<
>

Mãe de Neymar relembra lesão na Copa e chora: 'Foi duro saber que meu filho poderia ir para cadeira de rodas'

Nadine Gonçalves, mãe de Neymar, deu um depoimento ao canal do filho no YouTube relembrando o período da lesão sofrida pelo jogador na Copa do Mundo de 2014. Ela se emocionou e disse que teve medo que o atacante não pudesse voltar a andar.

“Eu falava: 'Deus tem um propósito, filho. Se Deus te tirou, é porque ele tem um propósito'. Eu também conversei muito com ele sobre liberar perdão, porque ele tinha que liberar perdão ao rapaz colombiano (Zúñiga) que fez isso. E e eu também, quem tivesse ao redor dele. E eu conversei isso com ele: 'libera, filho. Ele só foi usado'”, declarou.

Durante a vitória da seleção brasileira sobre a Colômbia por 2 a 1 nas quartas de final do Mundial de 2014, o craque foi atingido por uma joelhada de Camilo Zúñiga nas costas, o que causou uma fratura na terceira vértebra lombar, tirando-o do restante do torneio.

“Foi duro você saber que, de repente, por centímetros, o seu filho não ia estar em uma cadeira de rodas, que seu filho ia ser cessado do sonho dele de ser jogador de futebol, jogar o futebol dele, parar por causa de uma situação.”

Nadine ainda lembrou de um acidente automobilístico sofrida por ela, Neymar e o pai do atleta em 1992.

“Foi uma situação muito difícil, porque eu passei isso com o pai, quando a gente sofreu o acidente de carro. E naquela época, quando eu vi essa situação, doeu em mim, porque me fez lembrar. Foi doído. Na época, o médico falou a mesma coisa: 'não assina nada se eles te procurarem, porque eu não sei se ele vai voltar a andar'. E o Juninho só tinha quatro meses na época, ele só tinha quatro meses”, disse a mãe do atacante do Paris Saint-Germain.

“Aí de repente você vê aquela cena novamente, aí você fala: 'Deus, de novo?'. Talvez na época, o pai, quem passou por isso, não lembra disso, porque só quem passou por isso fui eu. Alguém chegar para você e falar: 'talvez seu marido nunca mais volte a andar'. Aí você vê a cena depois de muitos anos, seu filho quase não volta a andar mais.”