<
>

Eagles, Patriots ou Rams? Power Ranking traz surpresa antes da temporada 2018 da NFL

A bola volta a voar nesta quinta-feira, com Philadelphia Eagles comemorando seu título com a torcida e encarando o Atlanta Falcons, em jogo que terá transmissão exclusiva da ESPN e do WatchESPN.

Antes da bola voar, tendo como amostra apenas o que foi feito na pré-temporada, a segunda edição do Power Ranking para a temporada 2018 traz uma surpresa na liderança (confira a primeira edição aqui). O Minnesota Vikings desbancou o Philadelphia Eagles e também deixou Los Angeles Rams e New England Patriots para trás.

Será que quando a bola voar o favoritismo permanece? Todo mês uma nova edição do Power Ranking irá ao ar no ESPN.com.br. Fique ligado e confira a lista.

1. Minnesota Vikings
Campanha em 2017: 13-3
Posição na última lista:

O Minnesota Vikings é um dos melhores times da NFL. Com Kirk Cousins, o time tem um dos principais quarterbacks dos últimos anos da liga, que formará um ataque pra lá de dinâmico com os wide receivers Stefon Diggs, Adam Thielen e o running back Dalvin Cook – recuperado de lesão no joelho. Com a forte defesa, os Vikings são os grandes favoritos da NFC Norte - Matheus Zucchetto


2. Los Angeles Rams
Campanha em 2017: 11-5
Posição na última lista:

Um dos times mais visados da NFL, o LA Rams vai para a segunda temporada sob a batuta de Sean McVay. Com uma defesa reforçada de grandes nomes, a franquia será um verdadeiro terror para os quarterbacks adversários. Em franca ascensão, Todd Gurley deve repetir a perfomance digna de MVP no ano passado e vai liderar os Rams na corrida pelo Super Bowl LIII. Se bem sincronizados, Jared Goff e Brandin Cooks também podem castigar os rivais - Andrei Paternostro


3. Philadelphia Eagles
Campanha em 2017: 13-3
Posição na última lista:

Foles levantou algumas dúvidas na pré-temporada, mas “jogo é jogo e treino é treino”, certo? Com a base mantida e alguns reforços que chegaram, ainda é um dos favoritos ao título da NFC, mas o começo de temporada pode ser complicado. Alguém falou em Falcons carimbando a faixa? - Rafael Belattini


4. New England Patriots
Campanha em 2017: 13-3
Posição na última lista:

Na pré-temporada a defesa não apresentou um desempenho que despertasse a confiança de seus torcedores, mas isso virou praxe nos últimos anos, e o time sempre chegou longe. Resta saber como Brady vai se virar sem Edelman neste primeiro mês - Belattini


5. New Orleans Saints
Campanha em 2017: 11-5
Posição na última lista:

New Orleans é o time mais forte da divisão - e um dos mais poderosos em toda a NFC. Drew Brees segue comandando o show e, sem o suspenso Mark Ingram pelos primeiros quatro jogos, Alvin Kamara terá muito espaço para mostrar que evoluiu ainda mais após ter sido escolhido o calouro ofensivo do ano em 2017. Se a defesa funcionar como na temporada passada, olho nos Saints - Zucchetto


6. Jacksonville Jaguars
Campanha em 2017: 10-6
Posição na última lista:

As pessoas em Jacksonville devem estar estranhando. Afinal, em 2018 a equipe começa uma temporada sendo apontada como uma forte candidata a aparecer no Super Bowl. A defesa é a grande força, e no ataque tudo dependerá de Blake Bortles entregar um pouco mais do que no ano passado - Belattini


7. Atlanta Falcons
Campanha em 2017: 10-6
Posição na última lista:

Qual é o verdadeiro Matt Ryan? O MVP em 2016 que levou os Falcons ao Super Bowl? Ou o QB que viu seus números despencarem mesmo com Julio Jones como seu principal alvo em 2017? Atlanta tem um dos times mais fortes da divisão, mas, claro, depende muito do rendimento de seu QB para pensar em algo mais importante na temporada - Zucchetto


