<
>

NBA: Giannis Antetokounmpo é o melhor jogador de basquete do mundo

Com 24 anos de idade, Giannis Antetokounmpo é o melhor jogador de basquete do mundo. Ele é o melhor jogador de ataque em um dos cinco melhores ataques da NBA. Ele é o melhor defensor naquela que é a melhor defesa da liga. Como o catalisador de um grande time de basquete, Giannis liderou o Milwaukee Bucks para a melhor campanha da NBA e, consequentemente, vantagem de mando nos playoffs.

Com todo respeito do mundo ao profeta barbudo de Houston, Giannis não é, apenas, o MVP desta temporada. Ele é o jogador perfeito para a onde a NBA está agora – e para onde ela deve ir.


Um estilo ofensivo revolucionário

Antetokounmpo rapidamente ultrapassou um cara chamado LeBron James como a maior e melhor força da liga dentro do garrafão. Ele está fazendo coisas que não víamos desde o auge de um tal de Shaquille O’Neal.

Se a era das estatísticas da NBA nos ensinou alguma coisa, é que os melhores arremessos do jogo acontecem ou atrás da linha dos três pontos ou bem perto da cesta. Os Bucks são excelentes nas duas zonas. Giannis faz chover no garrafão, e é melhor do que qualquer outro.

“Se você não acerta arremessos, todos estarão no garrafão,” Antetokounmpo disse para a ESPN.com. “[Meus companheiros] tem acertado arremessos durante todo o ano, então isso me ajuda a fazer jogadas para eles e para mim mesmo.”

Simples assim, Giannis se tornou o maior ‘cravador’ de bolas autossuficiente que vimos em décadas. Depois de completar 19 enterradas na sua temporada de calouro, Giannis chegou a 116 nesta temporada – o único jogador a passar dos 3 dígitos desde que a NBA tem estatísticas de jogada por jogada.

Giannis joga um jogo completamente diferente dos outros dois ‘super homens’. Ele conduz a bola, ele joga de frente para a cesta. Aqueles caras jogavam de costas.

Existe alguma coisa especialmente satisfatória sobre uma enterrada que você vem batendo a bola em direção ao garrafão. É uma amostra absurda de dominância. É por isso que, na maioria dos seus highlights, Giannis parece um homem brincando com crianças.

Aí você se lembra que essa é a melhor liga de basquete de todo o planeta.

Todo jogador da NBA adoraria atravessar a quadra batendo bola e enterrar quando quisessem. Eles não conseguem. Sim, essa estatística de enterrada quando vem sozinho em direção ao garrafão é totalmente absurda. Pode até não significar vitórias, mas revela como esse garoto é dominante.

Técnicos passam meses, anos aprimorando táticas defensivas para o garrafão não ficar vulnerável. Antetokounmpo não está nem aí. Com apenas uma ou duas batidas de bola, e um jogo de pés bem treinado, ele leva a bola do perímetro para a cesta e enterra. Ele faz basquete parecer fácil.

“Nós temos muitas jogadas de espaço,” disse Giannis. “Eu fiquei mais forte e, agora, consigo ir pra cima, ir lá embaixo e fazer as cestas.”

Na NBA, estrelas não nascem. Elas são construídas. Giannis se construiu na academia. Toda essa força extra é importante.


Armação crucial

“Sua habilidade como um passador e um armador tem sido muito importante para nós,” Budenholzer, técnico dos Bucks, disse. “Ele já está a frente do que qualquer de nós imaginou.”

Após criar apenas 8,4 oportunidades de assistência a cada 100 posses de bola, Antetokounmpo dobrou esse número nesta temporada para 17,0. Ele é o terceiro jogador da NBA que mais dá assistências para chutes de três pontos.

Mesmo que ele não seja ótimo em acertar bolas de três por si só, Giannis encontrou um jeito fácil de criar oportunidades para bolas de três fáceis. Milwaukee liderou a liga em assistências para bolas de três nesta temporada, e nenhum jogador fez tantas assistências como Giannis. E nem foi de perto:

Mais assistências para bolas de três no Milwaukee Bucks:

Giannis Antetokounmpo: 245

Eric Bledsoe: 166

Khris Middleton: 106

Giannis, provavelmente, não é o melhor jogador ofensivo da NBA – pelo menos não agora. Mas ele não precisa ser. As melhores no ataque do Milwaukee Bucks têm sido impressionantes – terminaram a temporada regular como melhor ataque do Leste – mas, por mais louco que isso possa parecer, isso nem faz cócegas perto da defesa dos Bucks.

