<
>

Aldo encara Stephens querendo voltar ao topo do UFC: 'Sonho em parar como campeão'

José Aldo participa de entrevista coletiva do UFC Fight Night em Calgary, no Canadá Getty Images

José Aldo viverá algo novo em sua carreira. Isso porque o atleta de 31 anos, há sete no UFC, fará, pela primeira vez em sua carreira no maior evento de MMA do mundo, uma luta que não vale cinturão. Isso porque, depois de dominar a categoria peso-pena entre 2011 e 2014 e retomar sua hegemonia em 2016, ele vem de duas derrotas e, por isso, precisa vencer o norte-americano Jeremy Stephens neste sábado, em Calgary, no Canadá, para voltar a sonhar com o título.

"Primeiramente, tenho que vencer no sábado. É só isso que passa na minha cabeça agora. Eu treinei bastante jiu jitsu, kickboxing. Eu quero usar bastante a perna, treinei bastante isso, mas tudo depende do que estiver acontecendo na luta. Estou preparado para ir para uma guerra. Aí sim, vencendo, eu tenho uma grande oportunidade de, quem sabe, fazer esse cinturão interino com o Ortega", disse o brasileiro, lembrando o fato de que Max Holloway, seu algoz em duas oportunidades, está afastado do UFC após ter tido sintomas de concussão recentemente.

E voltar a ser campeão, condição em que esteve na maioria da carreira, é o grande objetivo de Aldo, que, além do duelo com Stephens, possui mais três lutas em seu contrato com o UFC e parece decidido que, após o compromisso, deve encerrar sua carreira. "Eu sonho em sair como campeão, mas se isso não acontecer, saio de cabeça erguida. Acho que deixo um legado bom. Sei que bastante gente se inspira em mim".

💣🔥🥊

A post shared by Jeremy Stephens (@lilheathenmma) on

Com três derrotas em suas últimas quatro lutas, Aldo não está acostumado a estar em baixa. Seu pior momento, com certeza, foi a derrota para o irlandês Conor McGregor, em 2015, quando foi nocauteado em apenas 13 segundos. Ele, porém, não acredita que aquilo tire o brilho de sua vitoriosa carreira. "Todo mundo me trata como campeão. Foi uma coisa tão rápida, que acho que não está na memória de ninguém. Não tem porque uma derrota manchar uma grande trajetória".

Dono de um card de 26 vitórias e 4 derrotas na carreira, ele não tem nada do que reclamar dos fãs, mas não esconde o incômodo com a diferença de tratamento que sentiu após perder o cinturão. "O povo tem um carinho muito grande por mim, muito respeito também. Mas patrocinador mudou bastante. Quando você é campeão, é uma coisa, mas quando perde, você fica meio de lado. Aqui no Brasil parece que te valorizam só quando está em primeiro. Se você não está, é descartado", desabafou.

The main card keeps rolling in #UFCCalgary

A post shared by ufc (@ufc) on

Além da luta entre Aldo e Stephens, o UFC Calgary tem, como combate principal do evento, o confronto entre os norte-americanos Eddie Alvarez e Dustin Poirier, do peso-pena e que fazem um tira-teima após o primeiro encontro entre eles ter terminado sem resultado por causa de uma joelhada ilegal de Alvarez.

CARD PRELIMINAR
Peso-meio-médio: Jordan Mein x Alex Morono
Peso-pena: Hakeem Dawodu x Austin Arnett
Peso-leve: Kajan Johnson x Islam Makhachev
Peso-meio-pesado: Gadzhimurad Antigulov x Ion Cutelaba
Peso-leve: John Makdessi x Ross Pearson
Peso-mosca: Alexis Davis x Katlyn Chookagian
Peso-mosca: Dustin Ortiz x Matheus Nicolau
Peso-palha: Randa Markos x Nina Ansaroff
Peso-leve: Devin Powell x Alvaro Herrera

CARD PRINCIPAL
Peso-leve: Eddie Alvarez x Dustin Poirier
Peso-pena: José Aldo x Jeremy Stephens
Peso-palha: Joanna Jedrzjeczyk x Tecia Torres
Peso-leve: Alex Hernandez x Olivier Aubin-Mercier