8. Pittsburgh Steelers
Campanha em 2017: 13-3
Posição na última lista:

Os Steelers passaram a pré-temporada sem sofrer grandes lesões e com boas jogadas do WR calouro James Washington, que promete ajudar Antonio Brown e JuJu Smith-Schuster num forte jogo aéreo. O problema está em Le’Veon Bell: a superestrela faltou treinos da semana anterior à estreia por não ter acertado um contrato de longo prazo com a franquia, e ainda não apareceu para treinar - Sacramento


9. Green Bay Packers
Campanha em 2017: 7-9
Posição na última lista:

O mundo dos Packers gira em torno de Aaron Rodgers, e não poderia ser diferente. O quarterback de 34 anos teve apenas duas temporadas comprometidas por lesões desde que se tornou titular. Se isso não acontecer novamente e o camisa 12 permanecer saudável, Green Bay pode pensar seriamente em uma vaga de Wild Card. - Zucchetto


10. Houston Texans
Campanha em 2017: 4-12
Posição na última lista: 11º

Mais um ano em que a torcida dos Texans vai respirar bem fundo quando um jogador cair no gramado. Afinal, o time apresenta potencial, mas não pode sofrer com lesões, como já virou hábito. Saudáveis, Deshaun Watson, J.J. Watt, Jadeveon Clowney e Whitney Mercilus podem dar muito trabalho. Mas conseguirão ficar saudáveis? - Belattini


11. San Francisco 49ers
Campanha em 2017: 6-10
Posição na última lista: 15º

O time do “empolgou” precisará lidar com uma infeliz frustração. O running back Jerick McKinnon, contatado para mover as correntes dos Niners, sofreu uma grave lesão no joelho e perderá a temporada inteira. Ainda assim, se Kyle Shanahan e Jimmy Garoppolo construírem uma boa sintonia, a franquia pode atender parte das expectativas e correr por fora na briga por uma vaga no wild card da NFC - Paternostro


12. Los Angeles Chargers
Campanha em 2017: 9-7
Posição na última lista: 10º

No papel a equipe é muito boa, mesmo após a perda de Hunter Henry – que abriu caminho para a volta de Antonio Gates. Philip Rivers é um quarterback já consolidado, a defesa é forte e o mau começo na temporada passada foi responsável pela equipe ficar fora dos playoffs. A expectativa foi criada, será que vão entregar o que prometem? - Belattini


13. Kansas City Chiefs
Campanha em 2017: 10-6
Posição na última lista: 17º

Com Kareem Hunt, Travis Kelce, Tyreek Hill e Sammy Watkins, Patrick Mahomes não poderá reclamar de falta opções. Caberá ao jogador, em seu segundo ano, entregar a bola com qualidade. O ataque precisa produzir, pois a defesa não foi bem em 2017 e agora não terá Marcus Peters. - Belattini


14. Tennessee Titans
Campanha em 2017: 9-7
Posição na última lista: 12º

Sob novo comando e com alguns reforços após uma vitória nos playoffs da última temporada, os Titans podem ser descritos como medianos. Dificilmente a equipe conseguirá brigar pelo título da divisão com os Jaguars, mas é bem provável que fique com uma vaga de wild card - Belattini


15. Carolina Panthers
Campanha em 2017: 11-5
Posição na última lista: 13º

A NFC Sul é uma das divisões mais equilibradas de toda a liga. Os Panthers, mesmo não sendo o time mais forte, podem pensar em pós-temporada caso Cam Newton volte a ser um QB "estável". O running back Christian McCaffrey, agora em sua segunda temporada, deve se tornar chave para o ataque. Na defesa, Luke Kuechly precisa permanecer saudável para comandar um dos grupos mais velhos da liga - com Thomas Davis (35 anos), Julius Peppers (38) e Mike Adams (37) - Zucchetto


