<
>

Jornal lamenta 'divórcio' entre Real Madrid e Cristiano Ronaldo

play
Ajax vence Juventus na Itália e avança para a semifinal da Champions League (1:10)

Cristiano Ronaldo marcou, mas equipe holandesa fez 2 a 1 em Turim (1:10)

Após a eliminação da Juventus para o Ajax na Uefa Champions League, o jornal espanhol El Confidencial lamentou o "divórcio" ocorrido entre o Real Madrid e Cristiano Ronaldo.

De acordo com o diário, as duas partes sentiram a separação: os merengues sentem falta dos gols do artilheiro, enquanto o português deu "um passo atrás" ao ir para a Itália, na opinião do veículo.

"Cada um tem o que merece. O Real Madrid sem Cristiano Ronaldo vive uma de suas piores temporadas, e o português ficou sem o sonho de mais uma Champions por ter ido embora antes do tempo", decretou.

"Esse é o triste final do divórcio entre Real Madrid e Cristiano Ronaldo. Ambos estão fora da Champions e ambos caíram para o mesmo rival: o Ajax. Separaram suas forças e a conclusão foi que ambos causaram dano uns aos outros. Muito dano", prosseguiu.

"No Madrid, passaram a temporada toda chorando a ausência de um goleador e sentindo falta do português. [...] Foi um erro deixar Cristiano ir embora por 100 milhões de euros e trazer Mariano Díaz. Mas Cristiano quis ir, porque em Turim aplaudiram de pé o golaço de bicicleta que fez usando a camisa merengue, e na Itália ele pensou que teria uma família que lhe desse mais carinho e reconhecimento", afirmou.

"Ronaldo deu tudo de si para transformar sua grande vingança em realidade: demonstrar que consegue ganhar a Champions fora do Real Madrid. Mas ele não parou para pensar que Neymar descambou após deixar o Barcelona. O brasileiro está há dois anos sofrendo no Paris Saint-Germain", comparou.

O El Confidencial também ironizou a Juventus e o Real.

"O Campeonato Italiano a Juve já conquistava facilmente sem os serviços do português, e os 117 milhões de euros gastos por Andrea Agnelli eram para dar esse 'plus' que levaria a equipe a voltar a ganhar a Europa. Está comprovado que o dinheiro, no futebol, não garante o êxito. Sempre é melhor tem os melhores jogadores e estruturar um projeto. Isso de tomar ações por despeito, como fizeram Madrid e Cristiano, os condenou, debilitou e prejudicou", observou.

"Cristiano Ronaldo era o símbolo e a estrela no Madrid. O líder e o goleador. O jogador-lenda que deveria ter se aposentado, como Messi fará no Barcelona, no Real Madrid. Mas a queda de braço entre Florentino e Cristiano acabou por gerar um debacle entre as duas partes", finalizou.