<
>

Ao levar jogo contra o Flamengo para Brasília, CSA pune a maior torcida de Alagoas: a flamenguista

play
Flamengo faz último treino antes de encarar Corinthians e só tem dúvida no gol (1:25)

Com Diego Alves recuperado, resta apenas Abel Braga definir se ele já volta ao time titular (1:25)

A mudança do local da partida do CSA contra o Flamengo, de Maceió para Brasília, em 12 de junho, no Mané Garrincha, vai afastar da maior torcida do Estado a possibilidade de assistir ao seu clube in loco: a rubro-negra.

De acordo com levantamento do Instituto Paraná Pesquisas (realizado entre os dias 6 e 9 de março, ouvindo 1.500 habitantes de 46 municípios), o clube carioca é o mais popular de Alagoas, com 21,4%. Na sequência, vem o Corinthians (10,2%).

As três maiores forças de Alagoas aparecem na 5ª, 6ª e 7ª posições: o CRB é o quinto com 6,3%. Com 4,8%, o CSA vem em sexto. E o ASA ocupa o sétimo posto, com 3,8%. A soma dos índices das três grandes forças alagoanas totaliza 14,9%.

NÃO SERÃO TODOS

Rafael Tenório, presidente do CSA, anunciou ontem que o clube vai enfrentar o Flamengo, no próximo dia 12 de junho, em Brasília.

Segundo informações do Globoesporte.com, a negociação girou entre R$ 1,2 milhão e R$ 1,5 milhão. Para Tenório, os valores bastam para justificar a mudança.

"Para o bem do CSA, temos a necessidade de fazer a venda do jogo contra o Flamengo. Então, nós vamos fazer o jogo contra o Flamengo em Brasília, dia 12 de junho", disse Rafael Tenório, em entrevista coletiva.

De acordo com o dirigente, é possível que o confronto com o Corinthians, no segundo turno, também seja disputado fora de Alagoas, o que tiraria também da segunda maior torcida local o direito de ver seu time presencialmente.

Tenório, por outra lado, já refutou que o CSA vá vender mandos de campo em jogos no qual houver em campo um clube que ele considera lutar pelo mesmo objetivo do seu clube no Brasileiro: ficar na Série A.

"Nosso grupo qual é? É Avaí, é Fortaleza, é Ceará, é Bahia, é Chapecoense, é Vasco, Botafogo, Fluminense, Goiás.... Então, nós estamos nesse grupo aí", declarou.

Vale lembra que Santos (0 a 0) e Palmeiras (1 a 1) já enfrentaram o CSA em Maceió e perderam pontos.

Além das questões financeiras, Tenório também afirma que o Estádio Rei Pelé, casa do CSA, com capacidade para 15 mil lugares em jogos com torcida adversária, é pequeno para as pretensões do clube.

Em vias de acertar um acordo de parceria com um fundo chinês, o presidente do clube já revelou ao ESPN.com.br que um dos investimentos que deseja do parceiro está na construção de um novo estádio, para o qual já tem até uma maquete.