<
>

LeBron & Ronaldo: a grana, o auge, o futuro, o que esperar dos gênios nas novas casas?

play
Bíceps, peito, ombro e cantoria: conheça o 'café da manhã' de LeBron James (0:58)

O novo astro dos Lakers ainda teve a companhia da filha Zhuri James (0:58)

Mesmo que você estivesse antenado nas ações da Copa do Mundo, nos últimos 10 dias dois dos maiores gênios da história do esporte anunciaram que vestiram novas malhas nos próximos meses.

Cristiano Ronaldo deixou o Real Madrid após 9 temporadas, quatro títulos da Uefa Champions League e 4 Bolas de Ouro para ir à Juventus. Nos EUA, LeBron James rendeu manchetes na NBA ao deixar o Cleveland Cavaliers e ir até o outro lado do país para jogar no Los Angeles Lakers.

Quais as coincidências entre as transações desses dois gênios, similares em tantos aspectos dominantes que você jamais poderia imaginar? Como essas mudanças afetam os seus respectivos esportes? Vamos tentar responder essas e outras perguntas.

“Não quero ser apelão!”

Uma coisa há de ser dita. LeBron James e Cristiano Ronaldo não escolheram o caminho mais fácil.

Segundo maior campeão da história da NBA (16 títulos), o Los Angeles Lakers não sabe o que é playoffs desde 2013. De lá para cá, se tornou uma das piores equipes da liga e está se reconstruindo há anos, com talentos de Drafts recentes como Kyle Kuzma, Brandon Ingram e Lonzo Ball.

De fato, LeBron trocou o “conforto” da Conferência Leste, onde provou basicamente que pode levar qualquer equipe à final todo ano, para se arriscar no Oeste, correndo o risco de enfrentar seu arquirrival Golden State Warriors antes da decisão da NBA, fora o Houston Rockets.

Do lado de Ronaldo, ele simplesmente deixou o atual tricampeão da Champions League de lado. Poderia se aventurar em um dos poderosos da Premier League, no bilionário Paris Saint-Germain ou até em algum rico e ostentador chinês. O português foi para um gigante do futebol italiano, campeão nacional nos últimos 7 anos, de fato, mas que não consegue o título da Europa desde 1996.

Ao todo, a Juventus tem nove finais de Champions e ganhou apenas duas, sendo dois vices nos últimos quatro anos, um deles para CR7 e o Real Madrid.

Mais um título de Champions, pelo terceiro time diferente, sendo que esse não é tão “apelão” quanto outros, aumentaria ainda mais o legado de CR7.

O que eles vão encontrar na nova casa?

No caso de Ronaldo, a casa parece estar mais bem preparada que a de LeBron. Ele vai para um time que esteve entre os quatro melhores da Champions nos últimos dois anos. Sim, a Juventus perdeu sua referência (o goleiro Gianluigi Buffon), mas o português tem total condição de substituir o arqueiro nessa função.

LeBron já tem um caminho diferente. Os Lakers venceram apenas 35 jogos na temporada passada. Nos últimos quatro anos, a franquia acumulou recordes negativos. E a esperança é que LeBron conduza os mais jovens para fazer de Los Angeles uma potência no basquete de novo.

Eles vão conseguir manter o auge por quanto tempo?

No caso de Cristiano Ronaldo, há mais debate do que com LeBron no quesito: quem é o melhor da sua modalidade?

Curiosamente, ambos têm 33 anos e mostraram nos últimos 12 meses que ainda vivem seu auge. Há duas coisas a se ponderar. Ao mesmo tempo que surge a dúvida sobre “será que eles conseguem?”, Ronaldo e LeBron são dois fenômenos que levaram a parte física do esporte a um outro novo.

Mesmo além dos 30, ambos nunca apresentaram uma lesão séria e quase desafiaram a ciência humano com jogadas incríveis recentes.

Já é sabido que LeBron irá mudar seu estilo de jogo durante os quatro anos que irá ficar nos Lakers. Diga adeus ao James dos triple-doubles que conduz a bola de um canto ao outro da quadra por 48 minutos. A ideia dele e de Magic Johnson, presidente da franquia, é tê-lo mais perto do garrafão. Além disso, com bons defensores a seu lado, ele não deverá se desgastar tanto para se impor quando os rivais estão com a bola. Por isso, as contratações de Lance Stephenson, JaVale McGee e Rajon Rondo pareceram estranhas de início, mas fazem todo sentido.

Já Ronaldo, que conseguiu unir como poucos uma habilidade com os pés e um jogo completo, fazendo gol de todas as formas possíveis, ainda não deu indícios de que irá mudar seu estilo, saindo do canto esquerdo do ataque. Mas algum dia ele irá virar um centroavante nato? Não seria absurdo pensar.

O valor dos dois foi justo?

A Juventus pagou o quarto maior valor da história do futebol por Ronaldo: 112 milhões de euros (R$ 506 milhões), atrás de Philippe Coutinho (120 milhões, Barcelona), Mbappé (128 milhões, PSG) e Neymar (222 milhões de euros).

A média anual do salário de Ronaldo gira em torno dos R$ 248 milhões na Juventus.

Como na NBA não existe valor pela transação, o atleta acerta somente os salários com o time. E o de LeBron vai ser de US$ 153 milhões (R$ 596 milhões), com uma média anual de US$ 38,3 milhões (R$ 148,6 milhões).

Quem vai se dar melhor na nova casa?

Quem vai ganhar um título (NBA ou Champions) antes? Quem, ao final das contas, vai ter ido melhor no seu novo time? Só o tempo nos dirá. Enquanto isso, aproveite esses dois fenômenos no auge.