<
>

Corinthians perde recurso, e taça do Mundial de 2012 volta a ser penhorada

play
No Corinthians, 'Cássio é tão ídolo quanto Marcos e Rogério Ceni', opina Edu de Meneses; comentaristas discordam (0:48)

Goleiro se aproxima de completar 400 jogos na meta alvinegra (0:48)

O Corinthians perdeu o recurso que movia para cancelar a penhora da taça do Mundial de Clubes de 2012. O caso teve julgamento no Tribunal de Justiça de São Paulo na tarde desta quarta-feira e foi favorável ao Instituto Santanense de Ensino Superior, segundo apurou o ESPN.com.br.

A decisão dos desembargadores Paulo Pastore Filho, João Batista Vilhena e Souza Lopes ainda não foi publicada. O clube afirma que também não foi comunicado até o momento e, por isso, não se posicionaria.

Foi com a entrada desse recurso que o Corinthians conseguiu suspender, em novembro de 2018, a decisão da Justiça de penhorar o troféu por uma dívida de aproximadamente R$ 2,5 milhões.

Com a decisão desta quarta, volta a valer a decisão inicial, ainda de primeira instância. O Corinthians ainda pode recorrer e evitar a penhora, de fato, do troféu com o pagamento da dívida ou também indicando outro bem para tal fim – caberia ao Instituto, porém, aceitar essa saída.

Apesar da penhora, a Justiça não deve tomar fisicamente o troféu corintiano. O clube não pode, no entanto, realizar qualquer atividade com a taça, como tirá-la do país, por exemplo.

Antes da taça do Mundial, o Instituto Santanense, mais conhecido UniSantan’Anna, havia tentado bloquear as contas do Corinthians e recebíveis do clube através de operadoras de cartão de crédito, além da penhora de parte da premiação da Copa do Brasil de 2018 – em que a equipe foi vice-campeã – e também da venda do meia Rodriguinho para o Pyramids, do Egito.