ESPN

O que são os eSports?

ESPN Esports e Banco do Brasil apresentam: A gente explica e você vira fã!

Um estádio lotado. A torcida vibrante dentro e fora da arena. Adversários em campo na disputa pelo título. Parece até que estamos falando de uma decisiva partida de futebol, mas trata-se de um cenário típico no mundo dos esports – um mundo onde os jogos eletrônicos e seus craques reinam absolutos.

Os esports – ou, se preferir, electronic sports – referem-se às competições de jogos eletrônicos de nível profissional transmitidas para uma legião de fãs ao redor do mundo. Disputados individualmente ou em equipe via internet e computadores em rede, os esports são modalidades competitivas disputadas em games como League of Legends e Counter-Strike. Eles formam hoje uma indústria que agrega competidores, times, desenvolvedoras de games e empresas patrocinadoras, num ritmo que promete movimentar até o ano de 2022 a soma de 3 bilhões de dólares. Números gigantescos para uma máquina gigantesca que disputa atenção junto aos demais esportes tradicionais, exigindo de seu panteão de atletas o mesmo nível de treino e comprometimento. Para saber mais sobre este universo de disputas emocionantes no mouse e no joystick, acompanhe nosso guia básico sobre os esports.

Como tudo começou?

O primeiro evento de esports de que temos notícia ocorreu em outubro de 1972 na Universidade Stamford, na Califórnia, quando alunos organizaram uma disputa de Spacewar - um dos pioneiros jogos de computador. Oito anos mais tarde, a empresa Atari foi responsável pela primeira grande competição de videogame da história: o Campeonato de Space Invaders, que atraiu 10 mil jovens nos Estados Unidos. Desde então, com a evolução da tecnologia e da internet, as competições de jogos eletrônicos ganharam fôlego nas lan houses e se popularizaram para além da América do Norte, ganhando espaço na Europa e na Ásia – especialmente, na Coreia do Sul, hoje considerada por muitos de capital mundial dos esports. Porém, foi somente com a popularização da banda larga ao redor do mundo na década passada que as desenvolvedoras de games passaram a investir de forma maciça nos campeonatos de jogos eletrônicos, dando origens às ligas profissionais e às transmissões ao vivo dos torneios pela internet, o que pavimentou o caminho para o atual fenômeno dos Esports.


Campeonato de Space Invaders realizado em 1980 Atari

Como tudo funciona?

Os esports são uma grande máquina que funciona a partir de quatro engrenagens fundamentais: as empresas de jogos eletrônicos, as ligas, os jogadores e as plataformas de streaming. Quanto mais alinhadas estão essas engrenagens, maior é a longevidade do games, como os consagrados Dota 2, Counter-Strike, LoL e Overwaych. Confira a seguir o papel de cada uma delas:

  • • EMPRESAS DE JOGOS ELETRÔNICOS: Não há criatura sem um criador. Responsáveis pela elaboração dos jogos e ansiosas por uma boa repercussão entre os jogadores que eleve seus produtos à categoria de esports, essas empresas podem ainda exercer outras funções dentro deste setor, como organizar torneios ou mesmo transmitir as partidas diretamente para o público - ao exemplo da Riot Games, criadora do League of Legends;

  • • LIGAS: Se uma empresa lança um game que se torna sucesso de público, as ligas surgem para organizar campeonatos de jogadores individuais ou equipes. As ligas têm como principais funções criar regras para as disputas, captar recursos de patrocinadores e promover a divulgação de seus esports. Essas ligas podem ser independentes ou derivadas das próprias empresas criadoras dos games;

  • • JOGADORES: no mundo dos esports, são eles os protagonistas. Os atletas de esports, como em qualquer esporte tradicional, podem seguir carreira solo ou jogar em equipes, sendo remunerados por seus clubes e recebendo dinheiro de patrocínio, publicidade e dos próprios prêmios dos torneios. Pode parecer a carreira dos sonhos, mas o desafio não é para qualquer um; jogadores profissionais podem dedicar até treze horas diárias nos treinos para os campeonatos;

  • • PLATAFORMAS DE STREAMING: os Esports jamais conquistariam tamanha audiência sem o streaming, expressão inglesa referente à transmissão de conteúdo via internet. Embora atualmente alguns canais transmitam as disputas pela TV a cabo, são sites como o Twitch e o YouTube que se destacam por permitirem aos mais de 100 milhões de fãs de Esports assistirem ao vivo às partidas e aos próprios jogadores em ação sem precisar pagar nada.


G2 Esports, uma das melhores equipes de League of Legends do mundo Riot Games

Quais são as modalidades?

