<
>

Athletico-PR assume a culpa em caso de doping na Libertadores

O Athletico Paranaense, por meio do presidente do Conselho Deliberativo, Mário Celso Petraglia, se pronunciou sobre o caso de doping envolvendo o zagueiro Thiago Heleno e o volante Camacho na partia diante do Tolima, pela Libertadores da América. Os dois jogadores ingeriram um suplemento alimentar com a substância Higenamina, proibida pela Agência Mundial Antidoping.

“Lamentavelmente, a vida nos proporciona situações difíceis. Fomos surpreendidos por uma falha interna de profissionais do clube que nós abrimos uma sindicância e processo administrativo interno para buscar todas as informações do ocorrido”, disse o dirigente, sem entrar em detalhes, mas prometendo revelar o que for descoberto.

“Assim que tivermos uma posição objetiva das falhas que ocorreram durante o processo”, completou.

O dirigente rubro-negro revelou que a notícia chegou na sexta-feira, mas que apenas Thiago Heleno e Camacho tomaram o suplemento, ao contrário das primeiras informações que incluem Bruno Guimarães e João Pedro, agora no Paraná, também na lista.

“Fomos surpreendidos na última sexta-feira pela Conmebol que o Thiago havia ingerido uma substância que é considerada doping. O suplemento foi posto à disposição de vários atletas e, infelizmente, dois tomaram”, afirmou.

Petraglia garante que o clube vai assumir toada a culpa na defesa dos atletas, que são vítimas de um erro interno, segundo ele.

“Temos que buscar que essa situação não afete a imagem do atleta. O doping é uma coisa tão forte na vida do profissional do esporte que é um tabu e desta vez, eles não podem ficar com essa marca porque foram vítimas da instituição. A culpa é exclusivamente do Athletico Paranaense”, concluiu.