16. Dallas Cowboys
Campanha em 2017: 9-7
Posição na última lista: 16º

Livre dos tribunais, Ezekiel Elliott volta a ser a principal arma do ataque dos Cowboys, já que em 10 jogos no ano passado foram quase 1.000 jardas. Mas qual Dak Prescott teremos: o calouro ou o do segundo ano? Qual a cara do ataque sem Dez Bryant e Jason Witten? A defesa promete dar trabalho aos quarterbacks rivais. - Belattini


17. New York Giants
Campanha em 2017: 3-13
Posição na última lista: 21º

Odell Beckham Jr. tem motivos de sobra para sorrir (cerca de US$ 90 milhões, para ser mais exato). E se o astro tem o sorriso no rosto, é bem provável que a torcida também tenha. Mas ainda há coisas para serem corrigidas (linha ofensiva, por exemplo) - Belattini


18. Chicago Bears
Campanha em 2017: 5-11
Posição na última lista: 27º

Os Bears ainda são um projeto. A pré-temporada mostrou pouco do time de Matt Nagy e Mitchell Trubisky. O ataque, que deve ser revolucionado pelo novo treinador, precisa melhorar muito em comparação ao da temporada passada. A defesa ganhou o linebacker calouro Roquan Smith e o All-Pro Khalil Mack – novo dono do maior contrato da história de um defensor na NFL. Se tudo der (muito) certo, Chicago pode sonhar em acabar com o jejum de sete anos sem playoffs - Zucchetto


19. Seattle Seahawks
Campanha em 2017: 9-7
Posição na última lista: 13º

0-4 na pré-temporada e Seattle não conseguiu dar um alento sequer ao coração dos 12’s. Ainda vivendo um impasse com o safety Earl Thomas, a franquia entra na temporada sob muitas dúvidas. Russell Wilson já se provou ser de elite, mas, nem sua capacidade mágica de improvisação deve ser capaz de fazer os Seahawks reviverem os não tão distantes momentos de glória de outros anos - Paternostro


20. Baltimore Ravens
Campanha em 2017: 9-7
Posição na última lista: 18º

Os Ravens tiveram uma péssima notícia durante a pré-temporada, pelo menos para os quatro primeiros jogos. O cornerback Jimmy Smith foi suspenso pelo período por violar a política de conduta pessoal da liga. Como se não fosse o suficiente, o possível substituto Stanley Jean-Baptiste quebrou o braço. Ao menos, o QB reserva Lamar Jackson, draftado na primeira rodada, atuou bem e empolgou a torcida - Sacramento


21. Washington Redskins
Campanha em 2017: 7-9
Posição na última lista: 14º

Por mais que a chegada de Alex Smith tenha animado a torcida, a missão de Washington em 2018 parece ser mais uma vez tentar apenas atrapalhar os rivais da divisão. Isso porque o jogo corrido segue sendo o grande problema, e Adrian Peterson não parece ser a solução para isso. Ao menos não nessa altura da carreira - Belattini


22. Denver Broncos
Campanha em 2017: 5-11
Posição na última lista: 20º

Talvez a melhor coisa para os Broncos na pré-temporada foi ter visto que o relacionamento com Paxton Lynch não era algo muito bom. Case Keenum se virou bem sem muita opção de jogo corrido na temporada passada, mas um running back rendendo bem ajudaria, assim como uma linha ofensiva mais efetiva. Já na defesa a única dúvida é a secundária - Belattini


23. Detroit Lions
Campanha em 2017: 9-7
Posição na última lista: 22º

A sensação é que os Lions se tornaram a quarta força da NFC Norte – talvez pela empolgação criada com as mudanças nos Bears. Mas Detroit pode pensar em Wild Card graças ao talento do time e de Matthew Stafford. As chances serão ainda maiores se Matt Patricia se adaptar bem à vida de head coach. - Zucchetto


24. Indianapolis Colts
Campanha em 2017: 4-12
Posição na última lista: 32º

Andrew Luck parece totalmente recuperado, usando a pré-temporada até de forma preocupante, se arriscando em corridas e trombando em adversários. É bom mesmo ele mostrar mobilidade, pois a presença de Quenton Nelson não deve reduzir drasticamente o número de sacks (ninguém apanhou tanto quanto os QBs dos Colts em 2017). Um ano de reconstrução com Frank Reich - Belattini


