptação.

Manning então aconselhou Mahomes a “não ser tão competitivo” em cada jogada, e lembrou do conselho que ouviu de David Cutcliffe, que foi coordenador de ataque de Tennessee durante sua época de futebol americano universitário.

“A coisa mais importante sobre cada jogada é que você mantenha a posse da bola no final de cada uma delas”, disse Cutcliffe.