<
>

O estádio que custou R$ 1,2 bilhão e teve Olimpíada e Super Bowl em só 25 anos de uso não existe mais

O Georgia Dome, gigante estádio aberto em 1992 em Atlanta, foi demolido na manhã desta segunda-feira e deixará um vazio.

Afinal, a antiga casa do Atlanta Falcons, que visita o Seattle Seahawks às 23h30 (de Brasília) pela semana 11 da NFL com transmissão da ESPN e do WatchESPN, veio abaixo e com ela também várias histórias em apenas 25 anos de utilização.

Construído ao custo de US$ 214 milhões à época - US$ 365 milhões em valores atuais, ou R$ 1,2 bilhão -, o Georgia Dome era totalmente coberto e podia receber até 80 mil pessoas para espetáculos ou 74.228 torcedores nas partidas de NFL.

Controlado pelo estado da Geórgia, o estádio recebeu eventos dos Jogos Olímpicos de Atlanta em 1996: metade dele foi usado para os jogos de basquete; a outra metade sediou ginástica artística e handebol.

Entre os shows que passaram pelo Georgia Dome estão Paul McCartney, Rolling Stones, Backstreet Boys, Taylor Swift e Beyoncé.

Ainda foi palco de dois Super Bowls, em 1994 (Dallas Cowboys campeão) e 2000 (St. Louis Rams ficou com o título).

No entanto, a partir de 2010, a concessionária que administra a área do Georgia Dome revelou os planos de construção de um novo estádio, e assim surgiu o Mercedez-Benz Stadium ao custo de incríveis US$ 1,6 bilhão, ou R$ 5,2 bilhão.

O último jogo do Atlanta Falcons em sua antiga casa foi a vitória na final da NFC contra o Green Bay Packers em 22 de janeiro deste ano.

Para a demolição do Georgia Dome nesta segunda-feira, foram utilizados 2,2 toneladas de explosivos e 9,6 quilômetros de cabos detonadores.