Grande defesa e como dar valor a isso

Sempre houve um gigante defensivo adormecido neste elenco. Por vários anos, os Bucks tiveram a reputação de um dos maiores e mais atléticos elencos da NBA. Técnicos que passaram por Milwaukee simplesmente não conseguiam fazer dar liga Na última temporada, os Bucks foram o 18° time em eficiência defensiva. Nesta temporada, estão isolados em 1°.

Enquanto, na última temporada, o time era muito agressivo na hora de marcar e acabava sempre deixando um adversário livre para marcar com facilidade, neste ano, é completamente o oposto. Os Bucks usam, discutivelmente, a defesa mais conservadora da liga. Eles não têm problemas em deixar os pivôs no garrafão, dando espaço para o arremesso de fora. Tudo para proteger o garrafão.

Giannis é o melhor defensor deste time e, provavelmente, o defensor mais versátil de toda a liga. Ele pode proteger a cesta. Ele pode marcar no perímetro. Ele é um pesadelo quando o time adversário tenta sair em transição. Sua mistura absurda de tamanho, atletismo e comprimento faz com que os Bucks tenham, quase sempre, um pivô a mais em quadra. E sem ficarem mais lentos.

Esqueça o MVP por um segundo. Daria para argumentar que Giannis merece o prêmio de melhor defensor da temporada também. Eu vou defender essa ideia com quatro estatísticas rápidas.

Estatística 1: dos 2016 jogadores (quase metade da liga) que defenderam, pelo menos, 100 arremessos de dentro do garrafão, os oponentes converteram apenas 52,7% quando Giannis é o defensor mais próximo. Não há um defensor mais efetivo que Antetokounmpo dentro do garrafão em toda a NBA.

Estatística 2: Giannis é o 2° jogador da NBA com mais rebotes defensivos.

Estatística 3: dos 206 jogadores que participaram de pelo menos 50 jogos e tiveram médias de 20 minutos por jogo, Giannis tem o terceiro melhor ‘rating’ – e a melhor marca entre os jogadores do time de melhor defesa (o seu).

Estatística 4: Antetokounmpo e Robert Covington são os únicos alas da NBA no top-20 de plus minus.

Os números são impressionantes, e seus highlights são ainda melhores. Giannis tem os melhores highlights defensivos de toda a liga. Duvida? Pergunte para Blake Griffin.


Conclusão

Defesa segue, lamentavelmente, sendo subvalorizada quando o assunto é a comparação de jogadores. Não apenas é difícil de ser medida, como também é ‘chata’. Quando um jogador decente no ataque é um ótimo defensor, ele é chamado de um bom ‘two-way player’. Mas é aqui que mora a pegadinha: não estamos falando de futebol americano.

Todos deveriam ser ‘two-way players’ nesta liga. Afinal, você ataca e defende. Não há uma pausa para trocar os jogadores quando se perde a bola.

Por anos, não tivemos data suficiente para sequer mensurar grandes performances defensivas individuais. Até os mais sofisticados debates para MVP – Giannis vs. Harden, Westbrook vs. Kawhi Leonard, você escolhe – podem esquecer de levar em consideração a arte glamorosa de parar ataques.

Ainda temos muito a melhorar. O basquete pegou algumas páginas emprestadas do beisebol, incluindo a tentativa de medir e catalogar todo e qualquer evento estatístico. A defesa não é baseada em eventos, e jogadas defensivas envolvem, constantemente, fazer coisas que são difíceis de serem colocadas em uma planilha.

Os melhores defensores da liga, geralmente, estão mudando arremessos, intimidando oponentes, e atrapalhando os ataques em maneiras difíceis (ou impossíveis) de se contar. O basquete também fez seu prêmio individual de mais prestígio com base no beisebol.

A Major League Baseball introduziu o prêmio de MVP (Most Valuable Player – Jogador Mais Valioso) em 1931, décadas antes do basquete. Tentar identificar o melhor jogador daquela temporada, naquele esporte, não parece algo difícil de se fazer. No entanto, as últimas palavras – mais valioso – tornam o debate diferente do que, simplesmente, melhor jogador. É assim que entramos naqueles debates sem fim.

Ninguém vai concordar por inteiro no que é o mais ‘valioso’ no basquete. Enquanto a era das estatísticas da NBA nos ajudou a quantificar valores de diversas maneiras, nossas opiniões seguem enviesadas no desempenho ofensivo. É por conta desse envolvimento que péssimos defensores recebem milhões de dólares. É por conta disso que todo e qualquer tipo de preguiça na hora de marcar é deixada de lado por uma bola de três pontos.

A votação para MVP desta temporada deve ser apertada. Mas o melhor time da temporada regular da liga tem um jogador que é, claramente, o melhor dos dois lados da quadra, no esporte onde você tem que atacar e defender com a mesma eficiência, mais do que em qualquer outro no mundo. O que pode ter mais valor do que isso?