<
>

O custo-benefício da NFL: qual quarterback é a maior 'pechincha'?

play
NFL: Dream Team, apostas e fim de uma era? Paulo Antunes mostra as 5 histórias para ficar de olho na liga (5:45)

Los Angeles Rams se reforçou e é um dos fortes times na briga pelo Super Bowl LIII (5:45)

Dak Prescott é o titular do Dallas Cowboys, mas ainda recebe salários de um calouro de quarta rodada do draft. Isso o torna uma das maiores barganhas da posição em toda a NFL. Mas aonde ele fica no ranking entre todos os 32 possíveis titulares considerando o que entregaram e o que ganharam durante toda a carreira?

Em primeiro lugar, este não é um ranking dos melhores QBs. Este é um ranking de onde cada um dos possíveis quarterbacks titulares de 2018 (sem calouros) por uma pontuação da eficiência salarial durante a carreira, que mede o quão economicamente vantajoso foi cada QB, tendo em conta seus ganhos e produção na carreira. Nós medimos a produção com os pontos esperados adicionados (EPA, na sigla em inglês), que pesa o efeito geral que qualquer jogada tem na pontuação do jogo e considera os aspectos das campanhas, incluindo a descida, distância e posição de campo.

Nós ajustamos os ganhos corrigindo-os com relação ao teto salarial de 2017. Os quarterbacks que superaram a estimativa de EPA considerando o quanto ganham são as maiores pechinchas. Aqueles que ficaram abaixo das expectativas em relação ao quanto ganham, ficam para baixo na lista.

1.Russell Wilson, Seattle Seahawks

Índice de eficiência salarial: 64,3

Ganho com salário: US$ 58.840.123

Ganho corrigido: US$ 69.783.286

Anos na NFL: 6

Rendimento imediato (e depois, grandiosidade) somado ao salário de um jogador recrutado na terceira rodada formam a receita perfeita para se tornar o melhor custo-benefício da liga. Com o contrato de Wilson agora próximo ao valor de mercado, será difícil para ele se manter na frente de jogadores como Aaron Rodgers, Tom Brady e Matt Ryan nos próximos anos.


2. Dak Prescott, Dallas Cowboys

Índice de eficiência salarial: 53,4

Ganho com salário: US$ 1.373.392

Ganho corrigido: US$ 1.524.081

Anos na NFL: 2

Prescott regrediu muito depois uma temporada espetacular como calouro, mas mesmo que ele não volte ao seu antigo ritmo, seus ganhos de escolha de quarta rodada devem mantê-lo como a maior barganha da liga até ele assinar uma extensão ou chegar ao mercado em 2020.


3. Aaron Rodgers, Green Bay Packers

Índice de eficiência salarial: 47,0

Ganho com salário: US$ 139.228.570

Ganho corrigido: US$ 192.378.128

Anos na NFL: 14

A produção de Rodgers desde que virou titular em Green Bay tem sido prolífica. Sua eficiência poderia ser ainda maior se ele não tivesse ganhado como escolha de primeira rodada (antes do acordo coletivo de 2011) como reserva de Brett Favre por três temporadas. É provável que ele receba próximo ao máximo para um quarterback de elite nos próximos anos, então ele precisa se manter saudável e sustentar uma produção de elite para manter seu lugar na lista


4. Tom Brady, New England Patriots

Índice de eficiência salarial: 43,1

Ganho com salário: US$ 158.084.239

Ganho corrigido: US$ 246.409.078

Anos na NFL: 18

Brady se destaca porque sua produção na carreira é incomparável, e ele tem um histórico de assinar contratos bastante amigáveis para o time. Com mais de 1.600 EPA produzidos em 16 temporadas como titular, ele fez mais de um touchdown por jogo além do que um quarterback médio fez para o que ganhou de seu time. Corrigindo seus ganhos para o teto de 2017, seu rendimento médio foi logo abaixo de US$ 15 milhões por temporada, metade do que um quarterback de alto nível está ganhando nos dias de hoje.


