<
>

Bola de Prata 50 - Pelé hors concours e 5 campeões da Copa; relembre a 1ª seleção do prêmio

play
Pelé recebe homenagem, ganha Bola de Ouro especial e se emociona (1:28)

Em 2016, lenda do futebol recebeu a premiação (1:28)

O Prêmio ESPN Bola de Prata Sportingbet é a honraria mais tradicional do futebol brasileiro. E chega neste ano a uma marca incrível: 50 edições. Nada melhor, então, que relembrar a história dessa premiação tão importante. E nada mais justo do que começar com a primeira seleção montada, que pode ser considerada até hoje como uma das melhores de todos os tempos.

A premiação anual foi idealizada pelos jornalistas Michel Laurence e Manoel Motta na revista Placar. Criada logo após a conquista da seleção brasileira na Copa do Mundo do México, em 1970, a Bola de Prata teve cinco nomes convocados por Zagallo entre os primeiros vencedores.

Vale lembrar: a honraria é dada aos jogadores com melhores médias de notas na disputa do Campeonato Brasileiro.

Foram levados em consideração naquele ano de 1970 as atuações dos atletas no torneio Roberto Gomes Pedrosa, que depois foi reconhecido pela CBF e unificado como Brasileiro.

A seleção ficou: Picasso (Bahia), Humberto Monteiro (Atlético-MG), Brito (Cruzeiro), Reyes (Flamengo), Everaldo (Grêmio), Zanata (Flamengo), Dirceu Lopes (Cruzeiro), Samarone (Fluminense), Vaguinho (Atlético-MG), Tostão (Cruzeiro) e Paulo César Caju (Botafogo).

Além disso, foi dado o prêmio "Hors Concours" a Pelé (Santos), considerado o maior jogador de todos os tempos. As médias finais dos jogadores não eram divulgadas. Vale ressaltar que a premiação do Bola de Ouro, dada ao jogador com maior média do torneio, só foi criada em 1973.

Destes 12 jogadores, Everaldo, Brito, Tostão, Caju e Pelé estiveram na conquista do tricampeonato mundial.

Mas o curioso é pensar que todos os campeões do mundo de 1970 – incluindo o técnico Zagallo - estavam naquele Robertão, que foi vencido pelo Fluminense. Na equipe das Laranjeiras estavam o goleiro Félix e o defensor Marco Antônio, que venceram a Copa com o Brasil, mas não faturaram a Bola de Prata.

O que só aumenta os feitos de Picasso, Humberto Monteiro, Reyes, Zanata, Dirceu Lopes, Samarone e Vaguinho, que desbancaram os grandes nomes do Mundial, como Carlos Alberto, Gérson, Rivellino, Jairzinho e cia.

Veja a primeira seleção do Bola de Prata:

Picasso (Bahia), Humberto Monteiro (Atlético-MG), Brito (Cruzeiro), Reyes (Flamengo), Everaldo (Grêmio), Zanata (Flamengo), Dirceu Lopes (Cruzeiro), Samarone (Fluminense), Vaguinho (Atlético-MG), Tostão (Cruzeiro) e Paulo César Caju (Botafogo).

Pelé (Santos) recebeu o prêmio de Hors Concours.

Veja em qual clube cada campeão da Copa de 70 atuava no Robertão:

Goleiros
Félix: Fluminense
Ado: Corinthians
Leão: Palmeiras

Defensores
Brito: Cruzeiro
Piazza: Cruzeiro
Carlos Alberto: Santos
Marco Antônio: Fluminense
Baldocchi: Palmeiras
Fontana: Cruzeiro
Everaldo: Grêmio
Joel: Santos
Zé Maria: Corinthians

Meio-campistas
Clodoaldo: Santos
Gérson: São Paulo
Rivelino: Corinthians
Paulo César: Botafogo

Atacantes
Jairzinho: Botafogo
Tostão: Cruzeiro
Pelé: Santos
Roberto: Botafogo
Edu: Santos
Dario: Atlético Mineiro