<
>

Especulado no Flamengo: por que Miranda, reserva na seleção, está a caminho de deixar a Internazionale

Aos 34 anos, Miranda sabe que está em vias de definir seu ultimo grande contrato na carreira. A atual temporada na Internazionale teve mais banco de reservas do que jogos desde o início. “Eu confesso que é um momento diferente. Desde quando comecei a jogar como profissional, sempre fui titular indiscutível. Nesse ano, por incrível que pareça, estou jogando pouco”, o próprio descreve.

A despedida da Internazionale parece iminente. No começo do ano, especulações davam conta de um possível retorno ao Brasil. Nada foi para frente. “É provável (sua saída). Em janeiro ele pediu para sair, mas a Inter não podia se permitir perder um zagueiro tendo apenas quatro no elenco. Agora, o clube já acertou com o Godín”, conta o jornalista italiano da Gazzetta Dello Sport, Marco Guidi.

O repórter baseado em Milão explica que a perda da titularidade de Miranda se deve basicamente à ascensão de dois jogadores. “Não é que esteve mal. Mas com Skriniar e De Vrij como dupla de zaga, era lógico que o espaço do Miranda diminuiria. Estamos falando de dois zagueiros muito jovens e muito bons”, contou ao ESPN.com.br.

“Miranda não é mais um jovem. Ele começou a sofrer um pouco com os atacantes rápidos, algo normal para um zagueiro que começa avançar na idade”, complementa Guidi, citando que Flamengo, São Paulo e Fluminense tentaram sua contratação em janeiro.

O ano atípico de Miranda também se reflete na seleção brasileira. Titular absoluto na Copa do Mundo da Rússia, o experiente zagueiro passou a se revezar mais na equipe de Tite. Contra o Panamá começou jogando, numa formação mais ‘alternativa’ escolhida pelo treinador. Diante da República Tcheca, nesta terça-feira, ele deve ficar no banco para Thiago Silva e Marquinhos.

“Aprendi a lidar com essa situação: quando você joga demais às vezes você não tem tempo para treinar. Esse ano estou aproveitando esse tempo que estou tendo a mais para me dedicar nos treinamentos e me preparar melhor para quando eu jogar”, disse durante a semana de atividades na Europa.

Portugal?

Nesta semana seu nome foi ventilado no Benfica e no Monaco. Quando perguntado sobre o futuro, Miranda primeiro despistou. “Estou aqui para falar da seleção, fico feliz com alguns interesses que houve de alguns clubes brasileiros, mas estou aqui pra servir a seleção e falar da seleção”.

Porém, na mesma entrevistas coletiva, o zagueiro foi mais direto quando perguntado por uma jornalista portuguesa sobre o interesse em jogar por lá. “Admiro muito o futebol de Portugal, tanto Porto, Benfica e Sporting e outros times que não vou ficar citando. Para mim, vejo um bom mercado sim, mas hoje meu pensamento é defender a Inter de Milão, terminar bem essa temporada”.

O zagueiro não pensa também em quando vai parar de defender a seleção. Na Copa do Catar, Miranda terá 38 anos completados. “Não penso ainda na minha despedida, enquanto estiver com condições de atuar em alto nível pela seleção, vou atuar. Se eu me despedir enquanto estou em alto nível, vou ser um covarde”, enfatizou.