<
>
2018 Copa Libertadores, Fase de Grupos
  • Johnny Vidales (8')
  • Alfredo Ramua (89')

Santos leva golaço e estreia na Libertadores com derrota para o Real Garcilaso

David Braz, em disputa de bola durante partida contra o Real Garcilaso Ivan Storti/Santos FC

O Santos começou a sua campanha na Copa Libertadores de 2018 com o pé esquerdo. Nesta quinta-feira, no estádio Inca Garcilaso de la Vega, em Cusco, no Peru, a equipe paulista perdeu por 2 a 0 para o Real Garcilaso. Na altitude de 3.400, Jhonny Vidales e Alfredo Ramúa fizeram os gols da partida.

O primeiro gol do Real Garcilaso saiu com menos de 10 minutos de jogo. Iván Santillán driblou Daniel Guedes e cruzou rasteiro para Jhonny Vidales, que passou na frente de Jean Mota e só empurrou para o gol aberto. Na etapa final, Alfredo Ramúa garantiu a vitória com uma verdadeira pintura. O camisa 10 do time peruano soltou a pancada de muito longe para marcar o golaço.

Curiosidade: Rodrygo Goes entrou em campo aos 36 minutos do segundo tempo no lugar de Eduardo Sasha e fez história. Com apenas 17 anos, o jovem se tornou o jogador mais novo a vestir a camisa do Santos na Libertadores.

O Santos volta a campo pela Libertadores na quinta-feira do dia 15, às 19h15 (de Brasília), em partida contra o Nacional, do Uruguai, no Pacaembu. Já o peruano Real Garcilaso visita o Estudiantes no Ciudad de La Plata, na Argentina, no dia 14, às 19h15 (de Brasília).

O JOGO

O primeiro tempo do Santos em Cusco foi para ser esquecido. Quase tudo deu errado e o Real Garcilaso dominou os 45 minutos iniciais. O 1 a 0 no intervalo ficou barato.

Os peruanos pressionaram desde o início e abriram placar já aos 7, quando Santillán passou facilmente por Daniel Guedes, David Braz não cortou e Jean Mota deixou Vidales antecipar no segundo pau para marcar.

O Peixe poderia ter melhorado a sua situação aos 16, quando Vecchio acertou um de seus poucos passes para Sasha rolar e Gabigol, sem goleiro, chutar fraco para a defesa afastar em cima da linha. De ali em diante, foi um sufoco.

O alvinegro perdeu quase todas pelo alto, sofreu com chutes de fora da área e Vanderlei foi, como de costume, decisivo. O meio-campo inexistiu com Renato e Vecchio e foi salvo por Alison. Copete foi o pior.

O Santos só voltou ao assustar no último lance, em falta de longe cobrada por Jean Mota. A bola passou perto da trave direita de Morales. O apito do árbitro foi um alívio.

E o enredo no segundo tempo não foi alterado. Logo aos dois minutos, Vanderlei fez mais uma bela defesa em chute de Ramúa, garçom e melhor jogador do Garcilaso.

Aos oito minutos, o Peixe teve a segunda grande chance de empatar. Eduardo Sasha tabelou com Daniel Guedes e tocou para Vecchio, da entrada da área, sozinho, chutar por cima do gol.

A reação, porém, foi só um esboço. Os donos da casa continuaram em cima, principalmente com finalizações de longe. Vanderlei seguiu trabalhando durante todo o tempo.

Na segunda metade da etapa final, o Santos não teve forças para reagir. Jair tentou mudar o cenário com Arthur Gomes, Vitor Bueno e Rodrygo, mas não deu certo. O Garcilaso conseguiu administrar o resultado e ainda fez o segundo gol aos 44 minutos, em lindo chute de Ramúa de fora da área, aos 44 minutos. Com o resultado positivo, os peruanos assumem a liderança do Grupo 6.

FICHA TÉCNICA
Real Garcilaso 2 x 0 Santos

Local: Inca Garcilaso de la Vega, em Cuzco (Peru)
Data: 1 de março de 2018, quinta-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Gery Vargas
Assistentes: José Antelo e Juan Montaño
Cartões amarelos: REAL GARCILASO: Dulanto. SANTOS: Lucas Veríssimo, Vitor Bueno e Vecchio

GOL
Real Garcilaso: Vidales, aos sete minutos do 1T, e Ramúa, aos 44 do 2T.

REAL GARCILASO: Diego Morales, Arismendi, Dulanto, Kontogiannis e Santillán; Garcia (Archimbaud) e Álvarez; Vidales (Pérez), Ramúa e Landauri (Cóssio); Franco
Técnico: Óscar Ibañez

SANTOS: Vanderlei, Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota (Arthur Gomes); Alison; Eduardo Sasha (Rodrygo), Renato, Vecchio (Vitor Bueno) e Copete; Gabigol.
Técnico: Jair Ventura