<
>

Infantino, da Fifa, diz que conversará com Jair Bolsonaro sobre 'solução' para Mundial de 1951 do Palmeiras

O mandatário da Fifa, Gianni Infantino, revelou nesta terça-feira que o título da Copa Rio de 1951, conquistada pelo Palmeiras, pode ser um tema a tratar em conversa com o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

Documentos mostram que, em 2014, a Fifa atendeu requisição da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e considerou a Copa Rio como a primeira competição mundial de clubes da história.

No entanto, os rivais do Verdão não reconhecem a conquista alviverde nos mesmos moldes do Mundial de Clubes da Fifa ou da extinta Copa Intercontinental. Por isso, frequentemente a equipe do Palestra Itália é provocada e chamada de "sem Mundial".

Em entrevista à TV Globo durante visita ao Rio de Janeiro para a posse do novo presidente da CBF, Rogério Caboclo, e para o Congresso da Conmebol, Infantino mostrou bom humor ao tratar sobre a questão.

"Já decidimos dar o título de campeão mundial a todos que ganharam a Copa entre Europa e América do Sul desde 1960. E 1951 é um pouquinho mais para trás. Vamos falar com o presidente Bolsonaro e vamos ver que solução teremos", afirmou.

"Mas o Palmeiras pode ganhar o próximo Mundial de Clubes. Por que não?", brincou.

O QUE FOI A COPA RIO?

A Copa Rio de 1951 teve a participação dos seguintes times: Palmeiras, Vasco, Juventus-ITA, Sporting-POR, Nacional-URU, Austria Wien-AUT, Estrela Vermelha-SER (então Iugoslávia) e Nice-FRA.

No grupo A, classificaram-se Vasco e Austria Wien, enquanto Sporting e Nacional foram eliminados. Já na chave B, a Juventus e o Palmeiras foram à próxima fase, com Estrela Vermelha e Nice ficando pelo caminho.

Nas semifinais, realizadas em ida e volta, o Verdão eliminou o Cruz-Maltino, enquanto a "Velha Senhora" passou pelos austríacos.

Já na grande decisão, também feita em duas partidas, o Palmeiras ganhou a primeira por 1 a 0 e empatou a segunda em 2 a 2, sagrando-se campeão do torneio que mais tarde seria reconhecido pela Fifa como a primeira competição mundial de clubes.

Vale lembrar que, em 2017, a Fifa também reconheceu os vencedores da antiga Copa Intercontinental, que reunia os campeões da Libertadores e da Champions League, como campeões mundiais.