<
>

De Rossi deixa Roma após 18 anos, torcida se enfurece e vai ao CT protestar: 'Funerária'

play
De Rossi se despede da Roma e afirma ainda se sentir jogador: 'Me imaginava cheio de curativos e quase aleijado' (1:55)

Jogador italiano é o segundo maior da história do clube em partidas jogadas (1:55)

Na última terça-feira, o meio-campista Daniele De Rossi anunciou que, por decisão da diretoria, não terá o contrato renovado e deixará a Roma ao final desta temporada, após 18 anos de serviços prestados ao seu time de coração.

A reação dos torcedores, por sua vez, foi imediata.

Extremamente insatisfeitos com a postura da cúpula do clube, diversos fãs foram nesta quarta-feira ao CT de Trigoria, na periferia da capital italiana, e protestaram com cartazes.

O que mais chamou a atenção da imprensa italiana foi o que chamou a diretoria de azienda funebre ("funerária", em italiano).

Um outro cartaz ordenou aos cartolas do clube que assinassem um novo contrato com De Rossi, o que não deve acontecer.

Durante o protesto, o próprio atleta, que disse que não irá se aposentar e vai procurar um novo clube, foi até o portão do CT para conversar com os torcedores. No entanto, não foi revelado o teor do papo.

De Rossi, que ostentava a braçadeira de capital desde a aposentadoria de outro ídolo, Francesco Totti, em 2017, se despedirá da torcida em 26 de maio, em cofronto contra o Parma, na última rodada do Campeonato Italiano.

Nos últimos 18 anos, o volante disputou 615 partidas com a Roma e marcou 63 gols. Apenas Totti, que atuou 786 vezes e marcou 307 gols, o supera na classificação dos atletas que mais jogaram pelo clube italiano.

Com a equipe de coração, De Rossi conquistou duas vezes a Copa da Itália (2007 e 2008) e uma Supercopa da Itália (2007).

Além disso, De Rossi disputou 117 partidas com a seleção italiana, com a qual foi campeão do mundo em 2006 na Alemanha.