5.Matt Ryan, Atlanta Falcons

Índice de eficiência salarial: 41,5

Ganho com salário: US$ 142.017.145

Ganho corrigido: US$ 190.659.033

Anos na NFL: 10

Ryan jogou cerca da metade do tempo de Brady, mas está rapidamente o alcançando em termos de lucros na carreira. Ele é um passador de alta qualidade e vale cada dólar que os Falcons pagaram para ele.


6. Carson Wentz, Philadelphia Eagles

Índice de eficiência salarial: 39,9

Ganho com salário: US$ 19.713.533

Ganho corrigido: US$ 22.364.559

Anos na NFL: 2

Mesmo uma escolha nº 2 pode ser um bom negócio após o acordo coletivo de 2011, especialmente se ele tem uma segunda temporada com números de All-Pro como Wentz fez.


7. Cam Newton, Carolina Panthers

Índice de eficiência salarial: 36

Ganho com salário: US$ 84.178.270

Ganho corrigido: US$ 102.887.517

Anos na NFL: 7

Newton demonstrou momentos de brilho, mas ele não conseguiu sustentar um produção de alto nível. Seu atual contrato está entre os mais lucrativos, balanceando com vários anos em seu contrato de calouro. A menos que ele produza mais constantemente, ele vai cair nesta lista rapidamente


8. Jameis Winston, Tampa Bay Buccaneers

Índice de eficiência salarial: 31.0

Ganho com salário: US$ 21.459.285

Ganho corrigido: US$ 25.906.695

Anos na NFL: 3

As três temporadas de Winston foram muito aquém do era esperado quando os Buccaneers pegaram ele com a primeira escolha geral. Ele está bem na lista apenas por estar jogando exclusivamente com seu contrato de calouro.


9. Andrew Luck, Indianapolis Colts

Índice de eficiência salarial: 26,8

Ganho com salário: US$ 79.107.998

Ganho corrigido: US$ 95.331.587

Anos na NFL: 5

Toda a produção de Luck veio durante suas cinco temporadas sob o comando do time. Ironicamente, seu ano mais caro foi inteiramente perdido por conta de uma lesão, atrapalhando sua eficiência. Se tivesse jogado em 2017, ele estaria algumas posições acima nesta lista.


10. Kirk Cousins, Minnesota Vikings

Índice de eficiência salarial: 21.7

Ganho com salário: US$ 46.469.288

Ganho corrigido: US$ 51.711.896

Anos na NFL: 6

O gráfico de ganhos de Cousins em sua carreira talvez seja o mais estranho de todos. Depois de de ganhar como escolha de quarta rodada por quatro temporadas (sendo reserva dos Redskins por dois anos e meio), ele embolsou duas temporadas o total da “franchise tag”.


11. Andy Dalton, Cincinnati Bengals

Índice de eficiência salarial: 11,8

Ganho com salário: US$ 53.419.158

Ganho corrigido: US$ 65.392.820

Anos na NFL: 7

A produção modesta de Dalton por sete temporadas foi um pouco melhor do que seu salário mediano durante este período, que foi mantido baixo deviro aos US$ 4 milhões que ganhou por três anos como uma escolha de segunda rodada.


12. Deshaun Watson, Houston Texans

Índice de eficiência salarial: 11,4

Ganho com salário: US$ 8.680.988

Ganho corrigido: US$ 9.211.204

Anos na NFL: 1

A fantástica temporada de calouro de Watson foi encurtada por uma lesão, então sua graduação é muito afetada pela pequena amostra. A questão é se ele consegue se recuperar e sustentar sua produção torrencial das seis partidas como titular em 2017.


13. Marcus Mariota, Tennessee Titans

Índice de eficiência salarial: 9.3

Ganho com salário: US$ 20.477.069

Ganho corrigido: US$ 24.715.049

Anos na NFL: 3

Sem uma melhora significante, esta temporada será última de Mariota como uma barganha antes da opção de quinto ano de seu contrato o empurrar para baixo.


