<
>

De volta à NFL, Reid afirma ter mais motivos para protestar: 'Temos que nos manter fortes'

Primeiro jogador a se juntar a Colin Kaepernick nos protestos durante o hino nacional norte-americano, Eric Reid voltou a jogar na NFL neste domingo, fazendo sua estreia pelo Carolina Panthers na vitória sobre o New York Giants. Antes do jogo, ele seguiu protestando.

“Todo mundo aqui (no vestiário), todo mundo que assiste o jogo (e) todo mundo no país sabe do que estamos falando. É a verdade. Você não pode negar isso. Só temos que fazer mais para melhorar isso”, disse o jogador, que mantém sua postura contra a violência contra minorias no país.

“As pessoas que não querem que as coisas mudem, pessoas que querem manter o status quo.. eles têm que subverter. Elas têm que mudar o foco. Eles têm que sair daquilo que estamos tentando conquistar. Temos que nos manter fortes. Temos que seguir diligentes”, completou.

Reid assinou com os Panthers após ficar sem contrato desde março, quando se encerrou seu vínculo com o San Francisco 49ers. Durante este período, ele chegou a conversar com o Cincinnati Bengals, mas não assinou após não responder se iria seguir protestando.

Nos Panthers, a pergunta não foi feita e antes do jogo Reid apenas comunicou o técnico Ron Rivera e seus colegas de time que voltaria a se ajoelhar. Segundo ele, há ainda mais motivos para não permanecer calado.

“Nesta manhã eu descobri que o oficial que matou Tamir Rice (garoto de 12 anos que foi alvejado em Cleveland, há quatro anos) foi recontratado. Acho isso inaceitável. (Brett) Kavanaugh (que teve três acusações de agressões sexuais), foi eleito para a Suprema Corte. Isso é inaceitável”, disse.

“Sinto que o país está andando para trás. A única forma de mudar isso é seguir falando sobre isso, seguir alertando, seguir fazendo o que estamos fazendo”, completou.

Apesar de não ter sido acompanhado nos protestos, Reid recebeu apoio dos colegas de time.

“Eu disse para ele que eu o apoiaria irrestritamente, não importava o que ele fizesse. Queria deixa-lo confortável para fazer o que ele fez. Ele adicionou um senso de cultura para nosso time, e estamos aproveitando isso”, disse o defensive end Julius Peppers, que o abraçou.

Reid também aproveitou para deixar claro de que não se esqueceu do ex-companheiro de time, Kaepernick, que segue sem ter um time para jogar na NFL desde o final da temporada de 2016.

“É um sentimento ambíguo. Eu venci o jogo, mas Colin está em casa com meus filhos. Ele deveria estar jogando”, afirmou.

A contratação de Reid, que processa a liga por conluio, aconteceu após o veterano safety Da’Norris Searcy ter sido colocado na lista dos contundidos após uma sequência de concussões.