<
>

Como companheiro de Neymar no PSG abriu empresa de arte e vendeu pebolim por R$ 344 mil

Um colecionador de arte desembolsou US$ 90 mil (R$ 344,75 mil) para adicionar um jogo de pebolim – ou totó, dependendo da região do país – à sua coleção. A “obra” é de autoria da empresa belga Play It Art e o valor recorde para tal objeto, segundo a Efe, não conta com os impostos.

Trata-se da primeira criação comercializada pela empresa que foi fundada pelo agente de atletas Jacques Lichtenstein, e o belga Thomas Meunier, companheiro de time de Neymar no Paris Saint-Germain. O intuito da Play It Art é justamente promover a mistura entre o futebol e a arte.

O pebolim em questão é uma obra em metal do escultor francês Stephane Cipre apresentada no final de março na Maison Degand, uma loja exclusiva de Bruxelas dedicada à moda masculina e, após apenas seis dias de exposição, encontrou um comprador para a primeira das 12 unidades fabricadas. A identidade do comprador não foi revelada.

Os elencos dos jogadores de metal que disputarão as partidas em um campo de couro contam com nomes históricos do futebol mundial, como Cruyff, Di Stéfano, Eusebio, Messi, Cannavaro, Zidane, Maldini, Cafú e Buffon.

O escultor agora trabalha em outro exemplar de pebolim que será de uma série ainda mais limitada, com apenas três exemplares. Nesta obra os times serão formados pelos jogadores que começaram a decisão da Copa do Mundo de 2010, quando a Espanha venceu a Holanda, na prorrogação, por 1 a 0.