25. Cleveland Browns
Campanha em 2017: 0-16
Posição na última lista: 29º

Os Browns tiveram o retorno de Josh Gordon aos treinamentos durante a pré-temporada, além de trocarem Corey Coleman para os Bills (ele já foi dispensado). O elenco tem inúmeras mudanças em relação ao ano passado e ótimos talentos – resta saber se Hue Jackson conseguirá fazê-los funcionar - Sacramento


26. Cincinnati Bengals
Campanha em 2017: 7-9
Posição na última lista: 24º

‘Pacman’ Jones, Kevin Minter, Pat Sims e quatro jogos sem Vontaze Burfict. Como se as mudanças na defesa não fossem suficientes, a diretoria dos Bengals decidiu cortar o safety George Iloka, dando espaço para o calouro Jessie Bates. A tentativa do velho técnico Marvin Lewis é de rejuvenescer o elenco, que já está entre as menores médias de idade da NFL - Sacramento


27. Oakland Raiders
Campanha em 2017: 6-10
Posição na última lista: 19º

Precisa de pouca coisa para explicar o motivo para os torcedores dos Raiders já estarem jogando a toalha. A troca de Khalil Mack ainda parece fazer sentido apenas na cabeça de John Gruden, que falou em renovar a equipe e terá em mãos um dos grupos com a maior média de idade - Belattini


28. Miami Dolphins
Campanha em 2017: 6-10
Posição na última lista: 30º

A terceira temporada de Adam Gase mistura uma renovação com experiência. Ryan Tannehill terá Brock Osweiler como reserva, então é bom ele ficar saudável. Se a equipe produziu pouco ofensivamente e permitiu muitos pontos na defesa, peças importantes saíram e é difícil imaginar que aqueles que chegaram vão corrigir isso. Na estreia, em casa contra os Titans, há uma boa chance de tirar essa imagem ruim e "calar os críticos" - Belattini


29. Arizona Cardinals
Campanha em 2017: 8-8
Posição na última lista: 25º

Apesar da saída de Carson Palmer, os Cardinals não estão com a terra arrasada. As três vitórias na pré-temporada serviram para dar confiança ao grupo que se reconstrói e ainda conta com peças importantes, como Patrick Peterson, Chandler Jones, Larry Fitzgerald e David Johnson. Se permanecer saudável, Sam Bradford pode repetir o bom desempenho de 2017 e dar algumas alegrias ao povo de Arizona, além de a esperança de um futuro promissor, com ele ou com o prospecto Josh Rosen - Paternostro


30. New York Jets
Campanha em 2017: 5-11
Posição na última lista: 31º

Sam Darnold conquistou a vaga de titular, a linha ofensiva melhorou, mas ainda falta consistência no jogo corrido e no corpo de recebedores. Na defesa, a secundária tem um enorme potencial. O problema é que tudo isso ainda está no campo da hipótese. Vamos ver como a equipe se porta quando o jogo for "valendo"- Belattini


31. Tamba Bay Buccaneers
Campanha em 2017: 5-11
Posição na última lista: 28º

Jameis Winston não jogará as três primeiras partidas, e o pior time da NFC Sul vai sofrer ainda mais do que o esperado. Além disso, Doug Martin, principal running back do time, foi embora. DeSean Jackson não é mais o mesmo de anos atrás. O lado bom é que Mike Evans segue evoluindo para se tornar um dos principais wide receivers da liga, e a defesa se fortaleceu ainda mais com Jason Pierre-Paul e o calouro Vita Vea - o grupo é repleto de bons nomes, mas pouco rendimento - Zucchetto


32. Buffalo Bills
Campanha em 2017: 9-7
Posição na última lista: 26º

Josh Allen ainda está muito “cru” para ser titular, e Nate Peterman vai ser o quarterback no primeiro jogo. Essa informação parece ser o bastante para explicar que os Bills não devem ter grandes expectativas - Belattini