<
>

Manchester City nega acusações de irregularidades financeiras que podem lhe tirar da Champions

play
Manchester City sob investigação, Kawhi pelo mundo e mais: SC Digital traz os destaques do dia (1:35)

Rubens Pozzi fala sobre as principais notícias do dia (1:35)

Nesta terça-feira, o Manchester City emitiu uma nota oficial rebatendo as acusações de uma suposta quebra de fair play financeiro.

Isso porque, na última segunda-feira, o jornal norte-americano The New York Times divulgou a notícia que o clube poderia ser afastado da Champions League por um ano por conta de irregularidades financeiras.

De acordo com a publicação, há uma investigação em curso há quatro meses, envolvendo a Uefa (União das Federações Europeias de Futebol) e a FA (Associação de Futebol da Inglaterra).

O clube teria apresentado falsas informações sobre contratos de patrocínios, fato esse que caracterizaria conduta de má-fé.

Segundo o City, contudo, as contas divulgadas pelo clube são completas e a acusação é falsa.

Além disso, a nota garante que a diretoria está cooperando de boa fé com a investigação.

Confira a nota completa do Manchester City:

O Manchester City FC está cooperando totalmente de boa fé com a investigação em curso do CFCB IC (Câmara Investigatória do Comitê de Controle Financeiro dos Clubes).

Ao fazê-lo, o clube depende da independência e do compromisso do CFCB IC com o devido processo; e no compromisso da Uefa de 7 de março de que“… não fará mais comentários sobre o assunto enquanto a investigação estiver em andamento”.

O relatório do New York Times citando “pessoas familiarizadas com o caso” é, portanto, extremamente preocupante.

As implicações são de que a boa fé do Manchester City no CFCB IC esteja equivocada ou que o processo do CFCB IC esteja sendo deturpado por indivíduos com a intenção de prejudicar a reputação do Clube e seus interesses comerciais. Ou ambos.

As contas publicadas do Manchester City são completas e uma questão de registro legal e regulatório.

A acusação de irregularidades financeiras é totalmente falsa, e uma prova abrangente deste fato foi fornecida ao CFCB IC.