<
>

Manchester City: Guardiola gastou R$ 3,6 bilhões que 'não bastaram' para vencer a Champions, diz jornal

play
Zé Elias considera Guardiola melhor técnico do mundo, mas pondera: 'Precisa ser cobrado' (1:28)

Técnico foi eliminado pelo terceiro ano consecutivo da competição internacional (1:28)

Após o Manchester City ser eliminado nas quartas de final da Champions League pelo Tottenham, o jornal Marca destacou o "fracasso" de Pep Guardiola em vencer o título, mesmo tendo o quinto maior orçamento de toda a competição.

Desde que o ex-treinador do Barcelona chegou ao time inglês, já gastou 608 milhões de euros (aproximadamente R$ 2.7 bilhões de reais) em contratações e nunca chegou nem nas semifinais nos quatro anos no comando dos citizens: foram três eliminações nas quartas e uma nas oitavas de final.

Logo em sua primeira temporada investiu 213 milhões de euros (R$ 944 milhões de reais) em jogadores como Gabriel Jesus e Gundogan, sendo eliminado nas oitavas da competição pelo Monaco.

No ano seguinte, bateu o recorde de transferências em uma só temporada: 317,5 milhões de euros (R$ 1.4 bilhão de reais) em Bernardo Silva, Ederson, Kyle Walker, Laporte, Mendy, Danilo e caiu para o rival Liverpool nas quartas de final.

Nesta temporada, os valores foram mais "humildes", apenas 77 milhões de euros (R$ 341 milhões de reais), sendo Riyad Mahrez o jogador mais caro.

No entanto, as cifras aumentam se forem considerados os anos desde que o espanhol saiu do Barcelona: ao chegar na Alemanha para comandar o Bayern de Munique, Guardiola encontrou uma equipe que era a atual campeã do torneio continental sob o comando de Jupp Heynckes. Para manter o mesmo nível, pediu e recebeu as contratações de Gotze, Thiago Alcântara, Arturo Vidal, Benatia e Douglas Costa, totalizando 204,40 milhões de euros (R$ 905 milhões de reais). Com os bávaros, chegou três vezes seguidas nas semifinais.

Em entrevista, o treinador afirmou que não foi para Manchester para vencer a Champions League e sim "para comandar o time da maneira que eu venho comandando nos últimos 20 meses, para jogar da maneira que eu quero jogar".

Porém, desde que comprou o clube em 2008, o sheik Mansour bin Zayed Al-Nahyan sonha com o título continental e já investiu um total de 1.660 bilhões de euros (R$ 7.358.432.121 bilhões) em contratações de jogadores, teve três treinadores e nunca venceu um título fora do Reino Unido.