<
>

Como Ajax ganhou disputa ferrenha à la City x Liverpool contra o PSV no Holandês

O Ajax foi sem dúvidas uma das grandes histórias dessa temporada no futebol europeu. Campeão da Copa da Holanda, do Campeonato Holandês e por muito pouco não classificado para a final da Champions League, o time dirigido por Erik Ten Hag mostrou um futebol que encantou a todos, e que terminou ontem com a conquista da Eredivise.

Só que para conquistar o título a equipe teve que lutar até o fim contra o PSV, em uma disputa que se assimilou muito com a da Premier League, onde Manchester City e Liverpool travaram uma disputa acirradíssima até a última rodada, consagrando os Citizens como campeões.

Na Holanda, assim como na Inglaterra, a disputa chegou até a última rodada, mas praticamente definida. O Ajax, para perder o título, precisava perder para o rebaixado De Graafschap, e o PSV, segundo colocado, precisava vencer o Heracles e ainda tirar uma diferença de 14 gols de saldo. Com a vitória do Ajax, nem foi precisa uma combinação improvável.

Na Inglaterra, City e Liverpool também chegaram na última rodada brigando pela taça. Na liderança, o time de Manchester precisava vencer o Brighton na última rodada para não depender de qualquer resultado. E foi que aconteceu. Vitória por 4 a 1 fora de casa e título conquistado mesmo com o Liverpool fazendo seu papel e ganhando do Wolverhampton por 1 a 0.

Mas essa não foi a única semelhança. Assim como City e Liverpool monopolizaram a disputa na Inglaterra, Ajax e PSV travaram um intenso duelo pelo título da Eredivise, que se estendeu da quarta rodada até o fim. O ponto de virada para os campeões veio na 29ª rodada com o empate por 3 a 3 do PSV com o Vitesse. O triunfo contra o Willem II por 4 a 1 deu a liderança à equipe. Já para o City, a tomada da liderança aconteceu após vitória contra o Everton por 2 a 0 e o empate do Liverpool contra o West Ham na 25ª rodada.

A briga pela artilharia também foi outro “elemento” de Premier League na Eredivise. Salah, vice-campeão inglês com o Liverpool, foi um dos artilheiros com 22 gols ao lado de Mané e Aubameyang. Na Holanda, Luuk de Jong, vice-campeão holandês pelo PSV, terminou como maior goleador com 28 gols junto com Tadic, que na última rodada anotou mais dois gols e empatou no número de gols. Ou seja, os dois campeonatos tiveram artilharias divididas.

Ao final, a campanha do campeão Ajax terminou com 28 vitórias, dois empates e duas derrotas ao final de 34 jogos. O PSV, vice-campeão, até perdeu menos, três jogos, mas acabou ficando com o vice. Foram 26 vitórias e cinco empates nos mesmos 34 jogos.

E não foi um caminho simples. Além de brigar pelo título nacional, o Ajax teve outra missão no meio do caminho e que quase deu certo: encantar a Europa. Já na primeira fase a equipe saltou aos olhos de todos pelo bom futebol apresentado, e que foi testado, aprovado e motivo de exaltação ao longo do torneio.

Passou do Real Madrid com extrema imposição goleando por 4 a 1 no Santiago Bernabéu nas oitavas de final. Na fase seguinte, contra a poderosa Juventus, mais uma vitória fora de casa por 2 a 1 após empate na Holanda e vaga na semifinal. Mais uma vitória, desta vez no novo estádio do Tottenham, parecia ter encaminhado a vaga para a decisão, mas o gol de Lucas no último instante acabou com tudo.

Mas ainda restavam dois campeonatos a serem conquistados, Copa da Holanda e Campeonato Holandês. O primeiro veio com uma grande atuação e vitória por 3 a 0 em cima do Willem II, sacramentando o 19º título da história. Faltava a Eredivise, que já poderia ter acabado, afinal, a última rodada aconteceu no último final de semana.

Nesse meio de semana aconteceu a penúltima rodada, que foi adiada pela federação local justamente por conta da presença do Ajax na semifinal da Champions. A estratégia visava deixar a equipe focada e preparada para avançar à final, que ao fim acabou não acontecendo.

E grande parte de uma temporada brilhante e surpreendente do Ajax se deve ao brilho de seus jogadores, entre eles De Jong, De Ligt, David Neres, Tadic e Ziyech.

No ataque, Tadic, o mais experiente, foi aquele que mais brilhou. Foram 39 participações, com 28 gols e 13 assistências. O brasileiro David Neres contribuiu ao todo com oito gols e oito passes. O marroquino Ziyech deu 13 assistências e fez 16 gols.

Já no meio, Frenkie de Jong foi o maestro da equipe. Com três gols e três passes, fazia a saída de bola da equipe com extrema categoria e qualidade, iniciando todas as construções de jogadas e dando ritmo à troca de passes do time. Para a próxima temporada, o garoto já está negociado com o Barcelona.

Outro que também pode ir ao Barça é o zagueiro mais cobiçado do mercado europeu: Matias de Ligt. Com ótima saída de bola e segurança defensiva, o garoto de apenas 19 anos da seleção holandesa foi o pilar da defesa do Ajax no ano, e ainda contribuiu com três gols e um passe.

A combinação de todos esses talentos em uma equipe muito bem treinada pelo jovem Erik ten Haag resultou em números impressionantes. Foram nada menos que 175 gols na temporada, sendo 119 só na Eredivise. Na defesa, 31 gols sofridos em 34 jogos.

Esse Ajax marcou história, tanto a nível local como europeu, e é bem provável que não se mantenha para dar sequência na belíssima temporada que se encerrou com o 34º título nacional do clube, que viva um jejum desde a temporada 2013/2014. O que esperar do futuro? Só o tempo dirá.