<
>

Santo André bate Inter de Limeira em casa e fica com o título da Série A2

Na manhã desta quarta-feira (1), o Santo André se sagrou campeão da Série A2 do Campeonato Paulista 2019. Contra a Inter de Limeira, o time do ABC conseguiu reverter a derrota por 2 a 1 no jogo de ida da finalíssima e, com um triunfo por 3 a 1, dentro de casa, faturou o caneco diante de sua torcida. No Bruno José Daniel, os gols do time de casa foram marcados por Jobinho (duas vezes) e Anselmo. PC diminuiu para a Inter.

Independentemente do resultado, ambos os clubes já tinham vaga garantida na elite do futebol paulista em 2020. Quem também sobe para a Série A1 é a equipe do Água Santa, que, embora tenha sido eliminada na semifinal pelo campeão, foi responsável pela melhor campanha da primeira fase da competição e ocupará o posto deixado pelo Red Bull Brasil, que se juntou ao Bragantino.

Este é o quinto título do Santo André na Série A2 do Paulistão. As outras conquistas aconteceram em 1975, 1981, 2008 e 2016. O time não disputa a a primeira divisão estadual desde 2018, quando acabou o campeonato na lanterna da tabela.

Santo André acorda nos acréscimos

Apesar da tentativa de imprimir uma grande intensidade no início do jogo, o Santo André exagerava nas ligações diretas e não conseguia penetrar na defesa da Inter de Limeira. Foi o time visitante, inclusive, que criou a primeira oportunidade clara de gol.

Aos sete minutos, Chumbinho recebeu na entrada da área, ganhou a disputa com o marcador e ficou em boas condições de finalizar. O atacante bateu firme, mas viu o goleiro Tomazella salvar os anfitriões com ótima defesa à meia altura.

O primeiro tempo foi marcado por muita briga pela posse de bola. A Inter continuou fechando os espaços do Ramalhão, que tinha plenas dificuldades de construir suas jogadas de ataque. Foram muitos impedimentos por parte dos donos da casa.

Já nos acréscimos, porém, o Santo André conseguiu melhorar na partida e acabou recompensado por isso.

Aos 46, foram dois chutes perigosos. O primeiro, de Denis Neves, para boa defesa de Rafael Pin no canto esquerdo. Logo depois, Leonardo Luiz pegou a sobra do escanteio e, de dentro da grande área, bateu forte. No entanto, Pin voltou a salvar o time de Limeira, desta vez no canto direito.

Aos 47, foi a vez de França evitar o primeiro gol andreense no jogo. Em cima da linha, o volante afastou de qualquer jeito o chute de Leonardo, que tinha endereço certo.

Quando o empate parecia certo, porém, Jobinho dominou na entrada da área, encarou a marcação e foi derrubado por Nata. Pênalti, que o mesmo Jobinho bateu e fez, para a alegria da torcida presente do Bruno José Daniel: 1 a 0.

Ramalhão campeão

O gol no fim do primeiro tempo animou o Santo André para a etapa final. Com o alívio da tensão, a melhora de desempenho foi nítida.

Logo aos quatro minutos, Raphael Toledo cobrou falta na área e Leonardo Luiz cabeceou para a rede. No entanto, foi marcado impedimento no lance e o gol foi anulado. Seria o segundo do Ramalhão no jogo.

A dificuldade que tinham os donos da casa para jogar com a bola nos primeiros 45 minutos já não era encontrada após o intervalo. Os espaços começaram a aparecer, facilitando a vida do time do ABC.

E foi em um desses espaços que saiu o segundo gol, aos 20 minutos. Lançado pela esquerda, Maikinho avançou com liberdade, chegou ao fundo e cruzou para Anselmo. O camisa nove emendou um belo voleio e correu para o abraço: 2 a 0.

O resultado já dava o título ao Santo André. Porém, com 37 rodados, o que já estava bom ficou ainda melhor. Após cobrança de escanteio pela esquerda, Anselmo escorou na segunda trave e Jobinho completou para dentro: 3 a 0 e título muito bem encaminhado.

Contudo, mesmo com a festa no Bruno José Daniel, a Inter não se abateu. Aos 40, PC recebeu na intermediária, ajeitou para a canhota e mandou para o gol. Contando com a contribuição de Tomazella, que falhou no lance, a bola entrou no cantinho direito: 3 a 1.

Apesar dos cinco minutos de acréscimos dados pelo árbitro, o Santo André suportou a pressão final da Veterana e sacramentou seu pentacampeonato na Série A2 do Paulistão. Merecido, pelo amplo domínio de jogo na etapa final.