<
>

NBA: Cinco reforços, nem tão caros, que poderiam ajudar LeBron James nos Lakers na próxima temporada

Mesmo sem as diversas lesões de suas jovens estrelas, ficou claro que o Los Angeles Lakers precisa dar mais suporte ao talento de LeBron James na NBA.

A boa notícia é que os Lakers têm dinheiro de sobra para gastar na próxima janela de transferência, tendo apenas US$ 60 milhões já comprometidos em salários para a temporada 2019-20. O teto da próxima temporada deve ser de cerca de US$ 109 milhões.

Com isso, os Lakers poderão trazer duas estrelas a mais para se juntar a LeBron em um mercado que está cheio de ótimos jogadores. Listamos abaixo cinco deles que serão agentes livres irrestritos. Alguns não devem nem ser tão caros assim como Kevin Durant ou Kawhi Leonard, que têm opção de testar o mercado.

KLAY THOMPSON

O ala cairia como uma luva nos Lakers, um dos piores times chutando de 3 pontos, ainda mais ao lado de LeBron. Com Durant podendo testar o mercado e Green em último ano de contrato em 19-20, os Warriors têm uma decisão importante a fazer com Klay Thompson.

Talvez ele não valha uma renovação pelo valor máximo, que passaria dos US$ 200 milhões, mas se quiser ficar nos Warriors, como já disse que quer, Thompson provavelmente terá que abdicar de um pouco de dinheiro para manter a parceria com Curry. Nos Lakers, time onde seu pai conquistou dois títulos nos anos 80, ele seria bem-vindo.

KEMBA WALKER

O armador foi All-Star nos últimos três anos e será um agente livre com apenas 29 anos. Se for pelo dinheiro, ficará na franquia de Michael Jordan. Mas todos esses anos em Charlotte e apenas duas participações em playoffs podem fazer Kemba querer ir para um mercado maior e um time competitivo, abrindo mão de dinheiro que poderia receber se ficasse nos Hornets. Com LeBron do lado, ele pode enfim ter os holofotes que gostaria.

Walker seria um bom complemento a LeBron, já que é um armador que cria seu próprio arremesso e abre espaços para os companheiros, podendo tirar a pressão da criação de todas as jogadas de James, além de ter bom chute de média e longa distância. Porém, os Lakers têm Lonzo Ball na posição, resta saber se desistiriam de sua promessa, que ainda tem muitas deficiências a corrigir.

DEMARCUS COUSINS

O pivô mostrou que as dúvidas com relação à assustadora lesão no tendão de Aquiles que sofreu estão no passado. Ele tem jogado menos minutos pelos Warriors, mas suas médias por 36 minutos estão muito próximas das que ele postava antes de se machucar. Cousins, porém, ainda está pegando ritmo e tem sofrido na defesa, mas durante as férias ele pode trabalhar nisso, fora nos playoffs.

Um pivô dominante, que tem bom passe e chuta de 3 pontos, junto com LeBron seria interessante. Só não daria para Cousins virar um chutador à lá Kevin Love, já que sai muito de seu estilo e ele não é tão ágil. Depois de jogar pelo mínimo nesta temporada, DeMarcus vai querer receber um belo aumento.

NIKOLA VUCEVIC

O montenegrino não chama muita atenção. E isso pode ser bom para os Lakers, que podem pegar um pivô no auge de sua carreira por um bom preço. Vucevic está com as melhores médias da carreira em pontos (20,7), rebotes (12) e tocos (1,2), sendo All-Star pela primeira vez.

Vucevic, assim como Cousins, também tem um chute de longa distância, mas não é o ideal que ele fique só nisso e poderia ser um dos “perigos” de se juntar a LeBron.

JJ REDICK

O ala-armador terá 35 anos na próxima temporadas, mas aos 34 está com a melhor média de pontos da carreira (17,6) e chutando 38% da linha dos 3 pontos. Obviamente ele teria que vir apenas para compor o elenco, mas poderia fazer uma parceria bom com sua pontaria ao lado de LeBron.