14. Tyrod Taylor, Cleveland Browns

Índice de eficiência salarial: 8.8

Ganho com salário: US$ 27.306.508

Ganho corrigido: US$ 30.715.451

Anos na NFL: 7

Taylor passou quatro temporadas como reserva de Joe Flacco em Baltimore antes de aumentar seu preço com três modestamente bem-sucedidos anos em Buffalo.


15. Ben Roethlisberger, Pittsburgh Steelers

Índice de eficiência salarial: 7,7

Ganho com salário: US$ 169.458.707

Ganho corrigido: US$ 237.191.014

Anos na NFL: 14

Roethlisberger é muito parecido com Philip Rivers e, de certa forma, com Drew Brees com sua habilidade de produzir muitos pontos, mas também cobra seu preço correspondente.


16. Jimmy Garoppolo, San Francisco 49ers

Índice de eficiência salarial: 5,9

Ganho com salário: US$ 3.022.979

Ganho corrigido: US$ 3.713.774

Anos na NFL: 4

Garoppolo passou três anos como reserve de Tom Brady antes de brilhar no final da última temporada em São Francisco – apesar de sua produção ter sido formada encarando defesas abaixo da média. Seguindo adiante, ele terá que ter um desempenho de Brady para compensar seu contrato.


17. Drew Brees, New Orleans Saints

Índice de eficiência salarial: 2.8

Ganho com salário: US$ 198.942.810

Ganho corrigido: US$ 288.252.663

Anos na NFL: 17

Brees tem a segunda maior produtividade entre todos os quarterbacks ativos, mas ele não tem contratos tão favoráveis ao time como Brady tem. Ele ainda vale o dinheiro, e continua entre os melhores passadores da liga.


18. Philip Rivers, Los Angeles Chargers

Índice de eficiência salarial: -1.8

Ganho com salário: US$ 181.468.660

Ganho corrigido: US$ 255.878.479

Anos na NFL: 14

Rivers é o único quarterback da famosa classe de 2004 que não ganhou um anel de campeão do Super Bowl, apesar de ser o mais produtivo na temporada regular. Seu salário é equiparável ao sucesso na temporada regular, resultando em um mediana eficiência.


19. Case Keenum, Denver Broncos

Índice de eficiência salarial: -3.8

Ganho com salário: US$ 6.683.235

Ganho corrigido: US$ 7.655.099

Anos na NFL: 6

Keenum se encaixou bem em Minnesota na temporada passada e seu valor excedeu o custo, mas, por outro lado, ele tem um desempenho ligeiramente inferior ao seu salário de nível de reserva. Ele vai precisar manter sua produtividade do último ano para merecer seu salário bem mais alto em Denver neste ano.


20. Josh McCown, New York Jets

Índice de eficiência salarial: -6.8

Ganho com salário: US$ 37.455.277

Ganho corrigido: US$ 52.926.531

Anos na NFL: 16

McCown é a personificação do “viajante”, jogando apenas o suficiente para se manter na liga enquanto recebe o dinheiro de um quarterback veterano. Ele já desempenhou o papel de calouro, titular, reserva e segurou a bola para chutes por oito times diferentes, ganhando em todos eles um pouco mais do que você esperaria por sua produtividade.


21. Derek Carr, Oakland Raiders

Índice de eficiência salarial: -7,1

Ganho com salário: US$ 29.394.283

Ganho corrigido: US$ 32.097.048

Anos na NFL: 4

Até a última temporada, Carr teria um ranking muito melhor. Ele deu um passo adiante em termos de produção e assinou uma grande extensão.


22. AJ McCarron, Buffalo Bills

Índice de eficiência salarial: -7,3

Ganho com salário: US$ 2.305.299

Ganho corrigido: US$ 2.720.849

Anos na NFL: 4

McCarron foi muito pouco testado, e tem sido pago de acordo com isso.


