<
>

NFL: Em homenagem ao pai, jogador do Chicago Bears joga com mesma camisa desde a escola

Neste domingo, às 21h20 (de Brasília), o Chicago Bears viaja até o Lambeau Field para encarar o arquirrival Green Bay Packers, no primeiro Sunday Night Football, que terá transmissão exclusiva da ESPN e do WatchESPN.

Em campo, o running back Jordan Howard entrará para disputar sua terceira temporada com a equipe de Illinois, ostentando o número 24 e vestindo, por baixo de tudo, uma mesma camiseta que usa desde a sétima série.

A surrada vestimenta traz uma foto do sorridente Reginald “Doc” Howard, vestindo um smoking, acompanhado da frase “Em memória ao meu pai”.

Reginald foi quem primeiro cultivou em Jordan o sonho de um dia jogar na NFL, mas ele não chegou perto de ver seu garoto brilhar. Quando o running back tinha apenas 12 anos, o pai faleceu aos 52 anos, vítima de uma fibrose pulmonar.

“Ele era meu melhor amigo. Fazíamos tudo juntos”, disse o jogador em entrevista ao Chicago Tribune.

Para garantir que a camisa serviria com o passar dos anos e seu esperado crescimento, Jordan Howard cortou as mangas e fez aberturas nas laterais. Foi o suficiente para fazer com que sua homenagem e “amuleto” o seguisse da escola até a universidade e, enfim, a NFL.

Não foi a única lembrança que ele guardou do pai. Aos 15 anos, Jordan Howard mudou seu nome, passando a se chamar, legalmente, Jordan Reginald Howard.

Visualizar esta foto no Instagram.

My motivation

Uma publicação compartilhada por Jordan Howard (@jh) em

A primeira postagem do jogador no Instagram, feita em 11 de outubro de 2012, perto de completar 18 anos, deixa claro que a figura do pai era sua motivação para encarar momentos difíceis que ainda viriam pela frente antes dele chegar à NFL.

Depois de fazer o colegial na Gardendale High School, em sua cidade natal no estado de Alabama, o running back não atraiu convites de grandes programas do futebol americano universitário, e começou sua carreira no College Football jogando por UAB, a Universidade de Alabama em Birmingham, bem próximo de sua casa.

Em 2014 ele bateu o recorde de jardas corridas em uma única temporada pela universidade, com 1.587, e chamou atenção de Indiana, que o recrutou em seu terceiro ano de universidade. Mais uma vez ele se destacou, correndo para 238 jardas e dois touchdowns contra Michigan, e terminando a temporada com nove jogos, 1.213 jardas e nove TDs.

Declarado para o draft em 2016, ele foi o terceiro melhor avaliado corredor disponível para o recrutamento, segundo o site da NFL, ficando atrás apenas de Derrick Henry, que acabou no Tennessee Titans, e Ezekiel Elliott, astro do Dallas Cowboys.

Jordan foi o 150º jogador recrutado naquele draft, sendo chamado pelos Bears na quinta rodada. Dentro da NFL, ele aproveitou para chamar a atenção de todos para a doença.

No final de semana especial da liga, quando os jogadores podem usar chuteiras diferentes com o objetivo de ajudar ONGs, Jordan Howard mais uma vez homenageou seu pai, e doou o calçado para uma entidade que trabalha com o tratamento, conscientização e busca pela cura da doença que vitimou seu pai.