<
>

Benedetto perde pênalti, mas se redime e Boca volta a vencer após ser atropelado pelo Athletico

play
Hernán Crespo, ex-River Plate, dá resposta surpreendente sobre La Bombonera (0:51)

Técnico do Banfield, o ex-jogador vai enfrentar o Boca Juniors fora de casa na sexta-feira. Sobre jogar no estádio do rival, Crespo admitiu: 'Minhas pernas tremeram muitas vezes'. (0:51)

Derrotado pelo Athletico Paranaense na semana passada, o Boca Juniors se recuperou na Copa Libertadores durante a noite desta quarta-feira.

Jogando em La Bombonera, o time argentino venceu sem sustos o frágil Jorge Wilstermann, da Bolívia, por 4 a 0, em duelo válido pela quarta rodada da fase de grupos do torneio continental.

Sob forte chuva, o Boca teve um pênalti para cobrar aos 30 minutos do primeiro tempo. A infração foi cometida pelo zagueiro brasileiro Alex Silva em Villa. Na cobrança, o carrasco do Palmeiras na última Libertadores, o atacante Dario Benedetto, mandou no canto direito do goleiro Arnaldo Giménez, que saltou rápido para fazer a defesa.

O time da casa, no entanto, não se abalou e abriu o placar cinco minutos depois. Com um carrinho preciso, o ex-são-paulino Buffarini roubou a bola na linha de fundo e cruzou na medida para Emanuel Reynoso testar para as redes. O Wilstermann quase empatou na sequência em cobrança de falta do brasileiro Lucas Gaúcho, mas Andrada fez grande defesa.

Diferentemente do primeiro tempo, o Boca começou a etapa final em ritmo forte. Aos 15 minutos, Carlos Tevez foi derrubado por Alex Silva, e o árbitro assinalou pênalti. Desta vez, ao melhor estilo argentino, Benedetto bateu forte no meio e ampliou a vantagem para o time xeneize.

Com um lindo gol, a equipe da casa fez 3 a 0. Aos 40 minutos, em rápido contra-ataque, Mauro Zarate recebeu lançamento de Nahitan Nández, cortou o zagueiro e, ao perceber o goleiro adiantado, tocou por cobertura para delírio da torcida. Nos acréscimos, o veterano atacante fechou a conta aproveitando cruzamento da direita.

O resultado mantém o Boca Juniors no segundo lugar do Grupo G, com sete pontos, agora três a mais que o colombiano Tolima, derrotado na última terça-feira pelo Athletico-PR, líder da chave, com nove pontos. O Jorge Wilstermann é o lanterna do grupo, com míseros dois pontos.

LIBERTAD SEGUE 100%

Em outra partida disputada nesta noite, o Libertad-PAR se manteve com 100% de aproveitamento na Libertadores ao vencer o Universidad Católica-CHI de virada, por 3 a 2, em Santiago. Além do Libertad, Cruzeiro e Cerro Porteño acumulam quatro vitórias em quatro jogos na competição.

Portanto, o Libertad continua na liderança do Grupo H, com 12 pontos, seis a mais do que o segundo colocado Universidad Católica. O Grêmio, que venceu o Rosario Central-ARG por 3 a 1, em Porto Alegre, ocupa o terceiro lugar da chave, com quatro pontos.