23. Ryan Tannehill, Miami Dolphins

Índice de eficiência salarial: -9,0

Ganho com salário: US$ 50.050.979

Ganho corrigido: US$ 60.061.193

Anos na NFL: 5

A produtividade total Tannehill foi impactada quando ele perdeu toda a temporada de 2017. Seu desempenho normalmente notável é equiparável ao seu pagamento.


24. Blake Bortles, Jacksonville Jaguars

Índice de eficiência salarial: -10,4

Ganho com salário: US$ 20.654.802

Ganho corrigido: US$ 22.469.190

Anos na NFL: 4

Um contrato de calouro manteve Bortles com um salário de nível razoável até a temporada passada, mas no geral ele ainda tem um desempenho abaixo da média. Após assinar a extensão com mais de US$ 25 milhões garantido, ele rapidamente se tornará um mal negócio para Jacksonville sem um grande salto em seu desempenho.


25. Alex Smith, Washington Redskins

Índice de eficiência salarial: -11,4

Ganho com salário: US$ 113.241.145

Ganho corrigido: US$ 156.097.335

Anos na NFL: 13

Apesar de Smith ter se tornado um passador consistente nos últimos anos, seus problemas no começo da carreira e lesões em São Francisco enquanto aproveitava seu contrato como 1º escolha geral em um contrato anterior ao acordo de 2011 acaba atrapalhando sua efetividade.


26. Matthew Stafford, Detroit Lions

Índice de eficiência salarial: -13,8

Ganho com salário: US$ 161.511.410

Ganho corrigido: US$ 207.048.662

Anos na NFL: 9

Stafford foi a última primeira escolha do draft a ter um grande contrato de calouro antes do atual acordo. Ele tem sido efetivo, mas recebe mais do que deveria.


27. Joe Flacco, Baltimore Ravens

Índice de eficiência salarial: -24,3

Ganho com salário: US$ 136.205.590

Ganho corrigido: US$ 176.769.490

Anos na NFL: 10

Flacco esperou até sua quinta temporada para assinar uma extensão, e foi no mesmo ano que chegou aos playoffs e conquistou o Super Bowl, sendo MVP da decisão. Por qualquer razão, sua recente produção faz com que ele seja visto como quase não digno de ser titular, mas ele ainda está se aproveitando daquele troféu.


28. Jared Goff, Los Angeles Rams

Índice de eficiência salarial: -27,3

Ganho com salário: US$ 20.688.202

Ganho corrigido: US$ 23.472.292

Anos na NFL: 2

Goff se recuperou muito bem em sua segunda temporada, mas seu ano de calouro foi tão epicamente terrível que vai ser necessário mais do que uma temporada acima da média para mascarar aquilo.


29. Patrick Mahomes, Kansas City Chiefs

Índice de eficiência salarial: -35,4

Ganho com salário: US$ 10.551.152

Ganho corrigido: US$ 11.195.594

Anos na NFL: 1

Mahomes passou se ano de calouro como reserve enquanto ganhava salário de escolha de primeira rodada. Vamos ver como o custo-benefício vai ser em 2018


30. Sam Bradford, Arizona Cardinals

Índice de eficiência salarial: -36,9

Ganho com salário: US$ 103.055.385

Ganho corrigido: US$ 136.721.525

Anos na NFL: 8

Receba o salário, machuque-se, repita.


31. Eli Manning, New York Giants

Índice de eficiência salarial: -66,3

Ganho com salário: US$ 189.994.650

Ganho corrigido: US$ 266.861.731

Anos na NFL: 14

Manning fez mais dinheiro com o futebol americano do que qualquer outro jogador da atualidade, apesar da modesta produtividade em 14 temporadas regulares. Os Giants pagam mais pelo passado heroico do que pelo desempenho esperado.


32. Michell Trubisky, Chicago Bears

Índice de eficiência salarial: -75.7

Ganho com salário: US$ 19.719.500

Ganho corrigido: US$ 20.923.925

Anos na NFL: 1

Trubisky cavou um buraco brem profundo em seu complicado ano de calouro.