<
>

Novorizontino x Palmeiras: Empate por 1 a 1 pelo Paulista tem polêmica com VAR e gol de Arthur Cabral

O VAR fez sua estreia com muita polêmica no Campeonato Paulista.

Neste sábado, Novorizontino e Palmeiras empataram por 1 a 1, pela partida de ida das quartas de final, em Novo Horizonte, em uma partida com o árbitro de vídeo sendo protagonista em dois lances capitais.

O primeiro foi o gol do Tigre: Murilo Henrique chutou de longe, Fernando Prass não conseguiu agarrar e Cléo Silva mandou o rebote para as redes. Os jogadores do Verdão reclamaram de mão na bola de Murilo no início da jogada, mas o árbitro Raphael Claus e o árbitro de vídeo Thiago Duarte Peixoto não fizeram a revisão.

O fato revoltou o Palmeiras, que usou suas redes sociais para reclamar abertamente da Federação Paulista de Futebol.

Depois, na segunda etapa, Danielzinho cruzou e a bola resvalou na mão do zagueiro Antônio Carlos. Inicialmente, Raphael Claus nada marcou, mas, após ser avisado pelo árbitro de vídeo Thiago Duarte Peixoto, revisou o lance no monitor e marcou a penalidade a favor do Tigre. Na cobrança, porém, Fernando Prass defendeu.

O lance acabou animando o Palmeiras, que buscou o empate através do centroavante Arthur Cabral, que entrou muito bem no lugar de Borja e anotou seu 1º gol com a camisa alviverde.

O matador ainda teve chance de virar nos minutos finais, mas a zaga rival travou bem e garantiu o 1 a 1 em Novo Horizonte.

O duelo de volta será nesta terça-feira, às 21h (de Brasília), no Pacaembu. Quem vencer avança à semifinal. Em caso de nova igualdade, o duelo será decidido nos pênaltis.

O JOGO

Mesmo jogando fora de casa, o Palmeiras partiu para cima no início e quase abriu o placar logo no primeiro lance de ataque: aos 2 minutos, Borja recebeu enfiada precisa e tentou tirar do goleiro, mas Oliveira saiu fechando bem e conseguiu mandar para escanteio.

O Verdão seguiu em cima e o colombiano teve nova oportunidade aos 10: Dudu cobrou escanteio, Antônio Carlos desviou e Borja raspou de cabeça, mas não conseguiu acertar com precisão e mandou para fora.

A resposta do Novorizontino veio aos 26, também em cobrança de escanteio. Éverton Sena subiu bonito e testou por cima da zaga alviverde, mas Fernando Prass agarrou no meio do gol sem maiores problemas.

Em sua segunda chegada ao ataque, o Tigre foi fatal: aos 38, Murilo Henrique chutou de fora da área e Fernando Prass não conseguiu segurar, rebatendo para o meio da área. No rebote, Cléo Silva só cutucou para as redes e abriu o placar para os donos da casa.

Os jogadores do Palmeiras reclamaram de mão de Murilo na origem da jogada, mas o juiz Raphael Claus não usou o VAR para revisar o lance.

O tento animou os aurinegros, que seguiram em cima e quase ampliaram minutos depois: Jean Patrick aproveitou sobra de bola e soltou uma bomba de fora da área, tirando tinta da trave palestrina e animando ainda mais os torcedores locais.

Sem conseguir se recolocar em campo, o time de Luiz Felipe Scolari foi para o intervalo com o placar adverso, e no retorno ao gramado o treinador já fez duas modificações: saiu Gustavo Scarpa para a entrada de Felipe Pires e o estreante Arthur Cabral ingressou na vaga de Borja.

Mas as coisas se complicaram ainda mais para o Verdão aos 11 minutos, quando Danielzinho tentou cruzamento na área e a bola desviou na mão de Antônio Carlos.

Inicialmente, Raphael Claus nada marcou, mas, após ser avisado pelo árbitro de vídeo Thiago Duarte Peixoto, revisou o lance no monitor e marcou a penalidade a favor do Tigre.

Na cobrança, Murilo Henrique, o camisa 10 do Novorizontino, encheu o pé do lado direito de Fernando Prass, mas o arqueiro palmeirense pulou bem e espalmou, se redimindo da falha no primeiro gol e salvando o Verdão.

A defesa de Prass deu novo ânimo ao Palmeiras, que quase igualou o placar aos 18: Dudu levantou falta na área e Ricardo Goulart subiu bem, mas a cabeçada do meia-atacante foi para fora.

Mas não tardou a sair o tento palestrino: no lance seguinte, Marcos Rocha cruzou da direita, Felipe Pires furou e Arthur Cabral dominou no meio da área. Com um toque consciente no canto, o matador anotou seu 1º gol com a camisa alviverde e empatou em Novo Horizonte.

E o artilheiro estava mesmo com tudo: aos 39, o centroavante teve grande chance de conseguir a virada: Marcos Rocha cruzou rasteiro, Dudu chutou travado na zaga e a bola sobrou para Arthur Cabral, que bateu, mas viu três jogadores do adversário se atiraram na frente da bola e afastarem para escanteio.

Nos minutos finais, Dudu gerou a última grande chance em uma batida forte pelo lado esquerdo. O goleiro Oliveira falhou e rebateu para o meio, mas a defensa aurinegra conseguiu afastar e garantir o 1 a 1.

FICHA TÉCNICA
NOVORIZONTINO 1 x 1 PALMEIRAS

Local: Estádio Dr. Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte-SP
Data: 23 de fevereiro de 2019, sábado
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis e Luiz Alberto Andrini Nogueira
VAR: Thiago Duarte Peixoto
Cartões amarelos: Danielzinho (NOV)

GOL
NOVORIZONTINO: Cléo Silva, aos 38 minutos do primeiro tempo
PALMEIRAS: Arthur Cabral, aos 21 minutos do segundo tempo

NOVORIZONTINO: Oliveira; Lucas Ramon (Dudu Vieira), Everton Sena, Edson Silva e Paulinho; Adílson Goiano, Cléo Silva, Jean Patrick e Murilo Henrique (Carlinhos); Danielzinho e Felipe Marques (Elvinho) Técnico: Roberto Fonseca

PALMEIRAS: Fernando Prass; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luís; Felipe Melo, Bruno Henrique e Ricardo Goulart (Lucas Lima); Dudu, Gustavo Scarpa (Felipe Pires) e Borja (Arthur Cabral) Técnico: Luiz Felipe Scolari