Nem só de jogos de tiro e de arena vivem os esports. A riqueza desta indústria está na variedade de gêneros que envolve, abrangendo desde os fãs de esportes tradicionais até os aficionados por cartas – o que exige um rol de jogadores com as mais diferentes habilidades. Conheça a seguir as modalidades mais populares no universo dos esports:

  • • MOBA: estilo de maior apelo entre os fãs de Esports, o MOBA (Multiplayer Online Battle Arena) é um gênero de RPG e estratégia em que dois times devem se enfrentar em uma arena com o objetivo de conquistar a base principal do oponente. Dentre seus principais títulos estão League of Legends e Dota 2;

  • • BATTLE ROYALE: Fortnite e PUBG são as grandes estrelas deste gênero de sobrevivência em que é declarado vencedor o jogador ou grupo de jogadores que sobreviverem às investidas dos demais adversários em uma arena;

  • • FPS: O gênero FPS (First Person Shooter), ou Tiro em Primeira Pessoa, consiste na vitória sobre o oponente seja pelo cumprimento de uma missão, como destruir sua base, ou pela aniquilação do time. Se você pensou em Counter Strike e Overwatch, acertou;

  • • RTS: Sigla para Real-Time Strategy, ou Estratégia em Tempo Real, a modalidade engloba jogos de RPG consagrados como StarCraft e Warcraft, que exigem a captação de recursos para o enriquecimento de sua base e fortalecimento de seu exército para o combate aos adversários;

  • • FIGHTING: Os jogos do gênero Fighting – ou, em bom português, jogos de luta – trazem como objetivo descer a porrada no seu oponente até que seus pontos de vida cheguem ao zero. Geralmente disputado por apenas dois jogadores, o gênero apresenta como expoentes as franquias Street Fighter, Smash Bros e Mortal Kombat;

  • • CARDGAME: Esta modalidade, também conhecida como Cartas, envolve a disputa estratégica entre dois jogadores em um tabuleiro onde o objetivo é, na maioria dos jogos, zerar os pontos do rival. Hearthstone e GWENT são os grandes nomes atuais do gênero;

  • • SIMULADORES: Esta categoria engloba os jogos que, como o próprio nome sugere, reproduzem as características de esportes do mundo real, como o futebol e o basquete. Disputados entre equipes, os simuladores apresentam como principais destaques as franquias FIFA, Pro Evolution Soccer e NBA 2K.


Os torneios de Fifa fazem a ponte entre os esportes tradicionais e os esportes eletrônicosElectronic Arts

Esports em números

  • 453,8 milhões é a estimativa global de público de esports no ano de 2019. Os fãs assíduos compõem 201,2 milhões deste total, enquanto os espectadores casuais representam 252,6 milhões. Para o ano de 2021, a indústria prevê que a soma total de audiência atinja a marca de 557 milhões de pessoas;

  • • O Brasil está em lugar na lista das maiores torcidas de esports do mundo, atrás da China e dos Estados. São, ao todo, 21,2 milhões de espectadores – entre eles, 9,2 milhões de fãs regulares e 12 milhões de entusiastas casuais. Isso representa para o país um aumento de 20% de audiência comparado ao ano de 2018;

  • • No ano de 2013, o público mundial assistiu a um total 2.4 bilhões de horas de esports via streaming. Com o vigoroso aumento de público nos anos seguintes, o total de horas assistidas em 2018 saltou para 6,6 bilhões;

  • • Estima-se que o mercado de esports movimente 1,8 bilhão de dólares em 2022. Deste total, 897 milhões de dólares serão derivados de setores como a publicidade e os direitos de mídia.

O ESPORT NO BRASIL

O cenário brasileiro está se aproximando cada vez mais dos esportes eletrônicos e se aproximando dos principais times e jogadores. Coisas que geralmente vemos nos esportes tradicionais estão se tornando cada vez mais presentes nos esportes eletrônicos, como centros de treinamento, patrocinadores e uma multidão de seguidores nas redes sociais de times e jogadores.

No Brasil atletas como Felipe “brTT” Gonçalves e Gabriel “Kami” Bohm, jogadores de League of Legends, possuem milhares de seguidores em suas redes sociais. Outros jogadores, como Gabriel “Fallen” Toledo, saíram das terras tupiniquins e partiram para ganhar a vida lá fora, jogando para equipes internacionais e para uma audiência internacional.

Cada vez mais vemos novos torneios internacionais sendo realizados ou produzidos no Brasil, como a Blast Pro Series de São Paulo, que trouxe milhares de fãs de Counter-Strike: Global Offensive para o ginásio do Ibirapuera em São Paulo em março de 2019 e a ESL One de Belo Horizonte. Em 2017 o Brasil recebeu o Mid-Season de League of Legends em São Paulo e no Rio de Janeiro e em 2018 a capital carioca também recebeu as finais da Pro League de Rainbow Six: Siege.

O cenário de esports está crescendo, é fato. Porém ainda temos muito para explicar nessa série. Então fique ligado nas próximas semanas para acompanhar mais sobre o mundo dos esportes eletrônicos aqui e nos canais ESPN.


Rafaela Caetano Rafaela Caetano é jornalista, tradutora e mestre em Comunicação. Trabalha na área de games desde 2005 e acha que o mundo precisa de mais amor e Silent Hill.