<
>

Quarterback reserva sai do banco, decide na prorrogação e dá mais um título a Alabama

Tua Tagovailoa. Um quarterback de 19 anos, recém-chegado a Alabama, foi o nome de mais um título da universidade mais dominante do futebol americano universitário dos Estados Unidos.

Reserva, o havaiano saiu do banco no intervalo da grande decisão na noite de segunda-feira e foi responsável pelo passe de 41 jardas na prorrogação que deu a vitória por 26 a 23 sobre Georgia Bulldogs, e consequentemente o título nacional ao Alabama Crimson Tide.

Foi a quinta conquista de Alabama nas últimas nove temporadas, o menor período para que uma universidade fosse cinco vezes campeã universitária nos Estados Unidos desse 1936 – desse ano em diante, foram 12 títulos ao todo para Crimson Tide.

Voltando a Tagovailoa, que jogou pouco durante toda a temporada, ele substituiu o titular Jalen Hurts, que não vinha fazendo boa partida, no intervalo e lançou para três touchdowns.

Quando o quarterback reserva entrou, Alabama perdia por 13 a 0. No segundo tempo, a universidade partiu para o que foi a terceira maior virada de uma final de campeonato no futebol americano universitário – ano passado, Crimson Tide desperdiçou vantagem de 14 pontos.

O passe que transformou Tagovailoa em herói improvável para Alabama viajou 41 jardas nas prorrogação e encontrou DeVonta Smith perto da endzone, para o touchdown decisivo.

A universidade precisava de um TD para vencer depois que Georgia assumiu a liderança no tempo-extra com um field goal de 51 jardas do kicker Rodrigo Blankenship.

Antes, contudo, Alabama poderia ter garantido o título também em um chute, de 36 jardas, mas Andy Pappanastou acabou errando o field goal nos segundos finais do último período.