<
>

Veja quanto Monchi, o 'mago das contratações' que voltou ao Sevilla, gasta por mês na conta de telefone

Não é segredo para ninguém que diretores de futebol dos grandes clubes mundiais gastam uma "nota preta" em conta de celular, já que estão o tempo todo conversando com jogadores, dirigentes e empresários em busca das melhores compras e vendas para seus times.

Mas você sabe quanto gasta por mês um diretor "tipo Alexandre Mattos", daqueles que é bom mesmo de serviço?

Nesta terça-feira, o jornal El Confidencial, da Espanha, revelou o custo mensal do celular de Monchi, o famoso "mago das contratações", que estava trabalhando na Roma até recentemente e agora acertou seu retorno ao Sevilla, equipe na qual ficou famoso - dispensando inclusive um convite do Arsenal para trabalhar em Londres.

"Ele bebe Coca-Cola compulsivamente e fuma um cigarro atrás do outro para se acalmar nos vários momentos de tensão que vive em seu dia-a-dia. Seu telefone quase solta fumaça de tanto que ele usa (gasta de 1.500 a 2.000 euros por mês com ele)", escreve.

Ou seja: a conta pode variar entre R$ 6.435,60 e R$ 8.580,80!

No entanto, cada ligação de Monchi vale seu preço.

"O cartola fala perfeitamente italiano, francês e inglês (há alguns anos, fez um master de gestão esportiva em uma famosa universidade de Londres). Possui uma influência especial até com os agentes mais agressivos. E, quando ele liga, até mesmo os mais importantes jogadores do mundo atendem. Monchi tem muita credibilidade e respeito no mundo do futebol", elogia.

Antes desta segunda passagem, o dirigente trabalhou 17 anos no Sevilla, ajudando a transformar o clube em uma potência na Espanha e também na Europa.

Ao todo, ele cuidou de 151 transferências, obtendo um lucro de 200 milhões de euros (R$ 858 milhões) com elas, além do retorno esportivo que as contratações trouxeram: cinco títulos da Copa da Uefa/Liga Europa, duas Copas do Rei, uma Supercopa da Uefa e uma Supercopa da Espanha.