<
>

Anderson Silva contra tudo e contra todos: a saga de herói de um dos maiores da história do MMA

Anderson Silva cresceu como fã número 1 do Homem-Aranha. Criado pela tia assim como Peter Parker, mal sabia ele que esse seria o apelido que o acompanharia pela vida.

Ele virou Spider no Japão. Anderson não tinha apelido, algo praticamente obrigatório para lutadores. A locutora de um evento o viu com uma camisa do herói favorito e resolveu criar o codinome: Anderson The Spider Silva.

E Anderson teria capítulos em sua carreira de um legítimo super-herói. Enfrentou todos e praticamente tudo. E o ESPN.com.br ilustra e narra a saga inteira.

Anderson x estreia

Era a estreia no UFC, e a pressão poderia atrapalhar, ainda mais contra o rival embalado. Poderia se não estivéssemos falando de Anderson Silva. Jabs, chutes, sequência de golpes... A estreia no principal evento de MMA do mundo tinha durado apenas 49 segundos. E havia sido um verdadeiro massacre. “Prazer, Spider”.

Anderson x o campeão

Uma estratégia perfeita, um clinch que se mostrou um dos melhores do mundo do MMA, 25 joelhadas, mais dois chutes e uma derradeira joelhada. O brasileiro nem acreditou e se jogou no chão. Quando se levantou, já estava chorando. Ele era o campeão do UFC. E começava ai uma sequência incrível de recordes.

Anderson x o brasileiro

Quando o espetáculo deixa de ser um show. Anderson não gostou de ser colocado para lutar contra um brasileiro, ainda mais contra alguém com quem já havia treinado. Decidiu que ganharia, mas com uma espécie de ‘punição’ ao patrão. Mais dançou do que lutou e ouviu mais vaias do que qualquer outra coisa em 25 minutos de duelo. Ele virava um campeão-problema.

Anderson x a 'punição' do chefe

A resposta de Dana White foi colocar Anderson Silva contra o pior adversário possível na luta seguinte. O escolhido foi Forrest Griffin, ex-campeão meio-pesado. Era um cara mais pesado, teoricamente com a mão mais pesada e com o queixo mais resistente. Não deu nem para o gasto. Spider esbanjou categoria, esquivou de todos os socos e conseguiu um nocaute espetacular em um contragolpe.

Anderson x o chefe (de novo!)

Campeão de jiu-jitsu, Demian Maia provocou e disse que levaria uma das oito pernas do Aranha para casa. Spider respondeu no octógono: dançou, pulou, abaixou a guarda, xingou e até implorou para que o rival viesse para cima. Lutar que é bom, nada! Mais vaias e uma ameaça séria: Dana White chegou até a cogitar a demissão de seu maior campeão.

Anderson x a (quase) derrota

Sonnen fez o que mais sabia fazer antes do combate: provocou, provocou e voltou a provocar. Anderson escondeu, mas entrou em ação com uma costela quebrada. Acabou apanhando como nunca havia apanhado. Por quatro rounds e meio, foi atropelado. Mas Anderson Silva é Anderson Silva. Em um segundo, achou a brecha e finalizou em um triângulo. Uma virada épica!

Anderson x a luta do século

Três minutos de estudos, a distância perfeita e... um chute! Um chute apenas. Um chute rápido, perfeito, certeiro no rosto de Vitor Belfort. Um chute que acabou com uma das lutas mais esperadas de todos os tempos. Um chute que significou bem mais que um nocaute. Um chute que colocou o MMA no imaginário de qualquer brasileiro. Um chute para história!

Anderson x o trash talk

Provocações, provocações e mais provocações. De novo! Assim é quando se luta contra Chael Sonnen. E esse combate tinha um sentido a mais para Anderson. Afinal de contas, o mundo ainda achava que havia algo a se provar depois de uma vitória sofrida no primeiro duelo. Uma forte joelhada no peito, porém, deixou todas essas dúvidas para trás.

Anderson x a derrota

Mãos completamente para baixo, esquiva para lá e para cá. Um soco que deixa acertar de propósito e finge ter balançado. Anderson era o dono do octógono, Weidman estava destruído psicologicamente. Estava? Um passo em falso do brasileiro, um soco em cheio no queixo, e o mundo veio a baixo. Depois de tanto brincar, a lenda estava no chão.

Anderson x a lesão

Anderson perdeu o título, mas não a aura de melhor do mundo. Afinal de contas, só caiu porque brincou demais. E prometia vir com tudo na revanche. A graça, porém, acabou rapidamente. Depois de tomar sufoco no 1º round, Spider voltou bem no segundo, mas parou em um movimento do rival que quebrou sua perna. Pela primeira vez, o brasileiro lutaria contra uma lesão.

Anderson x o retorno - e o doping

E foi uma luta ainda muito mais difícil que o esperado. Anderson saia de casa para não chorar em frente aos filhos por conta da dor. Foram 399 dias longe dos octógonos e a volta foi com vitória e muita emoção. Mas um estimulante sexual adulterado (ao menos essa é a explicação dele) e um doping jogaram por água abaixo o retorno triunfal. O Aranha foi definitivamente derrubado pela fortíssima chuva. De críticas!

Anderson x os juízes

Spider pegou um ano de suspensão pelo doping. Mas já voltou a uma luta de uma nova chance de disputar o cinturão. E chegou a sentir o gostinho da oportunidade. Anderson encaixou uma joelhada voadora espetacular que derrubou o Michael Bisping. Nocaute. Só que não! O juiz Herb Dean disse que o round já tinha acabado. E os jurados ainda deram a vitória também polêmica na decisão ao inglês.

Anderson x o tempo

Uma das maiores loucuras da história do MMA. Jon Jones foi pego no doping e acabou deixando o card do UFC 200 na mão. Anderson Silva resolveu substituí-lo contra Daniel Cormier, que depois chegou a ser campeão dos pesados, duas categorias acima. E com apenas DOIS dias de antecedência. Anderson perdeu, mas resistiu até o final do terceiro round. E deixou o octógono até com um gostinho de vitória.

Anderson x a seca de vitórias

Excesso de brincadeiras, lesão, doping, problemas com os juízes, luta de superação... Por muitos motivos diferentes, é verdade, mas Anderson Silva ficou quatro anos e meio sem uma mísera vitória no cartel. Algo completamente impensável! O jejum acabou em 11 de fevereiro de 2017. Vitória na decisão contra Derek Brunson. Adeus jejum!

Anderson x o suplemento contaminado

Só que quis o destino que Anderson mais uma vez caísse no doping. Mais uma chuva de críticas, mas uma série cansativa de julgamentos e tribunais. Desta vez, porém, a prova da inocência veio! A USADA comprovou que ele havia ingerido um suplemento contaminado e o livrou da pena máxima. Mesmo assim, mais um ano de suspensão. Mas ao menos com o alivio de ter mostrado a verdade ao mundo!